Você, com certeza, já teve de tomar decisões e, dependendo da situação em que se encontrava, sabe que as suas emoções foram determinantes para a escolha. Assim também funciona no mercado de ações. Diariamente, os investidores precisam decidir se compram ou vendem um ativo, quanto investir, entre outras questões.

O controle emocional do trader nesses momentos é crucial. Afinal, o mercado é volátil e nem sempre tomar uma decisão no calor do momento será positivo. Logo, é preciso ponderar sobre as opções, deixando os sentimentos de lado e considerando os resultados futuros. A ideia deste artigo é mostrar justamente a importância de ter esse controle e definir as atitudes mais adequadas para cada momento.

Continue a leitura e confira!

 

Qual é a importância do controle emocional para operar na Bolsa?

Quem lida com investimentos sabe o quão importante é ter controle emocional para operar. O desenvolvimento de tal característica começa por reconhecer emoções, observando os momentos que despertam cada um dos sentimentos: da euforia à decepção.

Sabemos que, quando se trata de operações em Bolsa de Valores, as emoções do investidor podem ser tão voláteis quanto o mercado em si: os preços dos ativos sobem e descem, de acordo com os movimentos de compra e venda dos investidores, que por sua vez, tomam suas decisões baseadas em fatores ligados à economia, política e gestão das empresas que ofertam suas ações.

Por isso, dominar as emoções é um fator determinante para quem deseja sucesso em suas operações. Outro aspecto a ser considerado é utilizar uma metodologia de questionamento, focando em questões sobre o grau aceitável de prejuízos, a capacidade de análise que o levará a reconhecer se uma empresa é boa, quando uma ação está barata, entre outras.

A avaliação o ajudará a estabelecer um plano, a fim de que o ciclo de emoções não prejudique os resultados.

 

Como funciona o efeito manada?

O efeito manada é um termo utilizado na psicologia para descrever situações em que um grupo de pessoas reage de uma maneira similar, ainda que irracionalmente. A reação ocorre por uma pressão exercida pelo grupo.

Tal efeito pode ser observado nos investimentos financeiros, predizendo tendências comportamentais de acordo com as mudanças do mercado. A característica reduz o tempo de tomada de decisão – que nesse caso, ocorre por impulso – e aumenta as chances de resultados negativos, pois considera o medo de perder, ou apenas uma opinião, – e não dados –, sem considerar a complexidade imersa nos investimentos.

Uma consequência muito comum é a criação das chamadas bolhas. O que acontece é que essas bolhas inflam à medida que um ativo apresenta uma boa performance. Isso faz com que seu valor de mercado cresça até um nível que vai além de qualquer racionalidade econômica.

É nessa fase que o efeito manada faz com que investidores continuem investindo no ativo. A partir do momento em que essas pessoas não estão mais dispostas a comprar nesse nível de preço atingido, leva ao colapso e à queda do valor. Consequentemente, ocorrem os prejuízos.

 

Mas como fugir do efeito manada?
O primeiro ponto é lembrar-se de que as operações na Bolsa de Valores envolvem análises e estudos. Ou seja, não há espaço para atitudes irracionais, o que é algo comum no efeito manada. Por mais que o movimento seja motivado, em geral, pelo medo da perda, ele de fato aumenta as chances de que isso aconteça.

O ideal, antes da tomada de decisão, é realizar uma análise e checar se existem motivos concretos para que determinado ativo esteja se comportando daquela forma. Observe se a motivação para a alta dos preços não é apenas o efeito de uma bolha, conheça os riscos de investir e tenha convicção de que aquela é a melhor decisão.

Evite agir por impulso e não se esqueça dos seus objetivos. O mesmo se aplica à venda de um ativo em um preço abaixo do de compra, motivado por uma queda rápida e acentuada. Lembre-se do seu plano de investimentos e dos motivos que o levaram a investir, o que, com certeza, afetará a sua decisão. Se deparar com a volatilidade dos ativos será comum na sua jornada, sendo melhor, em alguns casos, manter o investimento do que vendê-lo.

 

Como o planejamento e o foco ajudam a controlar as emoções?

Planejamento e foco são duas palavras que devem fazer parte do seu vocabulário como investidor, cruciais para o controle emocional como trader. Considerando todos os fatores que causam a volatilidade do mercado de ações, o investidor precisa saber como administrar o seu dinheiro.

Mais do que nunca, planejar-se financeiramente é essencial. Vale destacar que o planejamento não é apenas juntar dinheiro e fazer uma aplicação. É preciso saber onde você quer chegar e quando. Diante disso, confira as dicas a seguir para conseguir estabelecer seu plano!

 

Analise a sua situação financeira atual

Qual é a sua renda? De onde vem a maior parte de seus recursos? Como é a divisão dos seus gastos? Pense sobre todas as questões para avaliar a sua situação financeira atual. A ação é fundamental para que você saiba quais são os seus hábitos financeiros e o quanto precisará e poderá investir para atingir o seu objetivo.

Antes de mais nada, crie uma reserva de emergência, que, como o próprio nome sugere, servirá como uma garantia de que você poderá se manter, mesmo que por um pequeno período, caso aconteça uma emergência, como a necessidade de pagar um exame médico, remédios, ou se perder o emprego, por exemplo.

 

Conheça seu perfil de investidor

Basicamente, há três perfis de investidores, que são: conservadores, moderados e arrojados. Cada um deles tem uma tolerância a riscos, o que é um fator determinante na hora de escolher o tipo de investimento. Por exemplo, se um investidor conservador investisse em ações, certamente, devido à sua baixa tolerância a risco, estaria mais propenso a entrar em um efeito manada, caso visse os preços de suas ações caírem.

 

Tenha um objetivo 

Independência financeira, aquisição de um bem (carro, casa ou outro), realização de uma viagem: não importa qual a sua meta, tenha em mente qual seria ela e o quanto você precisará para alcançá-la.

Tendo o objetivo definido, saiba em quanto tempo você pretende atingi-lo. O tempo será um fator decisivo para escolher os produtos que mais se adequam às suas necessidades e aos seus objetivos.

 

Foque na diversificação dos seus investimentos 

O controle emocional do investidor sofre interferência direta pela maneira como ele aloca seus recursos. Portanto, procure diversificar os seus investimentos de acordo com o seu momento de vida, as suas aspirações e, também, o seu capital.

Lembre-se de três coisas que você precisa: rentabilidade, segurança e liquidez. O combo trará mais tranquilidade para o seu dia a dia e evitará que você seja guiado por emoções fortes ao operar na Bolsa de Valores.

Portanto, faça uma divisão percentual entre renda fixa e renda variável, levando em consideração as suas metas e perfil de investidor.

 

Esteja focado 

Busque o aperfeiçoamento constante com relação aos seus investimentos. Isso significa estudar as empresas nas quais se está investindo, avaliar se os ativos continuam rendendo e acompanhar o mercado, bem como a necessidade de reprogramação dos investimentos.

Quanto mais souber sobre essas questões, maiores serão o seu foco em relação aos seus objetivos e o seu controle emocional. Portanto, ao investir, não deixe de acompanhar o desempenho de sua carteira.

 

Como treinar na Bolsa ao vivo?

Que tal treinar ao vivo na Bolsa de Valores e simular potenciais investimentos? Para aqueles que estão iniciando os seus investimentos ou mesmo os que são experientes, a alternativa de simulação é a ideal para não mergulhar de cara no risco.

Por meio de simuladores de plataformas de negociação, como o disponibilizado pelo Tryd, é possível treinar suas operações na Bolsa de Valores, sem expor seu dinheiro real. A ideia é que o investidor se familiarize com o ambiente e as ferramentas antes de alocar o seu patrimônio em ações ou outros ativos negociados em ambiente de Bolsa de Valores.

Por meio dos simuladores, é possível acompanhar o mercado em tempo real. É como se você estivesse operando em um ambiente real, administrasse a carteira e visse o resultado de suas operações – mas sem expor seu dinheiro.

Analisar a situação, permitir-se sentir, buscar equilíbrio e adquirir conhecimento: para que o trader mantenha o controle emocional, é necessário ter essas variáveis como regras em seu dia a dia de operações. Ao longo do artigo, você pôde perceber o quanto saber controlar-se é determinante para o sucesso como investidor, além de fundamental para lidar com a complexidade que é o mundo de investimentos.

Os simuladores são grandes aliados nesse sentido. Portanto, se você deseja ter operações com resultados mais satisfatórios, abra a sua conta no modalmais e acesse a plataforma Tryd!

Nova call to action