São Paulo – Ainda que os últimos meses tenham mostrado que qualquer expectativa sobre a política e a economia brasileira pode estar redondamente enganada, também é fato que, diante de todas as turbulências, tentar antecipar os próximos movimentos é importante para ganhar dinheiro, ou evitar prejuízos.

Sendo assim, EXAME.com conversou com economistas e profissionais domercado financeiro para checar quais são as principais expectativas para a economia com o governo interino de Michel Temer e como elas afetam você, ou mais especificamente o seu bolso. Confira.

1) Dólar

Como seu bolso pode ganhar: o dólar pode cair com o maior otimismo em relação à economia

Como seu bolso pode perder: o dólar pode ficar estável ou subir se as medidas econômicas de Temer decepcionarem

Por mais que não se saiba qual será o desempenho da economia na gestão Temer, as variáveis financeiras, mais influenciadas pelo humor do mercado, já apresentam avanços há algum tempo, diz André Perfeito, economista-chefe da Gradual Investimentos. “É da natureza do mercado antecipar movimentos, por isso o dólar já subiu neste ano. Mas entre os países emergentes, o real é a moeda que mais subiu, então não deve subir muito mais.”

Para conter a disparada do dólar em 2015, o governo realizou operações de swap cambial que, de forma resumida, equivaleram à venda de dólares. Assim, segundo Perfeito, o governo interino deve aproveitar a euforia com a economia – que tende a conter a alta do dólar -, para desfazer suas posições de swap. “Agora, em 2016, o governo não está mais vendendo dólar, mas sim comprando, isso impede que o real fique muito forte”, diz.

Álvaro Bandeira, economista-chefe do Home Broker Modalmais, ressalta, porém, que o governo Dilma já desfez boa parte das operações de swap e pode permitir que o dólar ceda um pouco mais. “O governo estava trabalhando com uma faixa cambial entre 3,50 e 3,60 reais sem intervir. Agora acho que ele pode até deixar o dólar flutuar até uns 3,20 reais, mas não mais que isso para não prejudicar a exportação”, diz.

No entanto, Bandeira ressalta que a queda do dólar depende de como as medidas de Temer serão assimiladas pelo mercado. Caso os projetos do novo governo interino sejam mal digeridos, a moeda pode se manter estável, ou até subir.

Veja matéria na integra no portal exame.com.