Durante muito tempo, ter um carro próprio e poder ir com ele para qualquer lugar era um sonho de muitas pessoas. Contudo, com os avanços tecnológicos e as mudanças na sociedade, esse apego ao carro particular tem mudado.

Arcar com todas as despesas e burocracias que um automóvel próprio apresenta nem sempre é tão interessante. Por conta disso, tem ficado cada vez mais comum a utilização do carro por assinatura.

Esse é um recurso que pode ser muito útil. Quem precisa de carro para tarefas diárias pode solicitar o serviço, usando o veículo sem ter que arcar com taxas, papeladas etc. Acompanhe o artigo que preparamos e saiba mais sobre o assunto!

 

O que é um carro por assinatura?

De maneira geral, o carro por assinatura é um tipo especializado de serviço que permite que determinado automóvel possa ser alugado a longo prazo por alguém.

Diferentemente da locação tradicional, a assinatura pressupõe um valor fixo mensal a ser pago pelo uso do carro. Além disso, o prazo de uso pode variar de acordo com o contrato. Em alguns casos é possível ficar com o automóvel por até quatro anos.

Geralmente, dentro do acordo de mensalidade, estarão presentes nas parcelas: o valor de documentação, o IPVA, o seguro e as revisões obrigatórias etc. Nesse sentido, a única despesa do motorista é combustível, estacionamento e eventuais multas.

 

Como funciona o carro por assinatura?

O carro por assinatura é contratado por meio de locadoras de veículos. É comum que esses estabelecimentos forneçam diferentes opções de negociação, que consideram o modelo e ano do carro, o prazo de aluguel etc.

Em geral, os contratos duram de 12 a 48 meses. O valor das mensalidades pode variar, de R$ 750 até cerca de R$ 7 mil.

Para assinar um veículo, é necessário ser maior de 18 anos, ter carteira de habilitação devidamente validada e passar por uma análise de crédito que apontará a sua condição financeira para arcar com as mensalidades.

Várias empresas trabalham com carros por assinatura. Locadoras como a Moove, Movida, Unidas e UseCar fornecem esse tipo de serviço. Além disso, seguradoras, como a Porto Seguro, também trabalham nesse setor.

 

Qual é a diferença entre essa modalidade e o leasing?

Muitas pessoas confundem o serviço de carro por assinatura com o leasing. Nesse sentido, vale a pena explicar as diferenças entre esses modelos de negociação.

O leasing, também conhecido como arrendamento mercantil, permite ao motorista alugar um carro por um longo período (geralmente acima de 24 meses).

O motorista deve pagar mensalidades ao banco, podendo comprar o carro no final do contrato, tendo acesso a juros mais baixos, abatendo o valor que já foi pago ao longo do período contratado.

Nesse tipo de modelo, o proprietário do carro é o banco. Justamente por conta disso é possível que, ao final do contrato, o veículo seja devolvido à instituição financeira.

Um ponto forte desse modelo é que as taxas de juros costumam ser menores que as dos financiamentos mais tradicionais. Além disso, existe a flexibilidade para escolher entre comprar ou não o veículo, após a experiência.

De certa forma, é possível afirmar que o leasing é um híbrido entre o financiamento de carro e o aluguel. Ao contrário desse modelo, o carro por assinatura não permite que o motorista compre o veículo ao final do contrato. Isso ocorre porque o automóvel pertence à locadora.

Outra diferença é que, no modelo de assinatura, o motorista paga apenas pelo uso mensal, sem arcar com serviços de manutenção. Já no leasing, quem tem de arcar com todas as despesas é o próprio motorista.

De modo geral, o leasing surge como um modelo mais atrativo para pessoas jurídicas (PJ), pois o aluguel não consta como patrimônio, podendo ser abatido no imposto de renda.

Quais são as vantagens e desvantagens do carro por assinatura?

É comum que pessoas, ao entrarem em contato com a possibilidade de ter um carro por meio de assinatura, questionem se vale a pena em relação ao carro próprio.

A resposta para essa questão pode variar de acordo com a situação. Se um carro próprio ou por assinatura será melhor para você dependerá das suas necessidades e do momento de sua vida.

Um ponto importante é considerar quanto tempo você pretende ficar com o veículo. Se a intenção for permanecer com ele por mais de 5 anos, pode ser mais indicado comprar, ainda que financiado.

Por outro lado, caso a ideia seja utilizar o carro por um ou dois anos, talvez compense assinar, pois assim não é necessário arcar com custos e demais burocracias.

Também é válido considerar seu poder de compra. Caso você precise de um carro, mas no momento não tenha condições financeiras para comprá-lo à vista – considerando o alto custo de um financiamento –, assinar pode ser uma opção mais favorável.

A seguir, listamos algumas das vantagens e desvantagens do carro por assinatura em relação ao carro próprio. Avalie estes fatores antes de tomar sua decisão.

 

Vantagens

As vantagens do modelo por assinatura são diversas e podem variar de acordo com o motorista. Contudo, é importante considerar que, nesse modelo:

  • a burocracia é menor — é a locadora que arca com imposto, documentação, seguro etc;
  • o custo com o aluguel é inferior ao de um financiamento — de acordo com a estimativa da Porto Seguro, assinar um carro pode sair até 24% mais barato que um financiamento;
  • é possível andar de carro zero todo ano — existem contratos que permitem a utilização de carro 0 Km, em que a locadora compra o carro novo e revende ele ao final do contrato;
  • não há risco de depreciação — ao contrário do que ocorre quando você compra um carro, por meio da assinatura, não haverá perdas econômicas por conta da depreciação natural do veículo, pois a locadora fica responsável pela revenda.

 

Desvantagens

As desvantagens de assinar um carro também podem variar de acordo com o tipo de uso que o motorista pretende fazer do automóvel. Nesse sentido, é válido considerar que:

  • o custo com a assinatura é maior, se comparado com a compra de um carro à vista — pegar um carro por meio de assinatura pode ser mais econômico que fazer um financiamento, mas a relação muda quando se trata de uma compra à vista;
  • a franquia é limitada — as locadoras de veículo determinam uma franquia de quilometragem (2 mil ou 3 mil por mês, por exemplo) e, caso ultrapasse esse limite, o motorista terá que arcar com uma diferença;
  • o carro não será seu — para quem deseja construir patrimônio, o carro por assinatura pode não ser tão interessante;
  • proibido para motorista de aplicativo — quem trabalha com aplicativos de carona pode ser prejudicado, pois é possível que empresas não permitam a locação para essa finalidade.

Como foi possível perceber, escolher um carro por assinatura é uma forma muito interessante de ter um automóvel para o dia a dia. No entanto, é importante considerar as vantagens e desvantagens nesse modelo de negócio.

Nesse sentido, o ideal é analisar suas necessidades e condições para, dessa forma, decidir se esse sistema é o adequado ou não para você.

Então, gostou dessas informações? Para ficar por dentro de mais conteúdos como este, assine nossa newsletter!