A análise fundamentalista ajuda o investidor na decisão de compra e venda de ações. Seu objetivo é indicar quais papéis têm maior potencial de valorização e outras oportunidades de mercado.

Com base em dados econômicos, indicadores do mercado financeiros e resultados das empresas, a análise fundamentalista é uma das principais estratégias para determinar os melhores ativos para investir.

Para explicar melhor essa ferramenta, criamos esse guia completo para apresentar tudo que você precisa saber sobre análise fundamentalista. Vamos apresentar desde os conceitos, até nas formas como essa estratégia é aplicada na prática.

 

Nesse artigo, você aprenderá sobre:

 

  • O que é análise fundamentalista
  • Diferença entre análise fundamentalista e análise técnica
  • Como analisar as ações com fundamentos
  • 8 termos da análise fundamentalista explicados
  • Análise fundamentalista é indicada para o longo prazo?
  • Como investir em ações na modalmais

 

Boa leitura!

 

O que é análise fundamentalista

Aprenda os conceitos básicos da análise fundamentalista.

 

A análise fundamentalista é uma ferramenta que possibilita ao investidor ter informações construtivas sobre empresas listadas na bolsa de valores, assim como o potencial de investimento de cada uma.

Trata-se de uma metodologia utilizada para mapear e estudar a saúde financeira de um negócio, qual sua possibilidade de crescimento, além de sua qualidade da gestão.

Desse modo, essa é uma excelente maneira de criar uma análise panorâmica de determinadas empresas e seus ativos.

A análise fundamentalista tem seu foco nos investimentos de longo prazo, com o objetivo de identificar oportunidades de valorização, através da revisão do histórico da companhia.

Porém, não significa que a análise fundamentalista não possa ser utilizada também em cenários mais dinâmicos.

Essa metodologia é uma das mais importantes do mercado econômico. Afinal, engloba um amplo espectro de análises e permite que o investidor entenda exatamente onde está aplicando seu dinheiro.

Considerado o precursor da técnica, o economista americano Benjamin Graham dizia que o preço de uma ação deve refletir a expectativa de desempenho da mesma.

Com isso, ele procurava identificar indicadores de sucesso futuro. Dessa forma, é possível escolher empresas com potencial de valorização para investir.

A análise fundamentalista é frequentemente utilizada como a técnica preferida por investidores que utilizam a estratégia de buy and hold. Ou seja, compram ações que julgam subvalorizadas e esperam sua valorização em períodos no médio a longo prazo.

 

Diferença entre análise fundamentalista e análise técnica

Conheça as distinções entre esses dois modelos de análise.

 

Existem diversas dúvidas sobre a diferença entre a análise fundamentalista e a análise técnica. Mas, na verdade, são duas metodologias muito distintas.

A análise fundamentalista leva em consideração diversos fatores em sua avaliação. Entre eles, estão os fundamentos quantitativos – que podem ser medidos em números – e qualitativos.

Os fundamentos qualitativos são os mais difíceis de expressar em gráficos, por exemplo, e exigem um olhar mais detalhado.

A seguir, veja alguns dos principais fundamentos considerados nesta metodologia.

No ambiente macroeconômico:

  • Nível de atividade
    • PIB
    • Emprego
    • Renda
  • Inflação
    • Poder de compra
    • Preços do ativo
  • Taxa de câmbio
    • Competitividade no mercado global
  • Taxa de juros
    • Crescimento no mercado

 

No panorama setorial:

  • Tamanho e faturamento
    • Per capita
    • Relação histórica
  • Capacidade instalada
    • Diferenciais competitivos
  • Tecnologia
    • Importação
    • Exportação
  • Novos produtos

 

Quanto à análise da empresa:

  • Análise histórica
    • Desempenho financeiro
    • Balanço
    • Demonstrativo de resultados
    • Fluxo de caixa
  • Análise qualitativa
    • Gestão
    • Reputação
    • Reconhecimento

 

A análise técnica, por sua vez, utiliza apenas gráficos que representam o preço das ações de uma empresa, em determinado período. O princípio é que, em operações de curtíssimo prazo, esse é o único fator determinante.

Dessa maneira, a análise técnica é mais rápida, dinâmica e visual que a fundamentalista. Mas, como você já deve ter percebido, essas são duas metodologias com objetivos muito distintos.

 

Qual objetivo da análise técnica?

A análise técnica tem o objetivo de identificar tendências nas oscilações do preço de ativos. Assim, é utilizada para determinar quais ações têm alto potencial de valorização no curtíssimo prazo.

Como as operações são realizadas no mesmo dia – ou em questão de horas, não há tempo para uma análise mais detalhada.

Além disso, ela também não é necessária: quando todas suas posições serão zeradas ao final do dia, não é importante se a empresa tem uma boa gestão no longo prazo, por exemplo.

Com isso, a análise técnica é amplamente utilizada por investidores que favorecem o day trade.

Se você estiver interessado em aprender mais sobre esse método, leia nosso guia sobre análise técnica neste link.

 

Como analisar as ações com fundamentos

Qual é a aplicação prática da análise fundamentalista?

 

A análise fundamentalista é um processo que envolve inúmeras etapas. Ela envolve o entendimento de diversos conceitos e também o levantamento de algumas informações.

A seguir, apresentamos os passos necessários para realizar a análise fundamentalista. No entanto, para aplicar a análise na prática, também é necessário aprender alguns dos principais termos utilizados nesse método.

Mas não se preocupe; explicaremos tudo isso nesse artigo.

 

Passo 1: Estudo dos demonstrativos financeiros

Antes de começar, o investidor deverá colher a maior quantidade possível de dados qualitativos e quantitativos sobre a empresa. Isso inclui – mas não se limita – os fundamentos que apresentamos nos tópicos anteriores.

Quanto mais informações você tiver, melhor. Afinal, somente assim será possível tomar decisões mais informadas, aumentando suas possibilidades de acertos.

 

Passo 2: Cálculos e estimativas

Com todas as informações da empresa em mãos, é hora de realizar as projeções necessárias para entender o potencial de valorização dos ativos do negócio em questão.

No entanto, essas estimativas não devem incluir apenas cálculos de demonstrativos financeiros ou do fluxo do capital.

No médio e longo prazo, fatores como a qualidade da gestão, políticas e reputação da empresa (além do rumo da economia, num todo) podem afetar diretamente os ativos.

 

Passo 3: Comparação com outros ativos

Tome isso como regra em todos seus investimentos: comparar ativos que você pretende comprar, com outros da mesma categoria, é tão importante quanto conhecer a fundo o investimento.

No caso das ações, é preciso escolher empresas concorrentes, além de realizar as mesmas análises. Desse modo, você poderá constatar se a empresa escolhida está realmente apresentando os melhores resultados possíveis.

 

Passo 4: Tomada de decisão

Tendo um panorama completo sobre a empresa em mãos, é muito mais fácil tomar boas decisões com seu dinheiro. Uma vez definido se um ativo vale à pena ser comprado ou não, então é hora de investir.

Para isso, você precisará acessar o home broker da sua corretora e emitir uma ordem de compra.

 

Saiba mais sobre como investir em ações nesse guia completo que publicamos.

 

8 Termos da análise fundamentalista explicados

Conheça os principais termos da análise fundamentalista.

 

Para novos investidores, a análise fundamentalista pode parecer um pouco intimidadora. Os vários termos e siglas que surgem nos relatórios são complicados e, com isso, pode ser difícil se acostumar com o glossário.

A seguir, você encontra os principais termos com explicações simples. Essas informações já podem te auxiliar a começar utilizar a análise fundamentalista.

 

1: O que é P/L (preço sobre lucro)

O índice de Preço/Lucro, conhecido como P/L, é um dos mais comuns múltiplos quando o assunto é a atratividade de uma ação. Esse é um dado de análise utilizado para o curto e médio prazo.

Essa avaliação é feita de maneira relativa a outras ações do mesmo segmento. Para isso, é utilizada a seguinte fórmula:

 

P/L = preço da ação / lucro por ação projetado (LPA)

 

Um resultado baixo, indica uma ação barata, ou seja, com bom potencial de compra.

 

Quando é analisado no contexto do histórico da empresa, o preço sobre o lucro é um indicador ainda mais valioso.

 

Quando o valor está atrativo por razões estruturais, a compra não vale a pena. No entanto, se você identificar que a situação é momentânea, essa pode ser uma boa oportunidade.

 

2: O que significa um ROE negativo

O ROE (Return on Equity, ou Retorno sobre Patrimônio Líquido) representa a taxa de retorno sobre o dinheiro dos acionistas em uma empresa. A fórmula usada para obter esse dado é:

 

ROE = (Lucro Líquido / Patrimônio Líquido) x 100

 

Um ROE positivo indica uma empresa criadora de ativos. Por exemplo, um ROE de 15% significa que, em 12 meses, a empresa obteve um lucro equivalente a 15% do seu patrimônio.

Por sua vez, um ROE negativo indica uma empresa consumidora do seu caixa, ou seja, indica que houveram prejuízos em relação ao patrimônio da empresa nos últimos 12 meses.

 

3: P/VPA (preço/valor patrimonial)

Esse índice representa o preço da ação dividido pelo seu valor patrimonial (VPA), ou seja, o patrimônio líquido da empresa dividido pelo número de ações disponíveis para negociação.

Enquanto o P/L mostra quanto os investidores estão pagando por cada real de lucro, o P/VPA mostra quanto estão pagando por cada real dos ativos da empresa.

 

4: Fluxo de Caixa Líquido – FCL

Você sabia que raramente os dados do lucro de uma empresa batem com a quantidade de capital gerado no período? Isso acontece porque muitas vendas são financiadas e a empresa realiza diversos investimentos.

Assim, é comum que uma empresa apresente excelente lucro, mas não tenha dinheiro no momento.

De modo geral, um FCL positivo é um bom sinal, do mesmo modo que um negativo é um ponto de alerta. Esse índice demonstra quanto dinheiro, de fato, entrou na empresa.

 

5: Indicador Dívida / Capital Social

Também conhecido como Debt-Equity, este índice diz respeito ao nível de endividamento da empresa. O número representa a proporção da dívida em relação ao Patrimônio Líquido, através da seguinte fórmula:

 

D/CS = Dívida Total de Empresa / Valor do Capital Social

 

Empresas com dívidas podem sofrer desvalorização em seus ativos, além de representar riscos maiores para os investidores.

 

6: Índice Preço/Vendas (PSR)

Esse é um índice frequentemente confundido com o P/L. Para não errar, basta lembrar que a diferença é que o PSR mede o preço dos ativos em relação à venda da empresa — e não do seu lucro.

Portanto, esse indicador oferece uma perspectiva diferente sobre um dos mais importantes dados sobre a empresa:sua receita.

Assim como outros dados da análise fundamentalista, ele busca complementar o panorama. Sendo assim, é importante analisar esses dados em conjunto.

A seguinte fórmula é utilizada para expressar o PSR:

 

PSR = Preço da Ação / Receita Líquida por Ação

 

7: LPA ou Lucro por Ação

Essa é uma das formas mais simples de analisar uma empresa: através de seus lucros.

Lucro é o dinheiro que “sobra” da receita, depois que todas as despesas e custos de produção forem cobertos.

O lucro por ação de uma empresa é calculado a partir da seguinte fórmula:

 

Lucro por Ação = Lucro Total / Número de Ações

 

No entanto, é fundamental entender que esse é um índice que deve ser analisado em conjunto com outras informações, pois uma alta lucratividade nem sempre significa boa oportunidade de compra.

 

8: PEG – Fator Preço/Lucro/Crescimento

O índice PEG (Price Earnings Growth Factor) pode ser obtido dividindo o P/L pela taxa estimada de crescimento de lucros da empresa:

 

PEG = (Preço da Ação / Lucro por Ação) / Taxa de Crescimento Anual do Lucro

 

Esse é um índice que cria uma projeção do lucro futuro, ou seja, uma das informações mais importantes para investidores em potencial.

Em geral, um PEG igual a 1 indica que a empresa está avaliada corretamente pelo mercado. Ou seja, a ação é vendida pelo seu preço justo.

Um PEG abaixo de 0,66 indica uma subvalorização, ou seja, é o melhor momento para compra dos ativos. E, por fim, um PEG acima de 1,5 aponta sobrevalorização.

 

Análise fundamentalista é indicada para o longo prazo?

Entenda quando aplicar essa estratégia.

 

A análise fundamentalista é frequentemente utilizada por investidores com foco no médio e longo prazo. No entanto, essas não são suas únicas aplicações.

É importante lembrar: não existe “melhor modo” ou “forma correta” de analisar uma ação. Cada investidor usará os métodos e ferramentas disponíveis para encontrar estratégias que melhor se adequem ao seu perfil e estratégias.

Portanto, em primeiro lugar, para se tornar um investidor de sucesso, procure conhecer as diferentes metodologias mais profundamente. E em segundo lugar, compreenda que é importante ter objetivos no longo, médio e curto prazo, além de diversificar sua carteira.

 

Como investir em ações na modalmais

É muito simples operar na bolsa de valores com modalmais.

 

Diversos novos investidores acreditam que operar na bolsa de valores é complicado. Mas a modalmais veio mostrar que isso não é verdade.

Nosso Home Broker, a plataforma utilizada para negociar ações, é super intuitivo e muito poderoso. Clique aqui e entenda porque nosso Home Broker é sua melhor opção para começar a investir em ações.

Para aplicar seu dinheiro em ações, você só precisa seguir esses passos simples:

 

  1. Crie sua conta na modalmais. O processo é rápido, grátis e totalmente online.
  2. Faça login na sua conta e transfira o valor a ser investido através de um TED de mesma titularidade.
  3. Abra o Home Broker.
  4. Busque a sigla da ação na qual você pretende investir.
  5. Emita a ordem de compra após informar a quantidade e preço desejado.

 

Prontinho! Você já está operando na bolsa de valores! Agora, é só acompanhar seus rendimentos.

 

Conclusão

A análise fundamentalista é uma importante ferramenta para investir em renda variável.

 

Uma das principais ferramentas para identificar oportunidades de investimento é a análise fundamentalista.

Tendo como base diferentes fatores, essa metodologia constrói um panorama que permite ao analista encontrar ativos com preços atrativos e maior potencial de valorização.

Nesse artigo, você aprendeu os principais conceitos da análise fundamentalista. Continue afiando seus conhecimentos sobre o mercado financeiro com esses artigos que separamos para você:

 

 

Obrigado pela leitura!