A Bovespa manteve as perdas no início do pregão desta quinta-feira, 2, com os investidores digerindo as notícias em torno da divulgação do resultado do Bradesco menor que o esperado e com provisões em alta. Sem grandes novidades no front doméstico, os investidores seguem de olho em Brasília, com a eleição do novo presidente da Câmara dos Deputados e o sorteio do, também novo, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).
Na ausência de notícias diferentes que possam influenciar os preços, o fluxo de recursos ganha importância, lembra Álvaro Bandeira, economista-chefe da ModalMais. Na quarta, o giro pode ter sido determinante para garantir a leve alta de 0,24%. O volume de negócios somou R$ 7,88 bilhões, superior à média diária de janeiro, de R$ 6,78 bilhões.

Do ponto de vista microeconômico, o resultado do Bradesco, de R$ 3,592 bilhões no quarto trimestre do ano passado, foi 17,5% menor que o registrado um ano antes (R$ 4,353 bilhões) e veio menor do que a previsão dos analistas. Na comparação com o trimestre imediatamente anterior, quando totalizou R$ 3,236 bilhões, porém, foi identificada elevação de 11,0%.

Isso traz instabilidade para as ações do setor financeiro, uma vez que o banco é considerado a proxy de outros grandes, principalmente Itaú Unibanco, disse um analista de uma corretora. Itaú Unibanco divulgará os resultados do quarto trimestre de 2016 no próximo dia 7.

As ações do banco lideravam as baixas do Ibovespa, puxando consigo as ações do setor que representa pouco mais de 25% da carteira teórica do índice. Às 10h57, Bradesco PN recuava 4,32%, Itaú Unibanco PN cedia 1,52% e Banco do Brasil ON, 1,41%. O índice declinava 0,71%, aos 64.381,12 pontos, às 10h57.

Ainda sem referência de preço externo para o minério de ferro, em função do feriado chinês, a Vale faz encontro com analistas e investidores no Rio de Janeiro. Com ganhos acima de 30% só neste ano, sempre há espaço para realizar.

Fonte: Veja matéria na íntegra na Revista Isto é DInheiro de 02/02/2017

Veja na íntegra