destro-de-casa

Na edição de Novembro da Revista Institucional, o sócio do Banco Modal Rodrigo Puga fala sobre o lançamento do novo canal de distribuição do grupo, o home broker modalmais. Veja um trecho da matéria:

O Banco Modal iniciou em outubro as operações de seu home broker, o modalmais, após cerca de dois anos de projeto no forno. O objetivo da iniciativa, conta o sócio Rodrigo Puga, é atender diretamente os investidores de varejo, através da oferta de produtos originados pelo próprio banco, tanto na renda, com CDBs, LCIs/ LCAs e debêntures, como na renda variável, viafundos de investimentos. “Dentro da estratégia do banco fazia sentido ter uma canal de disttribuição próprio, mesmo porque o varejo já demandava esses produtos, que até então oferecíamos através de terceiros”, comenta o executivo, que antes de atuar no modalmais trabalhou na criação dos home brokers Banifinvest e InvestBolsa, da Spinelli.

Embora o mercado de corretagem venha passando por um processo de redução, com o fim das operações da Souza Barros e a venda uma série de outras casas, a estratégia do modalmais para se diferenciar no atual ambiente, diz Puga, é ser uma casa multiprodutos, para que o investidor não tenha de buscar outra plataforma para diversificar seu portfólio. “Temos uma visão de mercado um pouco diferente das outras corretoras, que em alguns casos são praticamente monoproduto, e que além disso ainda dependem da disponibilidade dos veículos para que possa distribuí-los, já que elas não fazer origininação” pontua o especialista.

“No nosso caso, já iniciamos nossa operação com bolsa, Tesouro Direto, mas também com os produtos de renda fixa do Banco Modal. Nas próxima semana a expectativa é que a plataforma passe a oferecer os fundos de investimento da Moddal Asset, e no ínicio do ano que vem, fundos de terceiros. “Queremos ter os 20 ou 30 melhores fundos do mercado. A idéia é trazer para o mercado de varejo os serviços que já prestamos na área de private, não s´´o em termo de produtos com o de taxas” pondera o sócio do negócio.

Fonte: Revista Investidor Institucional
Edição de Novembro de 2015