Dilma e o enterro do pleno emprego

O IBGE divulga nesta terça-feira um dado que pode ser mais uma pá de cal sobre o governo Dilma Rousse. A taxa de desemprego nacional, medida pela PNAD Contínua, deve ficar entre 8,9% e 9,2% em 2015. A última taxa divulgada é de 9%, no trimestre encerrado em novembro.

Caso fique dentro desse intervalo das previsões, o resultadoserá a pior taxa da série histórica, iniciada em 2012, quando o IBGE começou a substituição da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) que abrange apenas seis regiões metropolitanas do Brasil. A PNAF Contínua verifica o nível de desocupação em todos os estados e capitais do Brasil.

O rendimento médio do trabalhador brasileiro teve em 2015 a primeira queda desde 2004, com recuo de 3,7% descontada a inflação. “O pior é a tendência de o desemprego crescer ainda mais nos próximos períodos, atingindo 12,5%, 13% neste ano”, diz Alvaro Bandeira, economista-chefe
do Home Broker Modalmais.

Veja integra na matéria da revista Exame de 14/03/2016