O mercado de opções é muito volátil, o que torna o risco dessa operação altíssimo, ponto este que pode ser uma ferramenta a favor do investidor se levado em consideração alguns detalhes importantes.

A fim de minimizar esse risco muitos investidores utilizam uma estratégia que chamamos de trava de alta, por meio dela o investidor acaba limitando o seu ganho na troca de também estipular um prejuízo mínimo para operação.

 

O que são travas?

Antes de mostrarmos um exemplo de como funciona a trava de alta, é necessário entender como que se trabalha com travas no mercado de opções.

Trava é toda operação construída com duas opções com objetivo de maximizar o lucro reduzindo o prejuízo.

Quando compramos apenas uma opção, trabalhamos com a opção a seco, isto é, o investidor está expondo todo seu capital investido e qualquer oscilação nesse derivativo pode acarretar em um prejuízo que poderia ser minimizado através de uma trava.

 

Operação com opção a seco:

Suponhamos que o investidor realize uma compra de opção a seco, com as seguintes informações:

Ativo-objeto Petr4

Cotado mercado a vista $ 30,00

Opção Petrl32

Quantidade 1000

Prêmio $ 0,50

Strike $ 32

Custo da operação: Q x P = 1000 x $ 0,50 = $ 500,00. 

A estratégia tem como objetivo que o preço do ativo-objeto supere o valor do strike, para que seja exercido o direito de compra ou venda da opção, ganhando com o spread da operação.

Em um outro cenário, se o ativo-objeto se manter abaixo dos $ 32,00, não fará sentido o direito de exercício de compra, e o valor do prêmio da opção poderá chegar ao custo zero (chamamos “virar pó” no jargão de mercado), acarretando um prejuízo total da operação.

 

Como podemos utilizar a trava de alta para essa operação?

A trava de alta consiste em comprar uma call At-the-money e vender uma call Out-the-money com a mesma data de exercício.

Suponhamos que o ativo Petr4 esteja cotado a $ 30, considerando também o otimismo que o ativo estará acima do preço nos próximos dias. Identificamos através da trava de alta, uma ótima oportunidade para aproveitar essa expectativa trabalhando com um volume financeiro pequeno, e aproveitando a alavancagem desse mercado minimizando nosso prejuízo caso a operação não dê certo.

 

Como montar uma trava de alta?

Dados da opção

Opação At-the-money:

Ativo-objeto Petr4

Cotado mercado a vista $ 30,00

Opção Petrl32

Quantidade 1000

Prêmio $ 0,50

Strike $ 32

Custo da operação: Q x P = 1000 x $ 0,50 = $ 500,00.

Total debitado na compra $ 500,00

 

Dados da opção

Out-the-money:

Ativo-objeto Petr4

Cotado mercado a vista $ 30,00

Opção Petrl34

Quantidade 1000

Prêmio $ 0,30

Strike $ 34

 

Custo da operação: Q x P = 1000 x $ 0,30 = $ 300,00

Total creditado na venda $ 300,00

A operação então será estruturada:

Compra de 1000 a $ 0,50 = $ 500,00 – Venda de 1000 a $ 0,30 = $ 300,00

Custo da trava $ 500,00 – $ 300,00 = $ 200,00

 

Ilustração utilizando o gráfico:

Explicação:

Identificamos que se o ativo permanecer abaixo dos $ 32,00 teremos um limite de prejuízo apenas de $ 200,00.

$ 0,50 – $ 0,30 x 1000 = $ 200,00

 

Confirmando a expectativa otimista, se o ativo superar o valor de $ 32,50, e chegue em $ 34,00, teremos um lucro de $ 1800,00.

$ 34,00 – $ 32,00 = $ 2,00 x quantidade 1000 = $ 2000 – $ 200 (custo inicial da operação) = $ 1800,00

 

Percentualmente a operação teve uma rentabilidade significativa de 800%.

$ 1800,00 – $ 200 (custo da operação) = $ 1600,00

$ 1600,00/$ 200,00 = 8 x 100 = 800%

 

Comparando as duas simulações:

A operação com opção a seco se tivesse um prejuízo, teria perdido $ 500,00, que representa 100% do capital alocado.

A operação com trava se tivesse um prejuízo, teria um stop de $ 200, que representa do capital inicial 40%.

A trava de alta nesse caso torna-se muito mais vantajosa, pois possibilita um retorno atrativo diminuindo o risco da operação.

 

Conclusão

Através do artigo supracitado e dos exemplos simulados, notamos que quando trabalhamos com a estratégia de trava podemos obter um lucro significativo minimizando o prejuízo da operação.