São Paulo – Você finalmente decidiu que vai fazer uma reserva financeira, guardar 100 reais por mês ou menos, que seja. Ou então ganhou um dinheiro extra, menos de 1.000 reais, e quer investir esse valor, mas ouve por aí que a poupança rende pouco.

De fato, há outros investimentos seguros, que acompanham a taxa básica de juros, a Selic, e têm rendimentos superiores à poupança. Mas qual o mais indicado para quem tem pouco dinheiro para investir e quer ter esse recurso à disposição a qualquer momento, para uma eventualidade?

Especialistas ouvidos por EXAME.com não têm dúvidas de que o Tesouro Selic é a melhor opção, nesse caso. Compare as opções a seguir e entenda por quê:

Tesouro Selic

Dá para investir a partir de 30 reais no Tesouro Direto, o investimento preferido de muitos consultores financeiros. Comprar um título do Tesouro pode ser igualmente simples, mais seguro e mais rentável do que investir na caderneta de poupança. O investidor empresta seu dinheiro ao governo, que o remunera por isso.

Na plataforma de negociação online, há uma lista de diferentes títulos públicos disponíveis, cada um com a sua forma de remuneração. O Tesouro Selic é um deles, e é o mais indicado para quem deseja ter a possibilidade de resgatar o dinheiro aplicado a qualquer momento, em uma emergência.

Ele é um investimento de renda fixa, ou seja, o investidor consegue prever de que forma seu dinheiro será remunerado no momento da aplicação, diferente das ações, por exemplo. O Tesouro Selic paga ao investidor a variação da taxa Selic, atualmente em 14,25% ao ano.

Ele é o investimento com menor risco de crédito do país, ou seja, com menor chance do investidor levar calote. “Embora a dívida pública brasileira seja alta, o governo tem mais condições de honrar com seus compromissos do que qualquer instituição privada”, explica a planejadora financeira Marcia Dessen, autora do livro Finanças Pessoais: O Que Fazer com Meu Dinheiro.

O valor mínimo para comprar um CDB varia de um banco para o outro, mas é certo que você consegue aplicar com menos de 1.000 reais. É provável que essa seja a opção de investimento mais indicada pelo gerente do banco, mas ela não é a preferida dos planejadores financeiros para quem tem poucos recursos disponíveis.

Ao comprar um CDB, o investidor empresta dinheiro para a instituição financeira e recebe uma remuneração por isso. O banco empresta o dinheiro a outros clientes e, para garantir lucro, paga uma taxa menor ao investidor do que a que cobra para emprestar aos tomadores de crédito.

Provavelmente seu banco vive oferecendo um fundo de investimento. Os fundos DI costumam ser indicados a quem tem pouco dinheiro para investir e gostaria de deixar toda a responsabilidade nas mãos do gestor da aplicação, que não tem prazo de vencimento.aplicam majoritariamente em investimentos de renda fixa que acompanham as variações da taxa DI. Eles costumam ser indicados a quem tem pouco dinheiro para investir e gostaria de deixar toda a responsabilidade nas mãos do gestor da aplicação.

Mas é preciso prestar atenção às taxas de administração, que podem ser bem altas, principalmente se você investe pouco dinheiro. Com isso, no fim das contas, os fundos DI podem ter rentabilidade bem menor do que o Tesouro Selic.

PLATAFORMA MODALMAIS

No home broker do banco Modal, o modalmais, é possível investir em ações, CDBs, LCIs, LCAs, debêntures e no Tesouro Direto. A plataforma oferece, entre outros serviços, um atendimento por Whatsapp durante o horário comercial, ao longo da semana. Entre os serviços oferecidos, estão boletins diários em vídeo e texto produzidos pelo economista Alvaro Bandeira e análise de investimentos realizada pela consultoria Lopes Filho

Clique aqui e veja integra da matéria da Exame.com