São Paulo, 20 de setembro de 2016 – O dólar comercial encerrou em queda de 0,51%, cotado a R$ 3,2610 na venda, refletindo a expectativa de que o Federal.

Reserve (Fed, banco central norte-americano) mantenha as taxas de juros na reunião de amanhã após retração de 5,8% na construção norte-americana em agosto.

“O mercado está apostando que não vai ter alteração nenhuma amanhã no

Fed, o que traz um fluxo positivo para o país, por isso que o dólar caiu”, diz o economista do BCG Liquidez, Alfredo Barbutti. Segundo ele, houve um grande volume de operações diretas tanto nos juros quanto no dólar.

Para o economista-chefe da Home Broker Modalmais, Álvaro Bandeira, a queda do dólar se suavizou no final do pregão com as especulações sobre o Fed e a decisão de política monetária do Banco do Japão (BoJ). “O Banco do Japão é mais complicado, porque ele não mexe só com juros, mas tem a questão do quantative easing, isso gera incerteza”.

PERSPECTIVA

Bandeira explica que para amanhã o dólar deve permanecer em baixa, caso o

BoJ e o Fed se comportem como o mercado prevê, ou seja, o primeiro deve anunciar ampliação das medidas de quantative easing, enquanto o segundo deve manter as taxas de juros inalteradas e o discurso ainda cauteloso.

Barbutti aponta que há possibilidade de discurso do Fed ser mais a favor de alta, uma vez que membros do comitê de política monetária da instituição tiveram discursos mistos durante setembro.