O Ibovespa é o principal índice da Bolsa de Valores brasileira. Basicamente, ele mede o desempenho das ações mais líquidas listadas.

Portanto, esse indicador pode ser utilizado como benchmark para os investimentos em renda variável.

Com os juros baixos da economia e a mudança no cenário doméstico, investir no Ibovespa tende a ser uma boa alternativa.

Apenas em 2019, ele rendeu 32% e está nas suas máximas históricas. A expectativa é que, em 2020, o índice continue a oferecer retornos atrativos.

Portanto, investimentos como ETFs, ações e contratos futuros relacionados ao Ibovespa podem trazer bons resultados.

Mesmo assim, você precisa entender como esse índice funciona e como investir agora mesmo nele de forma segura.

Neste artigo, preparamos um guia completo com tudo sobre o Ibovespa. Veja só o que você vai aprender:

 

  • O que é o Ibovespa (B3)?
  • Histórico do Ibovespa
  • Cotações do Ibovespa
  • Quais ações compõem o Ibovespa?
  • Como funciona o Ibovespa
  • Vale a pena investir no Ibovespa?
  • Como investir no índice Ibovespa com o modalmais

 

Boa leitura!

 

O que é o Ibovespa (B3)?

A união entre BM&F Bovespa e a Cetip ocorreu em 2017

 

O Ibovespa (IBOV) é uma carteira teórica das ações que correspondem cerca de 80% volume de negociação na Bolsa de Valores brasileira.

Esse índice é composto por 73 papéis de 70 empresas diferentes, como a Petrobrás, Vale e Banco Itaú.

O que é a B3?

A B3 é também uma empresa resultante da união da Bolsa de Valores com a Cetip. A sua sigla significa Brasil, Bolsa e Balcão.

Ela é responsável pela custódia, negociação, liquidação e demais serviços relacionados aos ativos mobiliários, como commodities e derivativos.

Portanto, ao negociar uma ação ou vender um título público através de uma corretora, a B3 participará dos trâmites.

Além dos ativos mencionados, essa instituição também é responsável por definir as composições dos índices, como o Ibovespa.

A B3 é uma das empresas listadas na bolsa de valores sob a sigla B3SA3 e faz parte do IBOV.

Histórico do Ibovespa

O Ibovespa foi criado em 1968 pela Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Ele foi desenvolvido com a finalidade de modernizar o mercado brasileiro.

Além disso, a ideia era fornecer aos investidores uma forma mais acessível de avaliar as ações.

Altas e baixas do Ibovespa

Nestes mais de 50 anos de história, o Ibovespa passou por diversos acontecimentos no Brasil e no mundo.

Sem contar que ele já foi cotado em várias moedas diferentes, por exemplo, cruzados, cruzeiros e reais.

Desde 1968 até dezembro de 2017, o Ibovespa acumulou rendimento de 2.481,39%.

Então, quem investiu R$ 10 mil no índice neste período, obteve R$ 258.139,00, isso sem considerar os dividendos.

 

Conheça agora o gráfico do Ibovespa desde o início do Plano Real em 1994:

Cotações históricas do IBOV - Fonte: B3

Cotações históricas do IBOV – Fonte: B3

 

Historicamente, as maiores altas do Ibovespa ocorreram em:

  • 2008: o Ibovespa atingiu mais de 70 mil pontos, mesmo com a crise que atingiu as maiores economias do mundo, como os EUA e países europeus. Nessa época, o cenário doméstico era bastante favorável e o Brasil registrou alta de 5,2% no PIB.
  • 2010: o índice volta para os 70 mil pontos, puxado pela recuperação dos países atingidos pela crise de 2008.
  • 2016: o impeachment de Dilma Rousseff e o início do governo Temer marcaram a recuperação do Ibovespa. Ele registrou recorde próximo a 85 mil pontos por conta das reformas estruturais, medidas de recuperação da crise e controle dos juros.
  • 2019: esse foi o ano em que o Ibovespa registrou sucessivos recordes. Até 14 de janeiro de 2019, ele registrou cotação acima de 117 mil pontos. A reforma da previdência, continuidade no controle de juros e políticas liberais estão entre os motivos para as altas no índice.

 

Já as maiores baixas do Ibovespa foram registradas em:

  • 2009: com o agravamento da crise mundial, o Brasil também sofreu consequências. Assim, o Ibovespa chegou aos 30 mil pontos.
  • 2016: a crise político-econômica no governo de Dilma Rousseff, marcada pela mudança na matriz econômica, revelação de casos de corrupção e descontroles de juros levaram o Ibovespa a registrar cerca de 38 mil pontos.
  • 2018: a alta dos combustíveis e demais descontentamentos gerou a greve dos caminhoneiros. Muitas empresas foram atingidas, seja pela falta de insumo ou impossibilidade de transportar as suas mercadorias. Assim, o índice registrou 70 mil pontos.

 

Ibovespa em 2019

O ano de 2019 foi bastante positivo para a renda variável. A melhora no cenário brasileiro favoreceu a entrada de novos investidores na Bolsa de Valores.

De acordo com a B3, em dezembro de 2019, havia mais de 1,6 milhões de pessoas físicas registradas. O aumento foi acima de 95% em relação à 2018.

Além disso, quatro novas empresas passaram a ser listadas na bolsa brasileira: Centauro, Vivara, C&A e BMG.

 

Veja o gráfico do Ibovespa em 2019:

Gráfico do IBOV em 2019 - Fonte: B3

Gráfico do IBOV em 2019 – Fonte: B3

 

O Ibovespa começou 2019 próximo dos 95 mil pontos, principalmente com o otimismo em relação à vitória de Jair Bolsonaro nas eleições.

Depois disso, o índice sofreu quedas até alcançar cerca de 90 mil pontos. Elas se deram pelos atrasos no cronograma da reforma da previdência, sinais de desaceleração global e impasses na guerra comercial entre China-EUA.

Com o avanço da agenda do governo e diversas melhorias realizadas, o Ibovespa voltou a subir.

Perceba que é normal que o índice sofra algumas quedas pelo caminho, principalmente porque ocorreram diversos impasses no cenário brasileiro e exterior.

Assim, o Ibovespa fechou 2019 com alta de 32% e atingiu o recorde de 117 mil pontos.

Projeções para 2020

Como mostrado no gráfico anterior, 2020 começou em clima otimista. Assim, o Ibovespa avançou acima dos 117 mil pontos.

 

Até o momento, ele atingiu a sua máxima histórica logo no primeiro pregão do ano, no dia 2 de janeiro, com 118.573,10 pontos.

As projeções indicam que o Ibovespa poderá avançar ainda mais durante 2020, principalmente se mais reformas estruturais forem aprovadas.

Outro ponto é a melhora na economia. Com isso, os juros tendem a permanecer baixos ao longo do ano, o que estimula o consumo.

Ainda temos a lei da Liberdade Econômica e o Programa Verde Amarelo, que podem diminuir o desemprego, que, até novembro de 2019, estava em 11,2%.

Portanto, há possibilidade de que o lucro das empresas aumente, principalmente as do setor da construção civil, saneamento, energia e varejo.

Sem contar que com as novas políticas adotadas pelo Ministério da Infraestrutura, os investidores estrangeiros podem voltar a investir no país, seja através de Bolsa ou por concessões.

Então, este tende a ser o momento ideal para fazer o seu dinheiro render mais com ativos ligados ao Ibovespa.

Ligações externas

No final de 2019, a China e os EUA, finalmente, chegaram à um acordo sobre a guerra comercial.

A expectativa é de que ambos os países assinem o acordo ainda em 2020. Esse fator poderá diminuir a volatilidade na Bolsa brasileira.

No dia 13 de janeiro de 2020, o parlamento britânico aprovou o Brexit. O Reino Unido deverá deixar a União Europeia até 31 de janeiro.

Isso pode gerar enfraquecimento no bloco europeu e corroborar para a desaceleração global, o que tende a favorecer o fluxo de estrangeiros para a Bolsa brasileira.

O Brexit também abre oportunidades de acordos bilaterais entre o Brasil e o Reino Unido. Caso isso ocorra, as empresas e commodities brasileiras podem se beneficiar.

Por fim, é preciso considerar a volta do kirchnerismo na Argentina, que é um dos maiores parceiros comerciais do Brasil.

Então, caso haja a deterioração nas relações entre os países, é possível que a Bolsa brasileira sinta os efeitos.

Cotações do Ibovespa

A B3 possui mais de 20 índices diferentes

A cotação do Ibovespa muda diariamente com base nas expectativas dos investidores em relação à cada uma das ações que o compõe.

 

Índices do Ibovespa (hoje)

Além do Ibovespa, a Bolsa brasileira possui outros índices baseados em outros indicadores de mercado. Conheça alguns deles:

 

  • IDIV: é o índice das maiores pagadoras de dividendos da Bolsa brasileira.
  • IFIX: este é o benchmark do mercado de fundos imobiliários.
  • SMLL: consiste no índice das small caps
  • ISE: ele reúne as empresas com melhores práticas de sustentabilidade.
  • IBrX-50: é o índice das 50 maiores companhias brasileiras.

Ibovespa futuro

O Ibovespa futuro pode ser entendida como um termômetro do pregão antes da abertura do mercado.

A sua cotação é calculada com base na negociação dos contratos futuros do índice.

Então, se você já ouviu falar que o Ibovespa futuro estava caindo, isso pode sinalizar que as ações vão cair durante o dia.

Tenha em mente que é possível lucrar com esse termômetro de mercado através dos contratos futuros. Ainda neste artigo, vamos mostrar como você deve começar.

Ele também tende a ser útil para os traders montarem as estratégias e ordens de compra/venda logo antes da abertura do pregão.

Quais ações compõem o Ibovespa ?

As commodities têm grande influência no IBOV

 

Muitas empresas conhecidas no Brasil fazem parte do Ibovespa. Na sua composição atual, o principal setor é o financeiro com cerca de 33% de peso no índice.

Em seguida, temos o de energia e o de materiais com, aproximadamente, 13% cada um. Portanto, as primeiras 10 ações com maior peso do IBOV são:

 

AçãoPeso (%)
VALE38,429
ITUB48,018
PETR46,616
BBDC46,505
B3SA34,382
PETR34,230
ABEV34,031
BBAS33,452
ITSA42,934
JBSS32,247

Principais ações do IBOV – Fonte: B3

 

É importante lembrar que o índice é rebalanceado quadrimestralmente. No último ajuste, em janeiro de 2020, quatro novas companhias entraram no IBOV, como a TOTVS e a Hapvida.

Como funciona o Ibovespa?

Possivelmente, você já deve ter visto nos jornais, por exemplo, que o Ibovespa fechou o dia com alta de 2%.

Mas, o que isso significa? Conheça agora o sistema de pontos deste índice.

Como funciona o sistema de pontos da Bovespa?

A pontuação do Ibovespa nada mais é do que uma média ponderada de todas as 73 ações que o compõe.

Então, se ele subir 2%, isso representa que a maioria dos papéis sofreu alta próxima desse valor. Mas, lembre-se de que alguns deles podem ter, até mesmo, caído durante o pregão.

Quanto vale um ponto do índice?

Um ponto no Ibovespa corresponde a R$ 1 . Então, se ele está cotado a 117 mil pontos, a carteira teórica equivale a R$ 117 mil.

Quanto vale um ponto do mini-índice?

Um ponto de variação no Ibovespa representa R$ 0,20 no mini índice.

Vale a pena investir no Ibovespa?

O investimento no IBOV é realizado a partir das corretoras de valores

 

Investir no Ibovespa pode ser uma boa alternativa para obter ganhos em ações alinhados ao mercado.

Sem contar que ele é o maior índice da Bolsa brasileira. Portanto, há mais ativos atrelados à ele no mercado, como o BOVA11 e o mini índice.

O investimento em Ibovespa também pode ser uma forma de diversificar a sua carteira. Assim, é possível ganhar mais e diluir os riscos.

Por fim, você deve investir neste índice se possuir perfil de investidor compatível com o desejado, que é o moderado ou arrojado.

Tenha em mente que o Ibovespa varia constantemente: é preciso ter estômago.

Como investir no índice Ibovespa com o modalmais

Os mini contratos de Ibovespa costumam ser os ativos mais procurados pelos investidores

 

O investimento no IBOV pode ser feito de duas formas. Na direta, temos os contratos futuros ou as ações que compõem o índice.

Já na indireta, há os ETFs, como o BOVA11. Eles são portfólios com objetivo de rentabilidade próximo do indicador de referência, por exemplo, o Ibovespa.

A diferença entre estas duas formas está no risco. A direta costuma oferecer ganhos maiores e riscos proporcionais.

No modalmais, você encontra estes investimentos incríveis para fazer o seu capital render a partir de agora.

Para começar,  você só precisa abrir a sua conta. O cadastro é simples e rápido.

Em seguida, transfira o valor a ser investido no Ibovespa da sua conta bancária para a conta na corretora.

Agora, é só entrar na sua plataforma e escolher o ativo mais adequado aos seus objetivos, como um mini contrato ou ETF.

Feito isso, é só deixar o seu dinheiro trabalhar para você!

Conclusão

Abra a sua conta e comece a fazer o seu dinheiro render mais a partir de agora!

 

O Ibovespa nasceu com o propósito de representar a economia brasileira. Com o passar dos anos, ele se concentrou mais em determinados setores, como o financeiro.

Mesmo assim, o índice é o principal parâmetro de comparação de desempenho na renda variável.

Ao longo dos seus mais de 50 anos, o Ibovespa passou por diversas altas e baixas. No geral, quem investiu nele no passado, hoje colhe bons resultados.

 

Continue a aprender sobre investimentos com estes outros artigos do nosso blog:

 

 

Perceba que as oscilações do presente não devem sobressair o retorno que o investimento em ações pode oferecer no médio e longo prazos.

Então, se você pretende construir patrimônio de maneira sólida, os ativos atrelados ao Ibovespa tendem a ser boas alternativas.

Para fazer o seu dinheiro render mais, você só precisa abrir a sua conta no modalmais ainda hoje.

Aqui, você encontrará os melhores investimentos relacionados ao IBOV e ainda poderá contar com todo o auxílio da nossa equipe.

 

Obrigado por ler até aqui!