Diversificar investimentos é uma premissa básica para o sucesso de um investidor no mercado financeiro. Nesse sentido, é essencial buscar diferentes ativos onde você possa fragmentar seu capital, experimentar outras rentabilidades e, principalmente, fracionar riscos. Assim, investir em prata pode ser uma ótima alternativa.

O mercado de metais é amplamente utilizado para um processo chamado hedge, que visa a proteção do patrimônio de um investidor. O mais conhecido e empregado como uma modalidade de investimento é o ouro. Porém, esse não é o único metal que pode compor sua carteira de aplicações.

Neste artigo, discorreremos detalhadamente sobre todos os pontos do investimento em prata e como você pode ter acesso a esse ativo. Acompanhe!

 

Qual é a importância do investimento em prata?

Investir em prata é um procedimento que pode ser realizado de forma física, ou seja, adquirindo barras do metal, moedas, joias e outros itens produzidos à base desse elemento.

Porém, essas não são as únicas formas de adquirir esse ativo. Também é possível fazer isso com instrumentos financeiros negociados na Bolsa de Valores.

A importância da manutenção desses ativos em uma carteira de investimentos está relacionada à questão da proteção que ele pode proporcionar, bem como à rentabilidade e a outras vantagens que mencionaremos em outro tópico deste artigo.

 

Como a prata se insere como uma commodity?

A prata é um metal com certo grau de preciosidade perante os produtores de joias à base de metais. Entretanto, ela não se limita à produção desses itens e tem uma participação extremamente importante em diversos setores.

A utilização da prata reporta os anos de 1780 a 1580 A.C. Nessa época, a maioria dos itens usados pelas pessoas era feita de prata. Como se trata de um metal escasso, ela foi sendo substituída com o passar dos séculos.

Entretanto, ela ainda é empregada para a produção de materiais odontológicos, cirúrgicos e, até mesmo, de alimentação. Além disso, ela também pode ser usada para produção de componentes elétricos de veículos e motores.

Logo, a utilização desse metal é extremamente ampla. Assim, ela é considerada como uma commodity, ou seja, um elemento que é utilizado como matéria-prima para a produção de diversos outros produtos.

Outros exemplos de metais considerados commodities são o próprio ouro e, principalmente, o cobre, empregado amplamente na indústria eletromecânica para a produção de fios condutores de eletricidade.

 

Como investir em prata?

Entendida a importância geral da prata, demonstraremos as várias formas possíveis de acesso a esse metal como ativo financeiro. Basicamente, é possível comprar a “prata 999” com um grau de pureza de 99,9%.

No entanto, também é possível adquirir moedas de prata ou de colecionador. Esses itens, além do valor do metal, têm um valor artístico-histórico em conjunto.

Entretanto, no exterior, existe um mercado mais desenvolvido, com vários ativos e fundos especializados no investimento nesse metal.

No mercado brasileiro, nós também temos fundos de investimento e outros produtos, como COEs, relacionados ao mercado de prata. Neste tópico, mostraremos os meios que você tem para investir nessa commodity. Continue!

 

Lingotes no cofre

Sem dúvidas, a forma mais simples de investir em prata é comprar barras ou moedas diretamente de uma corretora que trabalha com metais preciosos, especializada em investimento nesse metal.

A vantagem disso é que esse tipo de operação não é tão complexa. Afinal, as operadoras na praça também oferecem serviços de custódia — ou seja, guarda do ativo — em seus próprios cofres.

Porém, essa guarda não é gratuita. Existem custos aplicados ao preço da prata para que esse serviço seja executado, e, em alguns casos, podem ter um valor significativo. Portanto, é importante ter atenção a esse detalhe.

 

ETC que “copia” o preço de uma onça

Outra forma comum de investir em prata é por meio de Exchange-traded Commodities (ETC), que é um tipo de ETF dedicado à movimentação de commodities.

Esses ativos são listados em Bolsas de Valores no exterior e seguem as tendências dos preços desse metal precioso, além de poderem ser resgatados em forma de moeda ou barras de prata. Em termos gerais, existem dois tipos diferentes de ETC de prata: de replicação física e sintética.

No primeiro tipo, o valor é garantido por um montante que corresponde à prata. Já no caso do ETC de replicação sintética, como garantia são utilizados contratos de derivativos.

 

Títulos de mineradoras

Outra forma de investir em prata é por meio de mineradoras que atuam com a extração desse metal. Nesse caso, há duas opções diferentes: ou comprar cotas de fundos de investimentos que também atuam no setor. Nesse sentido, o desempenho do valor do ativo pode variar de forma significativa em relação ao da própria prata.

 

Quais são os benefícios de investir em prata?

Entendidas as diversas possibilidades de investir em prata, mostraremos os benefícios que esse investimento pode proporcionar. Confira!

 

Segurança

A prata, considerado um metal precioso há milhares de anos, funciona, assim como o ouro, como uma espécie de reserva de valor, o que geralmente ganha ainda mais destaque em momentos de crises e incertezas econômicas.

Em 2020, quando a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus começou, o ouro, por exemplo, atingiu cotações históricas.

Isso mostra o potencial de valorização desse tipo de ativo e, também, se mostra uma excelente opção de hedge – ou seja, proteção – para sua carteira, visto que em uma eventual desvalorização de outros ativos financeiros, decorrente de uma crise, por exemplo, a prata, no geral, apresentaria rentabilidade positiva, o que possibilitaria uma forma de compensação sobre perdas em outros ativos.

 

Diversificação de investimentos

Diversificar investimentos é uma regra para todo investidor. Quem “aposta” grande parte do seu capital em um ou dois ativos, se expõe de forma considerável aos risco inerentes àquela ou àquelas poucas aplicações.

Esse conceito traduz a frase “nunca coloque todos os ovos em uma única cesta”. Afinal, se ela cair no chão, todos os ovos serão perdidos.

Nesse cenário, a prata surge como uma alternativa para fazer essa diversificação de investimentos, possibilitando que você aproveite toda a rentabilidade e segurança que esse ativo pode proporcionar.

 

Rentabilidade em períodos de crise

Como mencionamos, a rentabilidade da prata — seguindo característica de outros metais preciosos — tende a fazer um contraponto à rentabilidade do mercado em momentos de crise.

Como esse ativo tem um valor constante ao longo do tempo, é muito comum que, em períodos de instabilidades, ocorra um aumento na sua cotação.

Afinal, durante esses períodos, muitos investidores compram a prata ou ativos vinculados a ela para proteger o seu patrimônio e fazer hedge. Consequentemente, é natural que a sua cotação suba, tendo em vista que várias pessoas começam a comprar.

Nessas situações, a liquidez existente em cada faixa de preço não é capaz de atender à demanda pelo metal de todos interessados. Exatamente por isso, o valor tende a subir.

Liquidez

O preço da prata não é restrito a apenas um país. Ela tem um valor global, o que faz com que o ativo tenha maior liquidez. Isso significa que a prata é um ativo facilmente convertido em dinheiro.

Ou seja, se você tem investimentos em prata e precisa transformá-los em dinheiro livre para movimentação rapidamente, não terá dificuldade em fazer isso.

 

Perenidade da prata

Por fim, a prata é um ativo que tem um baixíssimo índice de depreciação ao longo do tempo, ou seja, ele é perene. Existem itens milenares feitos à base desse metal, guardados em museus em toda a parte do mundo.

Apesar de a prata oxidar ao ter contato com a água ou condições climáticas, é um ativo com altíssimo grau de durabilidade e, na maioria das vezes, transmitido por gerações nas famílias. Essa característica da prata é o que possibilita a valorização que ela é capaz de proporcionar aos investidores.

 

Quais são os riscos do investimento em prata?

Obviamente, como se trata de uma commodity, é natural que possa haver oscilações em seus preços. Porém, como você já sabe, essas mudanças são muito pequenas, o que reduz consideravelmente os riscos de se investir nela como ativo financeiro.

Um detalhe que vale a pena mencionar é com relação à questão da guarda das barras de prata, joias e outros itens feitos com o metal. Nesse caso, existe a necessidade do gasto com essa armazenagem.

Afinal, a falta desse cuidado pode colocar em risco os metais, tanto com relação à exposição a furto e roubo, bem como à deterioração em decorrência do armazenamento incorreto, especialmente quanto à proteção do metal contra água ou umidade.

Por fim, podemos concluir que investir em prata é uma excelente alternativa para quem deseja diversificar o seu capital, especialmente quando se busca uma reserva de valor mais em conta em relação ao ouro – diferentemente do ouro, os contratos futuros de prata, negociados na Bolsa de Chicago não atingiram durante o ano de 2020, sua cotação histórica registrada em 2011.

Se você gostou deste artigo, compartilhe-o em suas redes sociais. E para não perder nenhum outro conteúdo publicado em nosso site, assine a nossa newsletter gratuita.

Gostou desse conteúdo? Então compartilhe-a em suas redes sociais. E se ainda não é cliente modalmais, baixe o aplicativo do banco digital em seu smartphone, abra a sua conta de forma rápida e prática e aproveite mais essa vantagem que só o banco digital dos investidores tem a oferecer.