Comprar ações na Bolsa de Valores acaba gerando algumas dúvidas na mente do investidor, especialmente quando se acredita ser possível adquirir somente uma quantidade determinada de papéis. Todavia, existe o mercado fracionário, que permite a aquisição desses títulos em lotes menores que os previamente estabelecidos.

Isso possibilita que mesmo o pequeno investidor possa começar a conhecer o mercado e obter seus primeiros ganhos com ele. Pensando na importância do assunto, resolvemos escrever este artigo.

Nele, mostramos os principais pontos sobre o mercado fracionário que você precisa conhecer, bem como sua definição e importância para o investidor. Acompanhe!

O que é o mercado fracionário e como ele funciona?

Comprar ações no mercado tradicional exige quantidades mínimas de papéis para compor o seu lote. Por exemplo, para adquirir ações da Petrobras (PETR4) no lote padrão, é necessário enviar uma ordem de compra com, no mínimo, 100 ações.

Com o preço do papel em R$ 20,00, por exemplo, você precisaria de R$ 2.000,00 para realizar esse investimento, sem contar com os custos adicionais, como de emolumentos e corretagem. Isso pode acabar limitando as operações de um investidor – afinal, nesse caso, ele precisaria do valor cheio para fazer a aquisição.

O mercado fracionário, portanto, permite a aquisição de um lote de ações sem exigir uma quantidade mínima, evitando o encarecimento de aportes e favorecendo em muito o pequeno investidor. Logo, se você não tem uma quantia muito grande para aplicar, pode comprar 1, 2, 10 ou 50 ações de uma empresa, tendo a sua rentabilidade totalmente atrelada ao montante que foi aplicado.

É muito diferente do mercado integral. No geral, seria necessário comprar o lote de 100 ações. O mercado fracionário recebe esse nome justamente pelo fato de existir o fracionamento desses lotes dos papéis.

Qual é a diferença do mercado fracionário para o tradicional?

Vamos nos aprofundar um pouco mais no mercado fracionário para que você entenda melhor as diferenças entre ele e o tradicional.

No caso de compra de ações no mercado tradicional, elas são negociadas em lotes que também são conhecidos como lotes-padrão. A Bolsa de Valores brasileira tem uma organização desses lotes, que costumam ser divididos em 10, 100 ou 1.000 ações, sendo que algumas empresas podem ter lotes mínimos com números superiores de papéis.

As empresas que possuem o seu capital comercializado na Bolsa é que definem o número de ações em cada lote. Geralmente, como já mencionamos, esse lote padrão costuma ser composto por 100 ações.

Entretanto, se você quiser saber qual é a quantidade exigida em cada empresa, basta consultar na plataforma de negociação ou no site da B3. Assim, se uma organização que tem suas ações comercializadas na Bolsa determina que a quantidade mínima será em múltiplos de 100, por exemplo, você poderá comprar apenas nessas quantidades do exemplo a seguir: 100, 200, 300, 500, 1.000 ações, assim por diante, sempre em múltiplos de 100 para cada lote.

Para comprar ações em um número inferior ao lote mínimo que foi estabelecido, é necessário recorrer ao mercado fracionário – onde você pode adquirir de 1 a 99 ações. Assim, é possível fazer negociações totalmente fora do lote padrão, possibilitando que o investidor possa comprar quantidades de papéis inferiores a um único lote, ou adquirir um lote cheio e metade de outro, por exemplo.

Contudo, o código da ação varia entre mercados (do padrão para o fracionário). Para operar no mercado fracionário com determinado papel, basta inserir a letra F após o código que a companhia possui na Bolsa. Por exemplo, o código da Petrobras é PETR4, e, para comprar as ações no mercado fracionário, você deve inserir o código PETR4F.

Apesar de os papéis do mercado fracionário terem os mesmos critérios de valorização e fundamentos do tradicional, existem algumas outras diferenças que precisam ser observadas, além das diferenças com relação ao tamanho do lote.

Um deles é a baixa oferta e a procura por esses papéis, o que pode comprometer a liquidez do mercado fracionário. Sendo assim, aqueles investidores de curto prazo, por exemplo, podem enfrentar dificuldades ao fazer operações no mercado fracionário.

Por exemplo, operações de Day Trade, em que as negociações iniciam e encerram no mesmo dia, podem ser prejudicadas no mercado fracionário. Ou seja, ao tentar sair de uma operação, comprando ou vendendo para zerar a posição, você pode ter dificuldades de encontrar uma quantidade de lotes suficientes no seu preço, correndo riscos de perder dinheiro ou aumentar um prejuízo com uma ordem de saída mal precificada.

Por isso, operações que exigem uma liquidez maior para dar saídas mais rápidas em operações de curto prazo podem não ser interessantes, se forem realizadas dentro do mercado fracionário.

Quais são as vantagens do mercado fracionário?

Agora que você entendeu o que é esse mercado e as suas principais diferenças para o modelo tradicional, mostraremos quais são as suas principais vantagens. Acompanhe!
Diversificação

Uma das primeiras vantagens que podemos destacar é a melhora na sua carteira de investimentos. Muitas pessoas acabam não diversificando a sua carteira de ações pelo fato de não terem recursos suficientes para isso. Ao conhecer o mercado fracionário, portanto, você perceberá que é possível dividir seus recursos em vários papéis.

A diversificação é uma das práticas mais saudáveis assumidas por quem pretende montar uma carteira de ações. Todavia, isso pode tornar-se algo totalmente inviável no mercado tradicional se você não tiver muito recurso para investir. Afinal, no lote padrão, seria necessário ter recursos bastante elevados para investir em várias empresas

O mercado fracionário permite que você divida os recursos que tem para investir em várias frações, aportando quantias diferentes em cada uma das empresas que você deseja aplicar.

 

Investimento com menos recursos

Como você já pôde perceber, no mercado fracionário, é possível investir com quantidades reduzidas de recurso. Esse tipo de operação permite ao pequeno investidor ter um espaço garantido na Bolsa de Valores, podendo obter bons rendimentos com suas aplicações, aprender e crescer com o passar do tempo.

 

Investimento no longo prazo

Por fim, o mercado fracionário possibilita que você possa gerar projetos de longo prazo na Bolsa de Valores. Ou seja, pode iniciar no mercado e utilizar os recursos advindos da rentabilidade proporcionada pelos papéis para realizar outras operações, aumentando a quantidade de lotes e possibilitando que você possa passar para o mercado de lote padrão à medida que o seu patrimônio vai crescendo.

 

Quais são as desvantagens do mercado fracionário?

Como nem tudo são flores no mercado de ações, existem algumas desvantagens que você também precisa conhecer, as quais destacamos nos próximos tópicos. Continue lendo!

 

Gasto maior com corretagem

A corretagem é uma taxa comum na realização de qualquer tipo de operação na Bolsa. A instituição com a qual você abriu a sua conta deve fazer a intermediação entre você, pessoa física, e a Bolsa de Valores. Essa transação, em alguns casos, não é gratuita.

No mercado de ações, todas as vezes em que você envia uma ordem de compra ou venda, será necessário o pagamento de corretagem. Supondo que esse valor seja de R$ 10, ele pode ter um impacto maior no caso de operações de baixo custo, impedindo que você compre mais ações com o recurso disponível.

Por exemplo, se você compra 1 ação – o que só seria possível no mercado fracionário – que custa R$ 20,00, essa taxa corresponderia a um percentual de 50% do custo do investimento. No entanto, se você compra 1000 ações – operação que seria realizada no mercado padrão – nesse mesmo preço, que equivaleria a investir R$ 20.000,00 em ações, esse percentual cairia para insignificantes 0,05% do custo do investimento.

 

Spread maior entre compra e venda

Para entender essa desvantagem, precisamos explicar o conceito de spread. Basicamente, ele se refere à diferença entre preços. Nesse caso, abordaremos o spread entre as ordens de compra e venda que são enviadas pelos investidores que têm intenção de entrar, ou sair, em alguma operação com papéis de determinada empresa.

No mercado fracionário, esse spread costuma ser maior em decorrência do volume de negociações realizadas diariamente ser menor, se compararmos com o volume de negociações em lote padrão. A desvantagem disso está no fato de você, possivelmente, com determinado ativo, não conseguir sair ou entrar em uma operação em um preço “cravado”.

Por exemplo, suponhamos que você queira vender um lote de 50 ações da PETR4F a R$ 21,00. Porém, ao analisar o mercado, você percebe que só existem compradores nessa região de preços, no mercado de lotes padrão. Já no mercado fracionário, só há compradores a R$ 20,90, por exemplo.

Como comprar ações no mercado fracionário?

Agora que você entendeu o que é o mercado fracionário, suas vantagens e desvantagens, mostraremos como funciona o processo para comprar ações dessa forma. Inicialmente, você precisa abrir a sua conta em uma instituição bancária que ofereça uma plataforma de investimentos, – o que é uma das partes mais importantes do processo – como o modalmais, que conta com diversas opções, desde as mais simples até as mais robustas.

Ao abrir a conta, é necessário transferir o recurso para ela por meio de TED ou DOC. O próximo passo é procurar pelo papel na plataforma. Lembre-se sempre que a cotação no mercado fracionário é diferente – mesmo que por pouco – da cotação dos ativos negociados em lotes padrão.

Por fim, para negociar, não esqueça de inserir a letra F ao final do código da ação. Por exemplo, digamos que você queira comprar papéis de Eletrobras (ELET6). Porém, tem disponível somente R$ 1500, o que não seria capital suficiente para comprar um lote padrão, já que, hipoteticamente, essa ação está custando R$ 30,25.

Sendo assim, você busca por esse ativo no mercado fracionário (ELET6F). Com base na cotação e em ofertas apregoadas no book de ofertas, é possível analisar itens que já pontuamos aqui, como sendo muito importantes: o spread, que indica de certo modo, a liquidez do papel.

Para tanto, vale a pena fazer um comparativo do capital disponível para a compra com o objetivo de detectar se a operação, de fato, valerá a pena e o custo que o ativo deveria atingir para compensar esse “custo x benefício”.

Afinal, pode não valer a pena comprar uma quantidade muito pequena de um papel, no mercado fracionário, se as taxas de corretagem equivalerem a um alto percentual em relação ao preço de aquisição da ação, como no exemplo que usamos alguns tópicos acima. Por essas e outras, conheça o modalmais, onde você encontra corretagens para compra de ações, inclusive no mercado fracionário, a partir de R$ 0,99 por ordem executada.

Além disso, é fundamental que você faça uma análise bem apurada da empresa e das possibilidades de variação que ela pode proporcionar.

Feito isso, basta enviar a ordem de compra, e acompanhar a evolução do papel. Como vimos, operacionalmente, comprar e vender ações no mercado fracionário é muito simples: basta inserir a letra F na frente do código, escolher a quantidade e comprar. Entretanto, o processo de análise e gerenciamento que precede essa operação deve ser feito com o mesmo zelo e cuidado que no mercado tradicional.

O resultado das suas aplicações será igualmente adequado ao tempo que você se dedicou para estudar e conhecer mais detalhes sobre a empresa, suas políticas de distribuição de dividendos e as análises que foram feitas sobre os cenários macroeconômicos e, principalmente, os pontos que podem influenciar na volatilidade dos preços das ações daquela empresa.

Por fim, podemos concluir que o mercado fracionário pode ser uma boa opção para o investidor iniciante ou que ainda não tem recursos suficientes para fazer grandes operações na Bolsa de Valores.

Se você gostou dessas informações e quer começar a investir em ações,  abra a sua conta no modalmais e descubra todas as funcionalidades que podemos oferecer para esse mercado.

 

Nova call to action