Você, provavelmente, já ouviu falar na Amazon. Ela é considerada uma das 5 empresas de tecnologia mais influentes no mundo, concorrendo com Apple, Microsoft, Facebook e Google.

Em termos de capitalização, a empresa é a maior vendedora virtual do planeta. Por conta disso, investir nessa gigante da tecnologia pode ser uma excelente opção para quem procura boas perspectivas em renda variável.

Contudo, o fato de a companhia ter alto índice de capitalização não deve ser o único motivo a ser considerado na hora de investir em ações dela.

É necessário conhecer também outros detalhes. Pensando nisso, preparamos este texto com as principais informações que você precisa saber antes de investir na Amazon. Acompanhe!

 

O que é a Amazon?

A partir da análise da trajetória da Amazon, é possível perceber o perfil que ela tem adotado ao longo dos anos e as estratégias utilizadas para conseguir se perpetuar e desenvolver no mercado global.

 

História

A Amazon foi fundada em 5 de julho de 1994, em Bellevue, Washington. Seu fundador, Jeff Bezos, abriu o negócio com o intuito de vender livros por meio da internet. Gradualmente, a empresa expandiu e passou a vender os mais diversos produtos e serviços.

Em maio de 1997, a organização deu início à sua Oferta Pública Inicial (IPO) e, em 1998, começou a operar internacionalmente, adquirindo outras vendedoras de livros online, no Reino Unido e na Alemanha. Além disso, a empresa passou a diversificar seus produtos.

Trabalhando com a venda de videogames, vestuário, brinquedos, joias e, até mesmo, móveis e serviços de análise de tráfego de internet, a Amazon ganhou cada vez mais espaço. Superou o Walmart, em 2015, tornando-se a maior varejista em termos de capitalização de mercado. Em 2017, adquiriu o Whole Foods Market, ampliando significativamente sua presença física.

A companhia, com uma variedade cada vez maior de serviços e o uso de tecnologias inovadoras, conquistou mercados no mundo todo. Tamanha foi a ascensão que, nos últimos anos, a Amazon disputa o lugar de maior empresa global com outras gigantes, como Microsoft e Apple.

 

No Brasil

Em termos gerais, os investimentos feitos pela Amazon em territórios estrangeiros são realizados de maneira gradual, como foi o exemplo da compra da rede de supermercados Whole Foods e de parcerias no México. Contudo, a relação da empresa com o Brasil foi um pouco diferente.

Os primeiros contatos da Amazon com o mercado brasileiro aconteceram em 2012. Nesse ano, a empresa lançou o domínio “.com.br.” O site adotava o mesmo formato e design que o site dos Estados Unidos, contudo todas as informações e todos os textos estavam em português.

Nesse primeiro momento, a postura da empresa foi de vender apenas um produto físico, o Kindle, e algumas dezenas de e-books (livros digitais cuja formatação é direcionada, principalmente, ao Kindle). Depois desse primeiro passo, ela não parou de crescer no mercado nacional.

Como é possível perceber, a Amazon apresenta um perfil de investimento arrojado e ambicioso. Nesse sentido, conhecer o modelo de negócio da empresa é fundamental para compreender tanto seu crescimento quanto suas perspectivas de desenvolvimento ao longo dos anos.

 

Qual é o modelo de negócio da Amazon?

Embora o modelo de negócio da Amazon envolva o investimento em uma série de produtos que são distribuídos no varejo, existem outros aspectos que merecem atenção quando analisamos a estratégia de mercado. Apresentamos alguns deles, a seguir.

Em pouco tempo, foram disponibilizados, cada vez mais, livros digitais, chegando à marca de 2 milhões de e-books, em 2014, se levarmos em consideração, também, os de língua estrangeira. Nesse mesmo ano, a Amazon passou a investir no mercado de livros físicos no Brasil. A partir de então, houve saltos de investimentos da companhia no mercado brasileiro.

Em 2017, no vigésimo aniversário do IPO da empresa, também jogos, smartphones e demais produtos eletrônicos passaram a ser comercializados por ela no Brasil, conquistando um amplo mercado. Além disso, foram incluídos produtos para casa, cozinha, escritório e materiais escolares.

 

Mindset Amazon

Tudo indica que a empresa, apesar de ter crescido muito desde a sua fundação, mantém o foco de suas atitudes no mindset defendido desde então. Para Bezos, a visão de longo prazo pode levar qualquer pessoa a atingir e realizar objetivos que não poderiam ser alcançados de outro modo.

Dessa forma, para alcançar os resultados almejados a longo prazo, as energias e os trabalhos da empresa deveriam ser focados nos clientes e no compromisso de oferecer a eles os melhores serviços com os melhores preços possíveis.

 

Serviço web inovador

Um dos pontos que mais demonstram o foco da Amazon em oferecer os melhores serviços aos seus clientes é o sucesso do Amazon Web Services (AWS). O investimento no setor surgiu de iniciativas da própria empresa para ajudar a fornecer uma melhor experiência de compra online.

Não apenas isso, quando essas tecnologias se mostraram eficientes, a companhia passou a vender os serviços para outras empresas, que foram integradas à plataforma Amazon. Com isso, em 2016, o AWS aumentou seu faturamento em 55%, quadruplicando seu lucro líquido em relação ao ano anterior e continuando a crescer no ano seguinte.

 

Serviços financeiros

Talvez a iniciativa mais ousada da empresa, até agora, seja em soluções financeiras. Sem fazer muito alarde, a Amazon tem trabalhado para expandir um modelo de pagamento que pode revolucionar as relações comerciais.

Atualmente, o Amazon Prime tem presença em 65% das casas dos Estados Unidos, de forma que a empresa resolveu investir mais em mercados internacionais, principalmente no México e na Índia. Também nesses locais, ela tem testado serviços semelhantes aos cartões Amazon, nos Estados Unidos.

O maior potencial parece ser na expansão do Amazon Cash. Em países que não têm grande número de pessoas com contas em bancos, essa é uma forma de depositar um valor em dinheiro vivo nos cartões e nas contas da Amazon, sem a necessidade de ter uma conta corrente.

Acessando a internet, o cliente pode fazer compras tanto na Amazon como em suas lojas parceiras. Investindo em tecnologias que facilitam os mais diversos serviços, a Amazon ganha espaço cada vez maior e conquista clientes e mercados nos mais variados setores econômicos.

 

Por que investir na Amazon?

Como é possível notar, a Amazon apresenta um modelo de negócio inovador. Isso é tão verdade que muitas empresas têm se inspirado nos caminhos dela. A união de tecnologia e varejo, nesse sentido, mostra-se uma das estratégias mais promissoras da empresa, fazendo com que as perspectivas sejam de crescimento em seu valor de mercado.

Também a posição da organização frente à pandemia de coronavírus tem impactado positivamente o mercado. Em janeiro de 2020, uma ação da Amazon, negociada na NASDAQ, chegou ao preço máximo de US$ 2.008,72. Até 17 de fevereiro de 2021, essa cotação chegou a atingir US$ 3.318,15.

Assim, analisando o foco que a empresa tem em inovação tecnológica, aliado à venda no varejo, investir na Amazon surge como uma opção a mais para uma diversificação estratégica de sua carteira.

 

Como investir na Amazon?

Existem duas principais maneiras para comprar e vender ações da Amazon. A primeira delas consiste em investir diretamente na NASDAQ, a Bolsa de Valores americana onde as ações da empresa estão listadas. A segunda forma é investindo por meio dos BDRs. Confira, a seguir, a diferença entre elas.

 

Investir diretamente na NASDAQ

Na Bolsa dos Estados Unidos, as ações da Amazon são negociadas com o nome de AMZN. Para que um investidor brasileiro possa negociá-las, é necessário abrir uma conta em uma instituição financeira internacional, banco ou corretora, por meio do envio de documentos a ela.

Após a conclusão dessa etapa, é necessário que o investidor deposite valores nela, por meio de uma transferência internacional — o que acontece por meio de envio de remessas de dinheiro ao exterior. A partir de então, é possível operar na NASDAQ.

 

Investir por meio de BDRs

Durante muito tempo, a maior parte dos Brazilian Depositary Receipt (BDRs) só podiam ser negociados por quem era considerado pela CVM como Investidor Qualificado. Mas, desde setembro de 2020, essa realidade mudou, ampliando as possibilidades de diversificação na carteira de pequenos e médios investidores.

Para aqueles que não têm a intenção de enviar remessas de valores ao exterior ou abrir uma conta internacional, mas, ainda assim, querem investir em bigtechs como a Amazon, é possível comprar os BDRs, que são negociados na B3, a Bolsa de Valores do Brasil. O ticker do BDR de Amazon é titulado como AMZO34.

Assim como para a negociação de ações brasileiras, para investir em BDRs é necessário abrir uma conta em uma corretora de valores ou banco de investimentos no Brasil. Após a abertura de conta, o envio de recursos pode ser realizado por meio de TED, DOC ou PIX.

A partir de então, é possível enviar ordens de compra e venda de BDRs por meio do Home Broker ou outra plataforma de negociação oferecidos pela instituição. Essa é uma solução mais simples e viável para que pequenos e médios investidores possam operar ativos vinculados diretamente ao desempenho de grandes empresas internacionais.

Como você pode perceber, investir na Amazon é mais uma opção para quem pretende investir em ativos vinculados a negócios e empresas do ramo de tecnologia. A empresa é bastante consolidada no mercado e apresenta boas perspectivas de crescimento. Contudo, antes de realizar as operações, considere seu perfil de investidor e os seus objetivos.

Quer ter mais informações sobre as principais oportunidades e transformações no mercado financeiro, a fim de fazer seus investimentos da melhor forma possível? Então, assine a nossa newsletter e fique sempre por dentro de mais novidades!

Gostou deste artigo? Então, assine a nossa newsletter gratuita para receber mais conteúdos como este.

Ainda não é cliente? Abra a sua conta no Banco Digital do Investidor