Resumidamente, a margem de garantia é um valor que deve estar disponível na corretora, de modo a sustentar sua posição em certos tipos de investimentos. Na prática, é uma forma de alavancar seu capital.

No entanto, é importante entender que a margem de garantia não é sinônimo de alavancagem. É aqui que começam a surgir dúvidas entre os investidores.

Pensando nisso, criamos esse guia completo. Esse artigo irá ajudar você a entender melhor o que é margem de garantia, como ela funciona e como investir dessa forma.

 

Neste artigo, você vai ler sobre:

 

  • O que é e como funciona a alavancagem no day trade
  • O que é margem de garantia da B3
  • Como funciona a conta margem
  • É seguro operar alavancado?
  • Como investir alavancado na modalmais

 

Boa leitura!

 

Entenda o que é alavancagem e como ela funciona no day trade

Entenda melhor os conceitos envolvidos na alavancagem.

 

Para entender porque a margem de garantia é uma oportunidade de alavancar o capital, é preciso conhecer melhor esse conceito. A alavancagem te possibilita investir com valores maiores que seu patrimônio.

Dessa forma, você aumenta sua possibilidade de rendimentos, ao mesmo tempo que aumenta o risco do investimento, isto sem aumentar o custo inicial. Com isso, o pequeno investidor tem acesso à oportunidades iguais aos que investem grandes quantias.

Para entender melhor, vamos utilizar um exemplo. Suponha que você possui R$ 5 mil disponíveis para investir. Após comparar diversos papéis, você escolhe um ativo que apresentou valorização de 3%.

Se você aplicou todo o capital, sem alavancagem, seus ganhos seriam de R$ 150. Com a alavancagem, no entanto, é possível investir valores até 40 vezes maiores que seu capital disponível.

Supondo que você investiu em ativos que valem R$ 50 mil, com seu capital disponível, seu rendimento será calculado sobre o valor total: você ganhou R$ 1.500, ao invés de R$ 150.

Porém, é importante ressaltar: além de potencializar seus lucros, a alavancagem também aumenta os riscos da operação. Isso acontece pois, se houver prejuízos, eles também serão calculados com base no valor total do ativo.

Portanto, esse tipo de operação não é recomendado para investidores iniciantes ou que não contam com uma reserva financeira de emergência.

No caso de perdas, o valor é descontado da margem depositada. Se, no entanto, o valor perdido for maior que o capital disponível, serão geradas dívidas com juros no nome do investidor.

 

O que é a margem de garantia da B3

A margem de garantia é uma porcentagem sobre o valor do ativo.

 

A margem de garantia nada mais é que um valor depositado para cobrir operações no mercado financeiro. Esse valor serve como garantia de que, havendo prejuízos, você conseguirá arcar com eles.

Essa é uma prática muito similar aos depósitos de caução em contratos de aluguel de imóveis, por exemplo.

As margens de garantia variam de um ativo para o outro. Assim, você precisa contar com diferentes valores para investir em ações ou contratos futuros, por exemplo. O prazo escolhido também é um fator importante no cálculo da margem de garantia.

Dessa forma, é possível investir em papéis com melhor rentabilidade, mas com aportes efetivamente menores. Para esse tipo de operação, dá-se o nome de alavancagem.

É interessante ressaltar: para operar no formato alavancado, o investidor precisa realizar um empréstimo de curtíssimo prazo com a corretora. Após isso, é aplicada uma taxa de juros ao montante, conhecida como taxa de alavancagem.

No day trade, o dinheiro não permanece aplicado tempo o suficiente para gerar grandes juros. No entanto, se o objetivo é aplicar com prazos maiores, é preciso levar esse custo em consideração.

 

Margem de Garantia é a mesma coisa que taxa de alavancagem?

Não. A margem de garantia trata-se de uma porcentagem do valor cheio do ativo negociado. Ela serve para o investidor demonstrar que poderá arcar com eventuais prejuízos. Funciona, por exemplo, como um depósito antecipado de um aluguel de imóvel.

Esse montante poderá ser depositado na sua conta com a corretora, ou disponibilizado em forma de outros ativos.

A taxa de alavancagem, por sua vez, trata-se do valor cobrado pela corretora por conta do empréstimo realizado nas operações alavancadas.

Ou seja, se você operar no formato alavancado, mas com apenas 10% do valor de um ativo, a corretora precisa realizar um empréstimo no valor do restante do capital.

Assim como em todo empréstimo, são cobrados juros nessas transações. Por esse motivo,  muitos investidores utilizam a alavancagem apenas no curtíssimo prazo.

Muitas corretoras, incluindo a modalmais, não cobram juros na alavancagem, em operações liquidadas no mesmo dia.

 

Como funciona a conta margem

Tire suas dúvidas sobre a conta margem e como investir através dela.

 

A conta margem é uma modalidade de crédito, oferecido pelas corretoras. É voltado para a alavancagem, possibilitando operações onde não é necessário que o investidor possua 100% do capital envolvido.

A taxa cobrada por esse serviço varia de uma corretora para outra. Normalmente, para realizar o cálculo da taxa, também é levado em consideração a composição da carteira de ações do cliente.

Através da conta margem é possível alavancar investimentos ou aproveitar oportunidades, mas sem a necessidade de liquidar outros ativos.

Essa ferramenta não é recomendada para objetivos de longo prazo. Para isso, é recomendado o uso de recursos como a alavancagem ou demais estratégias adotadas por investidores de perfil arrojado e com mais experiência.

 

É seguro operar alavancado?

Conhecer os riscos é fundamental para tomar as melhores decisões.

 

Operar alavancado pode, sim, potencializar os rendimentos para o investidor. No entanto, esse tipo de operação envolve alguns riscos.

Primeiramente, é preciso ter em mente que, havendo desvalorização dos papéis, o prejuízo será calculado com base no valor total do ativo.

Ou seja, se você investiu em um ativo no valor de R$ 50 mil, com uma margem de garantia de R$ 5 mil, o prejuízo é calculado como se você tivesse investido o valor cheio.

Para entender melhor, veja o exemplo a seguir.

 

Exemplo: riscos de desvalorização do papel na operação alavancada

Imagine que você irá investir em um contrato futuro no valor de R$ 50.000,00. Para investir, é preciso que 15% do valor esteja na sua conta da corretora. Normalmente, é permitido que esse montante esteja disponível na forma de saldo ou ativos em sua conta.

Assim, será necessário R$ 7.500,00 como aporte inicial.

Os rendimentos (positivos ou negativos) serão calculados com base no valor total do contrato, e não no montante aplicado. Então, se o índice valorizar 10%, você irá lucrar R$ 5.000,00.

Caso tivesse investido sem alavancagem (em ativos com valor cheio de R$ 7.500), você teria lucrado apenas R$ 750.

Essa quantia será liquidada na data do vencimento e o valor da margem de garantia será devolvido. O investidor que começou com R$ 7.500, agora tem R$ 12.500.

No entanto, se o índice desvalorizar 10%, você perderá R$ 5 mil. Nesse caso, parte do que você investiu como margem de garantia, seria perdido. Na data de vencimento, poderia resgatar o valor restante da margem, que seria R$2.500.

Agora, imagine que a queda foi bem maior, de 25%. Nesse caso, o prejuízo seria de R$ 12.500,00 e, assim, você teria perdido todo seu investimento inicial, mais R$ 5 mil.

Com isso, você não receberia a margem de garantia de volta. O valor excedente torna-se mais uma conta a pagar. Ela pode ser descontada de outros investimentos, coberta com um depósito, ou passar a gerar dívidas, acrescidas dos juros acordados com a corretora.

 

Alavancagem é uma operação recomendada para investidores experientes

Como mostramos, operar alavancado sem ter conhecimento sobre o formato, pode ser muito prejudicial. É uma estratégia recomendada para perfis arrojados, ou seja, investidores experientes, com alta tolerância ao risco e habilidade para mitigá-lo.

Apesar de potencializar – e muito – as possibilidades de lucro, esse tipo de operação exige conhecimento e monitoramento constante do mercado. É uma estratégia melhor aplicada no curto prazo, buscando evitar a cobrança de grandes taxas de juros nos empréstimos.

 

A diversificação deixa a alavancagem mais segura

É mais seguro operar alavancado quando você procura diversificar sua carteira, pois ao aplicar em diferentes ativos, será possível compensar eventuais prejuízos com os lucros de outro papel.

Da mesma forma, é recomendado que, antes de operar alavancado, tenha à disposição uma reserva de emergência em ativos mais seguros. Antes de começar utilizar estratégias de alto risco, é importante garantir um patrimônio diversificado a curto, médio e longo prazo.

Apesar de ser um formato bastante eficaz de potencialização de investimentos, a alavancagem não deve ser sua primeira estratégia ao investir.

Recomendamos também ficar atento às notícias do setor e tendências do mercado. Assim, fica mais fácil definir quais são as melhores escolhas na hora de se aventurar no Day Trade.

 

Como investir alavancado na modalmais

Na modalmais é simples investir alavancado.

 

Aqui na modalmais, é possível realizar operações alavancadas em até 50 vezes o valor do ativo. Isso significa, por exemplo, que é possível investir em ativos com valor cheio de R$ 50 mil com um aporte inicial de R$ 1 mil.

O melhor é poder contar com juros zero em operações de Day Trade. Isso significa que operações alavancadas liquidadas integralmente no mesmo dia, não geram juros!

Para aproveitar essa e outras vantagens, você só precisa abrir sua conta grátis na modalmais. Basta clicar aqui e começar seu cadastro.

Você pode abrir sua conta através do aplicativo, disponível para Android e iOS.

Você só precisa preencher as informações necessárias e criar uma senha de acesso.

Assim que sua conta for aberta, você receberá um email de confirmação. Pronto: você já pode começar a investir.

Ficou com alguma dúvida sobre como abrir sua conta? Então confira as perguntas mais frequentes aqui. Se ainda tem alguma pergunta, é só falar com nossa equipe através do chat no site ou do nosso SAC, através do 0800 941 2570.

 

Conclusão

A margem de garantia pode ser um recurso de alavancagem.

 

A margem de garantia corresponde a uma porcentagem do valor total de um ativo. Essa quantia é depositada pelo investidor, de forma a garantir que ele poderá arcar com eventuais prejuízos.

Esse recurso é frequentemente utilizado como forma de alavancagem. Ou seja, permite que investidores com menos recursos disponíveis, consigam aproveitar as mesmas oportunidades daqueles que dispõem de maior capital.

É importante lembrar: a alavancagem é uma estratégia arriscada, sendo recomendada para investidores mais experientes, já que não potencializa apenas a possibilidade de lucro, mas também a de prejuízo no caso de desvalorização dos ativos.

Para ter sucesso operando alavancado, é preciso conhecer as dinâmicas do mercado e monitorar as oscilações dos preços de perto.

Além disso, também é recomendado manter esse tipo de operação no curtíssimo prazo, de modo a evitar juros em forma de taxa de alavancagem.

Agora, você aprendeu um pouco mais sobre margem de garantia e como essa ferramenta pode te ajudar a potencializar seus rendimentos. E então, operar alavancado combina com seu perfil de investidor e seus objetivos financeiros? Conte para a gente nos comentários!

 

Enquanto isso, que tal aprender ainda mais sobre investimentos? Confira esses outros artigos que preparamos para você:

 

Obrigado pela leitura!