As ações da Petrobras continuam em queda, depois que as cotações do petróleo em Londres e Nova York fecharam também em baixa. Segundo operadores, o cenário político também teve influência, mas menor do que aquela exercida por volta do meio-dia, quando saiu a notícia de que o processo de impeachment da presidente Dilma na Câmara dos Deputados foi anulado. Petrobras PN opera em baixa de 5,16%, a R$ 9,56, e ON recua 7,04%, a R$ 12,02. O Ibovespa cai 1,50%, aos 50.943 pontos.

Na Nymex, em Nova York, o barril do petróleo WTI para junho fechou em baixa de 2,73%, a US$ 43,44. Na ICE, em Londres, o contrato para julho caiu 3,83%, aos US$ 43,63. Rafael Ohmachi, analista da Guide Investimentos, afirma que os dados de comércio exterior da China, com queda nas exportações em abril, pesaram sobre as cotações do petróleo. Sobre o cenário político, Alvaro Bandeira, economista-chefe da Modalmais Home Broker, afirma que os investidores “tomaram um susto” quando da divulgação da notícia, mas que depois o mercado se acalmou. Nas mínimas do dia, Petrobras PN chegou a cair mais de 12%. “Não se acredita numa reviravolta no processo de impeachment. Mas acredito que a mistura do ambiente doméstico com esses dados da China provoca a queda dos papéis”, afirma. (Renato Carvalho – renato.carvalho@estadao.com)

Veja matéria na integra em AE News Broadcast de 09/05/2016