O Bitcoin é a criptomoeda moeda mais famosa do mundo. No entanto, você sabe qual a origem dessa moeda digital que chama cada vez mais a atenção de investidores e analistas?

Apresentando um alto potencial de inovação na forma como as transações financeiras acontecem pelo mundo, essa é uma ferramenta que pode revolucionar o mercado em diversos aspectos.

Contudo, por ser uma ferramenta pouco tradicional, muitas pessoas ainda ficam reticentes e em dúvida se devem ou não investir na moeda virtual.

Poucas compreendem o que é, como funciona e quais são os níveis de segurança que ela apresenta. Por conta disso, elaboramos este texto com as principais informações que ajudarão você a compreender o Bitcoin. Acompanhe!

 

O que é o Bitcoin?

De maneira geral, o Bitcoin pode ser entendido como uma moeda digital e descentralizada. Ela funciona como um dinheiro comum, mas não é ligada a nenhum governo ou banco. As transações feitas em Bitcoin são mediadas por computadores ao redor de todo o mundo, chamadas de “transações ponto a ponto” ou peer to peer (P2P), o que tornou essa a primeira rede de pagamento descentralizada do mundo.

A moeda foi criada em 2007, registrada com o domínio “bitcoin.org”. Em novembro do mesmo ano, um estudo publicado por Satoshi Nakamoto (pseudônimo utilizado pelos criadores do Bitcoin) apresentava uma lista de discussões sobre as chamadas criptomoedas (um meio de troca digitalizado que utiliza de tecnologias de blockchain e criptografia como garantia de segurança).

Em 2009, Nakamoto aprimorou e lançou o software por trás do Bitcoin com código aberto. A partir de então, toda e qualquer pessoa no mundo, por meio de um computador, passou a poder realizar as transações com essa criptomoeda — além de poder fornecer o seu próprio computador como ferramenta para garantir a segurança das trocas.

 

Como funciona?

Compreender totalmente como funcionam as criptomoedas pode ser uma tarefa complexa. Mas não é necessário um grande aprofundamento técnico para entender como funcionam na prática. A seguir, listamos alguns dos procedimentos essenciais para iniciar transações com Bitcoins.

 

Carteira

Para ser um novo usuário de Bitcoin, é necessário instalar uma carteira de Bitcoin em um computador ou telefone celular. É essa carteira que armazena as chaves-privadas do usuário. Essas chaves são responsáveis por gerar os endereços necessários para as transações da criptomoeda, sendo possível criar mais deles sempre que necessário.

É por meio desse endereço que as transações serão realizadas, podendo receber ou enviar pagamento (do mesmo tipo de criptomoeda, que no caso em questão é o Bitcon) a outras pessoas. É importante notar que cada endereço só deve ser utilizado uma única vez.

 

Saldo

O saldo de uma carteira é garantido por meio da chamada “blockchain”. Em termos gerais, o blockchain é uma espécie de livro registro de contabilidade que é compartilhado publicamente por toda a rede bitcoin.

Quando uma transação é realizada, ela é propagada para todos os computadores ligados à rede de blocos. A função dessa rede é verificar e garantir a validade da transação, por isso a informação é encriptada e privada, não sendo possível rastrear quem a adicionou na rede.

 

Transações

As transações em bitcoin seguem o padrão de transações financeiras comuns. Uma carteira que possui a moeda transfere determinado valor para outra carteira. No caso das carteiras bitcoin, elas possuem uma informação secreta, chamada chave privada ou “semente”, que é utilizada como uma assinatura das transações. Todas as transações são divulgadas entre os usuários e começam a ser confirmadas em aproximadamente 10 minutos, por meio da mineração.

 

Mineração

A mineração é um sistema de consenso distribuído que serve para confirmar as transações realizadas e incluí-las no livro de registro de contabilidade compartilhado e que é utilizado por toda a rede de Bitcoin: o blockchain.

O intuito é que diferentes computadores, por meio de uma série de cálculos matemáticos, possam concordar sobre o estado do sistema e confirmar as transações. Para isso, cada transação é verificada pela rede por meio de regras criptográficas, que previnem que os blocos antigos sejam modificados.

É importante notar que nem todo usuário de Bitcoin é um mineiro, pois fazer a mineração exige muito processamento de dados. Por isso, aqueles que fornecem os seus computadores são recompensados com taxas das transações confirmadas e novas moedas em cada bloco. O benefício é distribuído de acordo com o número de cálculos processados.

 

Quais as vantagens do Bitcoin?

Depois de conhecer um pouco melhor como funciona essa criptomoeda, é válido pensar a respeito das vantagens que ela apresenta. A seguir, listamos algumas delas:

  •  É universal: uma das principais vantagens é que o Bitcoin não está atrelado a nenhum governo ou banco, o que permite que as suas transações sejam feitas ao redor de todo o mundo;
  •  Não pode ser manipulado: como é uma moeda digital descentralizada, o Bitcoin não fica refém da manipulação de instituições políticas e financeiras, havendo um maior controle do usuário sobre ele;
  •  Garante segurança nas informações: realizar compras por meio de Bitcoin na internet possibilita uma maior segurança de dados, pois as informações são criptografadas;
  •  Evita inflações: ao contrário do dinheiro fiduciário (dólar, euro, real, etc.), o Bitcoin tem uma quantidade máxima a ser atingida, não podendo ultrapassar o protocolo escrito em sua criação. Dessa forma, a emissão de moeda é controlada, o que impede a hiperinflação.
    moedas em cada bloco. O benefício é distribuído de acordo com o número de cálculos processados.

 

Quais as tendências e correções?

Ainda que a criptomoeda apresente um ciclo de alta, o preço nunca segue uma linha reta. Correções são naturais e, até mesmo, necessárias. Apesar disso, a tendência de alta tende a permanecer depois de correções.

Em 2017, por exemplo, o Bitcoin passou a maior parte de seu tempo em tendência de alta , tendo apenas 98 dias em baixa ao longo de todo o ano. Ou seja, a moeda ficou em tendência de alta em 73% do ano. Nesse sentido, é importante compreender que as correções são comuns, acontecendo geralmente a cada trimestre.

 

Como investir na moeda virtual?

Basicamente, existem algumas formas de investir em Bitcoins e outras criptomoedas: comprando cotas em fundos de criptomoedas, negociando a moeda diretamente em corretoras especializadas (chamadas Exchange), aceitando moedas digitais como pagamento ou minerando.

 

Fundos de criptomoedas

Essa é uma das formas mais simples de investir em criptomoeda. Desde 2018, é permitido que fundos brasileiros façam investimentos dessa natureza no exterior. Essas carteiras são fornecidas por corretoras e outras plataformas de investimento, que compram derivados ou cotas de fundos internacionais de criptomoeda.

É uma opção interessante para quem não se sente muito seguro no mercado de moedas virtuais e, por isso, prefere não se arriscar sozinho. Investindo em um fundo de criptomoeda, você conta com o auxílio de um gestor especializado que irá realizar as operações.

 

Exchanges

Essa é outra forma relativamente simples de investir em Bitcoin. Uma exchange é uma corretora especializada em criptoativos, ou seja, plataformas eletrônicas que fazem a intermediação de compra e venda das moedas digitais.

Essa também é uma opção interessante para quem não quer correr muitos riscos, pois uma exchange possibilita uma maior confiança na transação. Ela funciona basicamente como uma corretora de valores comuns, cobrando pelo serviço de intermediação e liquidação.

 

P2P

Outra forma de investir em Bitcoin é comprando a criptomoeda diretamente de outras pessoas, sem passar por uma corretora ou Exchange. A vantagem dessa modalidade é que ela não conta com intermediários, o que permite um maior aproveitamento da transação.

Mas para fazer uma transição de pessoa para pessoa, é importante que você tenha confiança na origem dos recursos transitados, afinal, golpes nesse formato de transição são muito comuns.

Como você pôde notar, o investimento em Bitcoin surge como uma opção diferenciada para quem busca aumentar seu capital.

 

Contudo, lembre-se de ter cautela e procurar formas seguras de operar, que sejam compatíveis com os seus objetivos e perfil de investidor.

Para ficar por dentro das melhores informações sobre o mercado financeiro e saber mais sobre criptomoedas e outras formas inovadores de lidar com os seus investimentos, assine a nossa newsletter .