Se você já faz investimentos e busca ampliar o seu patrimônio e ao mesmo tempo protegê-lo, sabe que é fundamental diversificar a sua carteira de ativos. Dentre os investimentos de destaque, o contrato futuro de etanol pode ser considerado um dos mais interessantes no momento. 

E isso acontece porque, com o fortalecimento de boas práticas sustentáveis, o etanol é um biocombustível que tem ganhado destaque no mercado. Ele emite 0% de gás carbônico na atmosfera, ou seja, não é emissor de gases poluentes e causadores do efeito estufa. Além disso, o Brasil é o principal produtor desse combustível. 

A tendência para os próximos anos é que esse ativo seja valorizado, sendo uma ótima oportunidade para investidores. Nesse texto, descubra como negociar os contratos futuros de etanol e saiba mais sobre as suas vantagens. Aproveite a leitura! 

 

QUAL É O SIGNIFICADO DE CONTRATO FUTURO?

contrato futuro é uma modalidade de investimento em renda variável em que são negociados ativos como derivativos, commodities, índices, taxas de juros e moedas com vencimentos futuros. Esses contratos são padronizados por tamanho e data de vencimento. 

Um dos diferenciais de um contrato futuro está no fato de que ele possibilita que o investidor obtenha retorno financeiro nos dois cenários comuns dos ativos: na alta e na baixa. Isso torna essa modalidade bastante atrativa.  

Para se ter uma ideia, até meados de 2020, o Brasil contava com mais de 2 milhões de contas de renda variável. A queda da taxa Selic foi uma das principais responsáveis pelo aumento da procura por ativos como contratos futuros 

Isso acontece porque a taxa Selic impacta diretamente o rendimento dos ativos de renda fixa. Assim, a redução que esse indicador sofreu nos últimos anos, fez com que títulos desse segmento se tornassem menos atrativos para quem busca alta rentabilidade. 

Ainda falando sobre as características de contratos futuros, é importante destacar que eles sofrem ajustes diários nos seus preços. Mas o que isso significa? O ajuste diário é um mecanismo que a B3 utiliza como forma de equalização automática da posição de todos os investidores no mercado futuro 

Dessa forma, todos os dias (úteis), as contas de compradores e vendedores que possuem posições em aberto neste mercado sofrem um ajuste financeiro (crédito ou débito), de acordo com o preço de ajuste do dia para aquele contrato. 

Para investir em ativos do mercado futuro, é interessante que você conheça características que os definem, como código de negociação em Bolsa, meses de vencimentos dos contratos, entre outras. 

A principal delas é que os contratos futuros são derivativos, que são ativos financeiros que, como o próprio nome sugere, derivam de outros ativos, e seu preço está sujeito à cotação do ativo de origem. Além de estarem presentes no mercado futuro, existem derivativos no mercado de opções e no mercado a termo. 

Essa categoria de ativos é muito usada para o hedge (proteção) e também como instrumento de alavancagem. Para que você entenda melhor o conceito de hedge, é preciso pensar do ponto de vista, por exemplo, de um produtor agrícola que faz plantio de milho. 

O preço da commodity está sujeito a variação, conforme a oferta e demanda no mercado. Assim, para que o produtor se proteja de possíveis prejuízos, ele negocia contratos que “fixam”, no dia, um preço até uma determinada data futura. 

Já a alavancagem financeira é uma ferramenta utilizada no mercado financeiro para alavancar resultados usando um capital consideravelmente inferior ao que se pode alcançar com a operação. 

Além disso, vale lembrar também que os contratos futuros permitem a exposição a diferentes opções de investimentos. A seguir, saiba mais como elas funcionam. 

 

COMMODITIES 

Com certeza, você já ouviu falar sobre esse termo e pode ainda não ter ciência do seu significado. As commodities são produtos que atuam como matéria-prima para a produção de outros insumos. Um exemplo prático é o milho e o café. 

Os preços desses ativos variam conforme a lei da oferta e da demanda. Pelo fato de o Brasil ser uma potência agrícola, os contratos futuros dessas commodities acabam sendo bastante procurados pelos investidores.  

Com o avanço da tecnologia aplicada ao agronegócio, as nossas safras estão sempre batendo recordes, assim como a produção bovina. 

Inclusive, em 2019, o setor fechou com uma alta superior às expectativas do mercado e em 2020, mesmo com o cenário de crise, apresentou bons resultados. 

 

ÍNDICES 

Índices ou indicadores financeiros utilizam métricas para mensurar a performance econômica dos ativos e das contas de empresas e países. Existem opções de investimento no mercado futuro que são ancoradas no desempenho desses índices. 

No Brasil, o contrato de índice futuro está atrelado ao resultado das ações negociadas na nossa Bolsa de Valores — a B3 – medido pelo Ibovespa. 

 

TAXAS DE JUROS E MOEDAS 

Essa categoria de investimento no mercado futuro considera a previsão da taxa de juros praticada pelos bancos e o câmbio da moeda. Em relação ao câmbio, os contratos futuros do dólar são ativos de renda variável com uma forte demanda de negociação.

 

O QUE É UM CONTRATO FUTURO DE ETANOL?

O contrato futuro de etanol foi lançado pela Bolsa em 2010, criado com a finalidade de atuar como um agente de proteção aos produtores desse combustível. Assim, ele pode ser considerado como um recurso de hedge para que os produtores não fiquem tão expostos às oscilações de preço desse ativo, mas também como objeto de especulação de traders e outros participantes do mercado. 

É interessante destacar que a B3 foi a primeira Bolsa de Valores a lançar essa modalidade de investimento em todo o mundo. 

 

COMO FUNCIONA O CONTRATO FUTURO ETANOL

O objeto de negociação do contrato futuro de etanol é o Etanol hidratado combustível, que segue as especificações da Agência Nacional de Petróleo (ANP). O tamanho do contrato equivale a 30 metros cúbicos (m³), ou 30 mil litros, a 20 graus Celsius, sendo que o preço é cotado por cada metro cúbico.  

O vencimento dos contratos futuros de etanol acontece mensalmente, sendo que a série vigente pode ser negociada até o último dia útil (com sessão de negociação) de cada mês.  

A liquidação desse contrato é sempre financeira e acontece da seguinte maneira: caso as posições não sejam encerradas até o último dia de negociação, os contratos serão liquidados, no vencimento, pela média dos últimos 5 dias úteis, conforme o índice de preços. 

É interessante destacar que os riscos envolvendo essa categoria de ativos estão relacionados a quatro fatores: 

  • queda de preço na época da comercialização; 
  • deterioração da rentabilidade com a venda do etanol na alta dos preços; 
  • queda de produção da lavoura (que pode ser causada por pragas e ventos climáticos incomuns); 
  • risco de crédito 

 

QUAIS SÃO OS IMPACTOS DA PANDEMIA?

No Brasil, o etanol é produzido, em sua grande parte, por meio da cana-de-açúcar, sendo possível até mesmo extrai-lo a partir do milho. A sua relação com a nossa economia é de pioneirismo. 

Apesar de o etanol ter sido criado na década de 1920, o Brasil foi o país responsável por desenvolver o primeiro carro movido a álcool, na década de 1970. O combustível passou a ser injetado na gasolina, como uma maneira de driblar a crise econômica que acontecia na época. 

Com cerca de 80% da frota brasileira composta por veículos bicombustíveis, o etanol mostrou o seu poder ao ganhar cada vez mais espaço no mercado. A alta do preço da gasolina, impulsionada pela crise de COVID-19, é um cenário que tende a colocar o etanol como preferência entre os consumidores. 

Em junho de 2020, o CNPE (Conselho Nacional de Política Energética) aprovou diretrizes que regulamentam a venda direta de etanol. Isso significa que, conforme a liberação pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), agora, os postos de combustíveis podem comprar o álcool diretamente das refinarias. 

Na teoria, essa medida tem como objetivo torná-lo ainda mais competitivo no mercado. Dessa maneira, o preço desse combustível tende a ser barateado nas bombas, e o seu consumo, estimulado. 

Além de isso aquecer o mercado do etanol, existe uma tendência de que o seu consumo no mercado mundial seja potencializado. A pandemia reforçou debates importantes para o desenvolvimento sustentável do mundo, e o uso de biocombustíveis atende a esse requisito. 

 

RELAÇÃO COM O RENOVABIO 

O Governo Federal tem um programa de estímulo à produção de biocombustíveis, nomeado por RenovaBio. Ele foi criado no final de 2017, e as suas metas definidas ao final de 2019. Na mesma época, a Portaria MME Nº 419 instituiu o CBIO (Crédito de Descarbonização), que começou a ser negociado na B3 em abril de 2020. 

 

COMO INVESTIR NO FUTURO DE ETANOL?

Para investir no futuro de etanol, você deve ter uma conta em um banco de investimentos e ficar atento aos horários de negociação desse ativo, disponíveis no site da B3. Além disso, para encontrar esse ativo na plataforma, basta utilizar o código ETH, somado à sigla que representa o mês e ano de vencimento. 

Contando com o apoio de um banco feito para investidores, como o modalmais, você investe no contrato futuro de etanol, operando na Bolsa por meio das melhores plataformas de negociações do mercado. Além disso, tem acesso a conteúdos exclusivos, para ajudar você a potencializar os seus resultados como um trader profissional 

No modalmais, você investe com baixo custo no mercado futuro, conta com uma negociação ágil e segura, por meio da nossa plataforma e ainda tem atendimento de qualidade.  

Por isso, se você quer começar a investir com uma carteira diversificada, ampliar os seus ganhos financeiros e construir um patrimônio sólido, não perca tempo. Abra, agora mesmo, a sua conta digital gratuita no modalmais!