No Brasil, o índice de inadimplência costuma ser bastante elevado. Em 2020, segundo o Serasa Experian, o número de pessoas endividadas atingia os 61,4 milhões. Diante dessa realidade, muitos buscam alternativas para se livrar das dívidas e evitar o nome negativado nos serviços de proteção ao crédito.

Porém, como a educação financeira é pouco difundida no país, é comum que as pessoas façam despesas além do seu orçamento e, assim, acumulem dívidas. Além disso, o hábito de investir não faz parte da vida de muitos brasileiros: ainda é comum encontrar quem acredite que, para começar a investir, é preciso ter um montante de capital muito elevado. O que é um grande equívoco, pois existem investimentos, como o Tesouro Direto, em que é possível investir com menos de R$ 100.

Por esse motivo, preparamos este post para apresentar algumas dicas para ajudar você a se livrar das dívidas e começar a investir agora mesmo. Vamos lá?

1. Conheça o valor total das suas dívidas

Conhecer o montante dos seus débitos é essencial para identificar a melhor forma de quitá-los. Algumas pessoas têm certo receio de somar as suas dívidas e ver que o montante está além da sua capacidade de pagamento.

Porém, esse levantamento é muito útil para buscar formas de negociação e para que você se planeje em relação à realização de novos gastos. Além disso, ao fazer essa análise, você ainda pode surpreender-se positivamente.

2. Negocie com os credores

Se o somatório for muito elevado, não se preocupe. Afinal, você pode entrar em contato com os credores e fazer a negociação do seu débito. Nesse momento, negocie descontos para pagamentos à vista e, se não for possível, veja alguma forma de parcelamento que se adeque ao seu orçamento.

O essencial é que, antes de negociar as dívidas, você faça uma análise prévia da sua capacidade de pagamento. Assim, é possível saber se a proposta oferecida realmente cabe no seu orçamento.

3. Priorize as dívidas com juros altos

Se, após entrar em contato com os credores, você verificar que, mesmo com a negociação, o montante das suas dívidas está além do seu orçamento, é importante priorizar o pagamento daquelas com os juros mais altos.

Dessa forma, você reduz o impacto dos juros compostos, que acabam onerando bastante o seu bolso. Para isso, analise dívida a dívida e faça um comparativo desses montantes.

4. Defina uma meta mensal de economia

Se você pretende livrar-se das dívidas, é essencial ter disciplina. Afinal, não adianta fazer uma negociação com um credor e, em seguida, fazer novos gastos além do seu orçamento.

Para isso, defina uma meta de economia mensal e seja rigoroso no seu alcance. Após pagar todas as suas despesas essenciais, veja quais podem ser cortadas para alcançar esse montante que você definiu.

Dessa forma, é possível acumular capital ao longo dos anos, que poderá ser investido e gerar rendimentos. Por isso, não deixe de priorizar o alcance dessa meta.

5. Faça um controle de gastos

Ter um controle de gastos é essencial para quem quer se livrar de dívidas e começar a investir. Para isso, utilize uma planilha ou algum aplicativo especializado. Escolhida a ferramenta, insira todas as informações relacionadas às suas despesas fixas e variáveis. Nesse momento, é importante ter atenção para não deixar nada de fora.

Assim, você consegue visualizar em quais áreas tem gastado mais recursos e se é possível fazer algum corte. Ao fazer esse exercício, muitas pessoas se surpreendem com os altos gastos realizados em áreas não essenciais. Após identificá-los, fica mais fácil fazer alguma redução.

6. Pesquise antes de comprar

Essa dica parece óbvia, mas muitos consumidores fazem compras por impulso e acabam se endividando. Por isso, é essencial que você faça uma pesquisa de preços antes de efetuar a compra de algum produto.

Desse modo, você garante a realização de um bom negócio e evita gastos desnecessários. Durante esse levantamento, é importante refletir se essa despesa é realmente necessária ou se é apenas um desejo momentâneo.

7. Comece a investir

Após se livrar das dívidas, é importante começar a investir para ter rendimentos com o seu dinheiro. Para isso, é fundamental entender o seu perfil de investidor. Assim, você consegue saber qual é o nível de risco que está disposto a correr com os seus investimentos e escolher as melhores aplicações.

Os principais perfis de investidor são:

  • conservador — aquele que prioriza a preservação e liquidez do capital e, por isso, prefere aplicações de renda fixa que envolvem riscos menores, como Tesouro Direto e CDB;
  • moderado — aquele que tem uma tolerância maior a riscos no longo prazo, priorizando a rentabilidade das suas aplicações financeiras, mas, ainda assim, sem arriscar-se tanto, se o compararmos ao perfil arrojado;
  • arrojado — aquele que tem um alto nível de tolerância a riscos, em busca de uma rentabilidade maior. Esse tipo de investidor costuma alocar boa parte do seu capital em investimentos de renda variável, como ações e criptomoedas.

Após entender qual é o seu perfil de investidor, é só buscar o auxílio de uma instituição especializada para ter acesso a um time de especialistas que podem indicar quais são as melhores opções de investimento, de acordo com sua tolerância ao risco e objetivos financeiros.

Como você pôde perceber, livrar-se das dívidas não é algo impossível. Porém, é importante ter consciência sobre os seus gastos e, acima de tudo, bastante disciplina. Dessa forma, é possível sair das estatísticas de inadimplentes e começar a investir para ter uma vida mais tranquila financeiramente.

E aí, gostou deste post? Entendeu a importância de evitar dívidas e começar a investir? Se quer saber como fazer o seu dinheiro trabalhar para você, não deixe de ler o nosso artigo sobre investimentos para iniciantes. Até a próxima!