Investidor qualificado, conforme definição da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), é uma pessoa, física ou jurídica, que possua mais de R$ 1 milhão investido ou tenha alguma certificação aceita pela CVM.

 

Apesar do “qualificado” do termo, não é um elogio. O conceito de investidor qualificado é, na verdade, uma classificação, considerando o nível de conhecimento e capacidade de avaliação de riscos do investidor.

Dessa forma, é possível que um investidor qualificado, por sua experiência ou competência, consiga administrar investimentos de maior risco. Consequentemente, tem acesso a produtos de investimentos mais específicos e diferenciados.

 

Se você está começando a investir, recomendamos a leitura de artigos sobre conceitos básicos, como os abaixo:

 

 

Agora, se você já está investindo a algum tempo e deseja evoluir sua carteira de investimentos com mais opções, conheça as vantagens de ser um investidor qualificado e saiba como você pode se tornar um.

 

Neste artigo, vamos abordar:

 

  • O que é um investidor qualificado?
  • Principais diferenças entre investidor qualificado e investidor profissional
  • Quais as vantagens de ser um investidor qualificado?
  • Riscos de ser um investidor qualificado
  • Quais os melhores investimentos para um investidor qualificado?
  • Como se tornar um investidor qualificado?

 

Boa leitura!

O que é um investidor qualificado?

Investidor qualificado é aquele que possui mais de R$ 1 milhão em investimentos.

 

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), no intuito de regular o mercado e proteger os interesses dos investidores, classifica-os em três grandes grupos:

 

  • Investidor qualificado
  • Investidor profissional
  • Investidor de varejo

 

Enquanto o investidor de varejo é a pessoa física comum, ou seja, toda e qualquer pessoa que invista em renda fixa ou renda variável, com limite de capital investido de até R$ 1 milhão, os investidores profissionais e qualificados são aqueles possuem um alto conhecimento e, portanto, maior poder de gerenciamento de riscos.

Seja por um conhecimento técnico, através de certificações, seja pela experiência eme  investir um grande volume de dinheiro, a CVM entende que o investidor qualificado tem melhores condições de analisar um risco e tomar uma decisão.

Portanto, pode ter acesso a produtos financeiros diferenciados, com alto potencial de rendimento, como ações no exterior.

Sem dúvida, essa é uma das maiores vantagens de se tornar um investidor qualificado, pois condiz com a máxima de que “dinheiro faz dinheiro”. Quanto mais você tiver investido, mais oportunidades de fazer crescer o seu capital você terá.

O que é um investidor profissional?

Conforme a CVM, no artigo 9-A da Instrução CVM n.º 554, são considerados investidores profissionais:

 

  • Instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil;
  • Companhias seguradoras e sociedades de capitalização;
  • Entidades abertas e fechadas de previdência complementar;
  • Pessoas naturais ou jurídicas que possuam investimentos financeiros superiores a R$ 10 milhões e que atestem por escrito sua condição de investidor profissional;
  • Fundos de investimento;
  • Clubes de investimento, desde que tenham a carteira gerida por administrador de carteira de valores mobiliários autorizado pela CVM;
  • Agentes autônomos de investimento, administradores de carteira, analistas e consultores de valores mobiliários autorizados pela CVM, em relação a seus recursos próprios;
  • Investidores não residentes no Brasil (INRs).

 

O que é investidor qualificado?

Ainda na mesma instrução, a CVM define o investidor qualificado como:

 

  • Investidores profissionais;
  • Pessoas naturais ou jurídicas que possuam investimentos financeiros em valor superior a R$ 1 milhão, que atestem por escrito sua condição de investidor qualificado mediante termo próprio;
  • As pessoas naturais que tenham sido aprovadas em exames de qualificação técnica ou possuam certificações aprovadas pela CVM
  • Clubes de investimento, desde que tenham a carteira gerida por um ou mais cotistas, que sejam investidores qualificados.

 

Portanto, todo investidor profissional é, também, um investidor qualificado, mas o contrário não se aplica, já que o investidor profissional deve possuir investimentos  10x maiores que o investidor qualificado.

Quem pode ser classificado como investidor qualificado?

Como vimos, pode ser um investidor qualificado uma pessoa física ou jurídica que possua investimentos superiores a R$ 1 milhão, desde que ateste, a partir de termo próprio, essa condição.

 

Também são considerados investidores qualificados aqueles que possuam certificações aprovadas pela CVM.

 

As certificações são parte da qualificação técnica exigida para o registro de agentes autônomos de investimento, administradores de carteira, analistas e consultores.

Anbima

Uma das entidades que certifica agentes, administradores e analistas é a ANBIMA.

A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais reúne diversas empresas diferentes, buscando reproduzir a pluralidade dos mercados.

Nascida em 2009, a ANBIMA tem um modelo de atuação baseado em quatro pilares: representar, autorregular, informar e educar.

O último compromisso, educar, é cumprido através de cursos e certificações a investidores de todos os níveis. Para buscar uma certificação, visite o site, conheça os modelos e agende seu exame.

Já no pilar informar, a ANBIMA esclarece as questões sobre a classificação de investidor e a análise de suitability, uma análise de perfil que determina que:

 

  • A pessoa física deve conhecer o seu perfil antes de começar a investir;
  • As instituições financeiras, corretoras e demais empresas ou profissionais devem respeitar o perfil do investidor na hora de oferecer produtos financeiros para investimento.

 

Isso significa que se o seu perfil for conservador, não pode ser oferecidos a você os investimentos que são considerados de alto risco, como por exemplo, operações day trade no mercado futuro. Já para perfis arrojados, tudo bem ter uma carteira de investimentos mais distribuída entre renda fixa e variável.

O objetivo principal dessa análise é proteger o investidor e seus interesses. Um perfil conservador não é aderente a produtos que podem oferecer  riscos. Portanto, não estará de acordo com os objetivos e expectativas do investidor.

No entanto, investidores profissionais ou qualificados ficam isentos dessa obrigação, já que eles assinam um termo declarando sua condição, confirmando conhecimento, experiência e interesse em avaliar riscos maiores para traçar suas estratégias.

Principais diferenças entre investidor qualificado e investidor profissional

Como vimos anteriormente, todo investidor profissional é, também, um investidor qualificado. No entanto, o contrário não ocorre.

 

Isso porque investidores profissionais devem possuir valores bem superiores do que o mínimo exigido em investimentos para os investidores qualificados. Enquanto o qualificado precisa ter R$ 1 milhão, o profissional precisa ter mais de R$ 10 milhões.

Por conta desse volume, é muito comum que o grupo de investidores profissionais seja formado por grandes empresas do setor financeiro, como, por exemplo:

 

  • Bancos;
  • Corretoras;
  • Seguradoras;
  • Fundos de investimentos;
  • Clubes de investimentos.

 

Quais as vantagens de ser um investidor qualificado?

O investidor qualificado tem acesso a produtos em Bolsas do exterior, além de redução de taxas em algumas corretoras.

 

O investidor qualificado, como vimos, é uma classificação da CVM que identifica aqueles investidores com maiores condições de autogerenciar riscos.

Dessa forma, tanto investidores de varejo (pessoas físicas, sem maiores conhecimentos ou expertises do mercado), quanto investidores qualificados ou profissionais têm seus interesses assegurados:

 

  • Para o investidor de varejo, produtos com boa rentabilidade, riscos menores, apoio de profissionais, como o assessor de investimentos;
  • Para o investidor qualificado, produtos financeiros exclusivos com alto potencial de rentabilização, ainda que com riscos altos – avaliados por ele próprio para a tomada de decisão.

 

Para entender melhor sobre esses interesses, vamos trazer as duas principais vantagens de ser um investidor qualificado. Com certeza, você vai concordar que esse é um caminho natural para todos que desejam levar seus investimentos a um outro patamar.

Produtos exclusivos

Como já comentamos, o investidor qualificado tem acesso a produtos exclusivos. Mas por que isso?

Porque o investidor de varejo, aquele investidor “comum”, só pode ter acesso a produtos que correspondam ao seu perfil (lembra da análise de suitability?).

 

Porém, entende-se que investidores qualificados têm conhecimento e experiência suficientes para administrar produtos diferenciados.

Dessa forma, permite-se que eles possam ter uma carteira de investimentos mais diversificada, com produtos diferenciados e com maior potencial de rendimentos.

Um dos exemplos de produtos exclusivos a investidores qualificados são os fundos de investimento no exterior. Falaremos mais sobre os produtos destinados ao investidor qualificado, logo à frente.

Redução em custos

Muitas corretoras oferecem taxas administrativas bem reduzidas para uma carteira de clientes VIP – ou seja, investidores que possuam investimentos de alto valor, como é o caso do investidor qualificado.

Considerando o volume investido e transacionado, é uma oferta justa de ganha-ganha: ao investidor, taxas menores de administração dos seus investimentos; para a corretora, clientes com grande porte e potencial operando em sua plataforma.

Conheça os valores dos planos do modalmais e abra sua conta!

Riscos de ser um investidor qualificado

Se você já é um investidor, deve estar acostumado a acessar relatórios, documentações, gráficos, análises e até sugestões de assessores de investimento, analistas e outros profissionais do mercado financeiro.

Isso porque os produtos negociados na Bolsa de Valores (B3) vêm, geralmente, acompanhados de uma série de informações que auxiliam na tomada de decisão do investidor.

Para o investidor qualificado, porém, isso não é verdade. Produtos financeiros exclusivos para essa categoria são carentes de análises ou documentações, o que exige maior critério de avaliação do investidor.

Além disso, são produtos de maior risco, o que exige cautela na hora de tomar uma decisão.

É por isso que para ser um investidor qualificado você deve ter um conhecimento amplo sobre o mercado e a economia como um todo, além de outras habilidades específicas que auxiliem na avaliação dos riscos e das possibilidades de cada novo produto.

Se, por um lado, o investidor qualificado tem menos burocracia, por outro, tem mais chances de errar. Então, muito cuidado.

Conheça alguns investimentos disponíveis para um investidor qualificado

O investidor qualificado tem acesso a produtos e ofertas exclusivas.

 

Você já sabe que um investidor qualificado tem a oportunidade de investir em produtos financeiros exclusivos. Mas que produtos são esses?

Vamos falar, abaixo, de alguns investimentos disponíveis para o investidor qualificado. Confira:

Fundos de investimento no exterior (FIE)

A Bolsa de valores do Brasil, a B3 (antiga Bovespa), representa cerca de 1% do volume de ações de todo o mundo.

Enquanto investidores de varejo operam na Bolsa comprando e vendendo esse 1%, os investidores qualificados têm a oportunidade de atuar em ações do exterior. Já imaginou ter acesso a ações de gigantes como Apple, Microsoft e Google?

Além de poder acessar ações de empresas de alto valor, o investidor qualificado ainda estará operando em dólar, elevando ainda mais sua rentabilidade, já que o real é desvalorizado.

Certificados de recebíveis

Os certificados de recebíveis são produtos acessíveis para outros perfis. Porém, o investidor qualificado têm acesso a ofertas diferenciadas, voltadas exclusivamente a essa categoria.

Os certificados de recebíveis representam uma promessa de pagamento sobre financiamentos realizados nos mercados da agropecuária (CRA) ou imobiliário (CRI).

Em resumo, o investidor compra o rendimento do crédito oferecido para o desenvolvimento desses mercados.

Ou seja: se um banco financiou determinada obra, você pode comprar um certificado de recebíveis para rentabilizar seu dinheiro a partir dos juros cobrados pelo empréstimo, de acordo com os pagamentos do devedor.

Como se tornar um investidor qualificado?

Agora que você já sabe o que é um investidor qualificado e as vantagens de estar nesse grupo, hora de saber como fazer para ser classificado dessa forma.

O primeiro passo  é, claro, ter mais de R$ 1 milhão investido. Mas só os investimentos não bastam: você precisa assinar um termo, declarando-se investidor qualificado.

Para isso, solicite o termo à sua corretora.

Agora, se você (ainda) não tem investido o capital mínimo exigido, saiba que você pode ter um investidor qualificado se conseguir uma das certificações aceitas pela CVM. São elas:

  • Agente Autônomo de Investimentos da Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias (ANCORD);
  • Analista de Valores Mobiliários CNPI – Programa de Certificação Nacional, oferecido pela APIMEC;
  • Certificações CEA, CGA e CFP do programa da ANBIMA.

 

Por fim, nunca é demais reforçar: o investidor qualificado é uma forma de atestar conhecimento, experiência e capacidade de avaliação, além  dO gerenciamento de riscos existentes no mercado financeiro.

Portanto, se você é um investidor amador, preocupe-se em, antes, percorrer uma trajetória em alguns produtos de riscos diferentes, conhecer os modelos de análises. Enfim, amadurecer o seu conhecimento financeiro e econômico. Combinado?

Conclusão

Investidor qualificado é uma classificação da CVM para identificar investidores com potencial de gerenciamento de riscos. A principal vantagem desse perfil é ter acesso a produtos financeiros mais rentáveis e exclusivos.

Para se tornar um investidor qualificado sem precisar alcançar o volume de R$ 1 milhão investido, você pode buscar uma certificação aceita pela Comissão de Valores Mobiliários.

No entanto, antes de se aventurar por esse mar de possibilidades, é preciso dominar os conceitos básicos e obter alguma experiência no mercado financeiro.

 

Por isso, separamos alguns artigos que podem ser úteis para o seu preparo. Confira:

 

 

Ainda não investe com o modalmais? Então, abra sua conta gratuita e comece agora mesmo!