Os mercados internacionais abriram esta sexta-feira com tendência ligeiramente positiva, na expectativa pela divulgação do relatório de emprego nos Estados Unidos (payroll) e também por conta de mais um dia de alta importante do minério de ferro na China, superior a 5%. Ontem, a Vale superou os R$ 600 bilhões em valor de mercado, movimento que deve continuar acompanhando a cotação do principal insumo produzido pela mineradora.

Por aqui, os investidores continuam atentos à temporada de balanços do primeiro trimestre de 2021. Na noite de ontem, destaque para o Banco do Brasil, última das grandes instituições financeiras listadas a anunciar seus resultados. O BB registrou lucro líquido ajustado de R$ 4,913 bilhões, 44,7% maior que os R$ 3,395 bilhões do mesmo período de 2020 e 32,9% superior aos últimos três meses do ano passado.

Ainda no setor financeiro, a B3 teve lucro não recorrente de R$ 1,25 bilhão entre janeiro e março, 22,5% acima do mesmo intervalo de 2020 e 14,5% superior ao quarto trimestre. O lucro recorrente atingiu R$ 1,4 bilhão, alta de 15,5% frente ao mesmo período do ano passado. O Ebitda recorrente atingiu R$ 1,946 bilhão, representando uma elevação de 24% na comparação anual.

No segmento de varejo, ontem foi a vez de B2W e Lojas Americanas divulgarem seus resultados. A primeira apresentou prejuízo de R$ 163,6 milhões, 51,5% maior que a perda no mesmo período do ano passado. O Ebitda ajustado ficou em R$ 129,4 milhões, alta de 1,4%. O volume de vendas (GMV) da companhia ficou em R$ 8,6 bilhões, alta de 90,4% na comparação anual.

A Americanas apurou prejuízo consolidado de R$ 163 milhões, perda mais de 3 vezes superior à de um ano antes. O Ebitda somou R$ 461,5 milhões, queda de 21,5% na comparação anual.

 

Outros resultados

A JHSF Participações registrou lucro líquido de R$ 191,5 milhões no primeiro trimestre deste ano, o que representa uma alta de 11,7 vezes sobre o resultado do mesmo período do ano passado, de R$ 16,3 milhões. O Ebitda somou R$ 232 milhões, aumento anual de 256%. O indicador ajustado foi de R$ 241,3 milhões, alta de 373,3%.

O Burger King Brasil registrou prejuízo líquido de R$ 162,4 milhões entre janeiro e março, quase três vezes maior que as perdas de um ano antes. O Ebitda ficou negativo de R$ 37,6 milhões no trimestre, revertendo o indicador positivo de R$ 8,7 milhões do mesmo intervalo de 2020.

Atenção também para as elétricas, especialmente Cemig e Taesa. Ontem, a estatal mineira apresentou um cronograma do leilão para venda de sua fatia na transmissora. A empresa deu início ontem ao processo de diligência para potenciais interessados, que vai até 30 de julho, quando devem ser entregues os envelopes para participação do certame.

A InterCement, controlada da Mover Participações (ex- Camargo Corrêa), e a CSN Cimentos estão se preparando para listar seus papéis na B3 até meio do ano, segundo informações do Valor Econômico. A cimenteira da CSN está definindo nos próximos dias o consórcio de bancos para sua operação de IPO. A expectativa da empresa é levantar entre R$ 2 bilhões e R$ 3 bilhões.

Agenda Econômica

Na agenda de indicadores econômicos desta sexta, destaque para o levantamento de vendas no varejo pelo IBGE. Em março, as vendas caíram 0,6% em relação a fevereiro, e subiram 2,4% na comparação com o mesmo mês de 2020. No primeiro trimestre deste ano, as vendas acumulam queda de 0,6%, e em 12 meses, alta de 0,7%.

O IGP-DI registrou alta de 2,22% em abril, após um avanço de 2,17% em março, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV). Com o resultado, o indicador de inflação acumula uma elevação de 10,38% no ano e avanço de 33,46% em 12 meses.

 

Por Equipe Eleven Financial