Investir no mercado de ações demanda a análise de uma série de ferramentas diferentes. Os múltiplos e indicadores são alguns exemplos delas. Esses elementos demonstram potenciais movimentações que os papéis de uma empresa podem gerar, entre outras informações importantes.

A tarefa de comprar e vender ações pode ser consideravelmente facilitada se você souber analisar ambas as ferramentas. Sendo assim, é fundamental conhecer o conceito e saber o momento de aplicar cada uma delas.

Neste artigo, você aprenderá sobre os múltiplos e indicadores e verá alguns exemplos dos que são mais utilizados e como eles podem ser úteis na hora de investir. Acompanhe!

 

O que são múltiplos?

Os múltiplos fundamentalistas são “ferramentas” extraídas de informações financeiras de uma empresa, bem como as geradas pelo mercado. Sua função é servir como parâmetro para oportunidades na compra de ações com desconto, ou seja, que estão com um valor de mercado abaixo do que o normalmente é negociado na Bolsa de Valores. A identificação correta dos múltiplos pode gerar grandes oportunidades para o investidor.

Como mencionado, esse elemento está mais relacionado à análise fundamentalista, ou seja, àquela que avalia os fundamentos da empresa e o próprio mercado como um todo.

O que são indicadores financeiros?

Outros elementos utilizados pela análise gráfica e fundamentalista são os indicadores. Eles auxiliam o investidor a diagnosticar o desempenho da empresa, avaliar sua saúde financeira e perspectivas para o futuro. Os indicadores permitem que você tenha uma visão mais clara da companhia e como ela vem atuando.

Existem indicadores que podem estimar o valor de mercado da empresa, utilizando como base elementos de sua situação econômica. Assim, também é possível saber se uma ação está descontada ou a um preço acima do justo.

O uso de indicadores também é fundamental para encontrar oportunidades de investimentos lucrativos no mercado financeiro. Contudo, eles também podem ajudar você a identificar eventuais armadilhas que podem prejudicar suas operações na Bolsa de Valores.

Isso porque os indicadores fornecem informações mais completas que embasam a tomada de decisões do investidor. Muitos deles são capazes de permitir medições objetivas. Desse modo, os valores encontrados podem ser utilizados em comparações.

Por exemplo, é possível cruzar informações diferentes de empresas do mesmo setor, assim, encontrando a melhor oportunidade para investir naquele momento. Tanto os múltiplos quanto os indicadores são mais comuns de serem utilizados em carteiras de investimentos focadas no médio e longo prazo.

Em operações de Day Trade ou Swing Trade, esses formatos de análise podem não ser muito interessantes. Isso porque, no curtíssimo ou curto prazo, os fundamentos podem alterar pouco os preços das ações, sendo desinteressante para quem deseja especular.

Quais são os mais utilizados?

Agora que você já conhece o conceito de múltiplos e indicadores, mostraremos os principais exemplos utilizados pelos investidores. Continue lendo!

Lucro por ação

O lucro por ação é um indicador que demonstra o quanto cada ação representa do lucro líquido da empresa. A verificação desse índice é muito importante na hora da aquisição do papel, mas o recomendável é que, para se obter uma apuração mais precisa, o indicador seja analisado historicamente e que essa análise não seja isolada de outros indicadores.

P/VPA

O P/VPA é um múltiplo que relaciona o preço de uma ação no momento com o valor patrimonial da empresa. Em outras palavras, ele indica quanto um acionista aceita pagar pelo patrimônio líquido de uma companhia.

Esse múltiplo é muito útil na identificação de ágio e deságio de uma ação. Ou seja, com o P/VPA você pode descobrir se a ação está sendo negociada com ágio ou deságio (desconto) patrimonial, sendo mais uma forma de facilitar a identificação de oportunidade de compra.

Teoricamente, quando o P/VPA estiver igual a 1, significa que a ação está sendo negociada pelo preço equivalente ao seu patrimônio líquido. Valores menores que 1 demonstram o contrário. Por fim, quando o indicador for maior que 1, significa que o mercado aceita pagar mais pelo papel que todo o seu patrimônio líquido.

Vale a pena ressaltar que pagar um valor acima do patrimônio líquido da empresa pode, nem sempre, representar um negócio ruim. Isso porque empresas com alta rentabilidade, geralmente, negociam suas ações dessa forma.

Nesse caso, o P/VPA é um múltiplo que precisa ser avaliado com outros para garantir mais efetividade na escolha.

Preço por lucro

O preço por lucro também é conhecido pelas siglas P/L. Enquanto o P/VPA serve para indicar o quanto o investidor aceita pagar pelo patrimônio da companhia, o P/L indica o quanto se está disposto a pagar pelos lucros dela.

Encontrado o resultado da fórmula, é possível saber o quanto o preço atual da ação representa dos lucros acumulados da empresa nos últimos 12 meses. Por exemplo, uma empresa com P/L 10, tem ações, naquele momento, negociadas a 10 vezes os lucros acumulados da empresa nos últimos 12 meses.

Assim, quanto menor esse indicador for, mais interessante pode ser o investimento se ele for comparado ao P/L de outra empresa que, eventualmente, tenha um P/L mais elevado. Isso porque o resultado indica que a empresa com o menor P/L, está com uma precificação mais barata.

Vale a pena ressaltar que a baixa precificação pode também ser um indicativo de que a qualidade do modelo de negócios da empresa é questionável.

Além disso, nenhum indicador garante o lucro de uma operação. Ele apenas serve como base para a compra ou venda. Por isso, é importante continuar acompanhando cada um deles para verificar se a empresa está evoluindo ou não.

Dividend yield

O dividend yeld tem por objetivo confrontar o valor dos proventos em dinheiro distribuídos pela companhia e o preço da ação cotado naquele momento. Os dividendos são parte do lucro líquido de uma empresa, que é distribuída aos sócios. Isso ocorre depois de ela pagar todas as suas despesas, os impostos e outros gastos.

A interpretação desse indicador é muito simples. Quanto maior o resultado obtido, significa que mais lucros o acionista pode receber ao longo de 12 meses. Obviamente, a concretização desse fato dependerá de como a empresa será administrada e da lucratividade gerada no período.

Valuation

O Valuation, é um múltiplo que demonstra quanto uma empresa vale em dinheiro, observando seu valor intrínseco. Apesar de o cálculo de Valuation poder apresentar resultados bastante subjetivos, com ele, é possível ter em mãos uma ferramenta muito importante para a tomada de decisão de compra de uma ação, uma vez que é possível estimar o valor justo e, até mesmo, um valor futuro dela.

EV/EBITDA

A sigla EV é utilizada para designar o termo “enterprise value”, que é formado pelo valor de mercado de uma companhia somado à sua dívida líquida, descontado o caixa e os equivalentes de caixa.

Por outro lado, o EBITDA, uma sigla que representa palavras do inglês, sendo equivalente, em português, ao LAJIDA (Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização (LAJIDA), demonstra a capacidade que uma empresa tem de gerar recursos em caixa. Assim, ele retrata o resultado operacional da companhia.

Analisar o EV em conjunto com EBITDA demonstra ao investidor a relação entre o valor de mercado da empresa e sua capacidade de gerar caixa.

No entanto, a análise deve ser feita em conjunto com outros indicadores fundamentalistas, uma vez que o EV/EBITDA ignora juros, tributos e investimentos em bens de capitais na companhia .

Margem líquida

Por fim, há também a margem líquida. Esse é mais um exemplo de indicador financeiro que é demonstrado em forma de percentual. O foco principal dele é mostrar quanto da receita gerada pode ser transformada em lucro, depois de pagas todas as obrigações.

Em outras palavras, ele demonstra qual o potencial que a empresa tem, depois de pagar todas as despesas, de deixar uma parte do lucro para o acionista ao final do período.

Assim, é importante não confundir o indicador da margem líquida com o múltiplo EBITDA. Esse último também demonstra um certo grau de lucratividade, contudo, antes do pagamento das despesas tributárias e administrativas. Logo, ele não pode ser considerado para apurar a margem líquida de uma companhia.

Como essas ferramentas podem auxiliar na avaliação de ações?

Saber como analisar uma ação passa, impreterivelmente, pela verificação de vários desses indicadores. Não há como imaginar a aquisição de um papel avaliando apenas um ou outro múltiplo e indicador. Sendo assim, o ideal é fazer um mix com a verificação de vários.

Imagine, por exemplo, que uma empresa apresenta um alto lucro por ação, contudo, um baixo dividend yield. Nesse caso, para quem busca rentabilidade por meio de proventos, ou seja, além daquela obtida pela venda a um preço superior ao de compra, o investimento nesse papel pode não ser considerado interessante.

O investidor deve sempre avaliar dois ou mais múltiplos e indicadores antes de tomar a decisão final. Vale a pena ressaltar que eles também podem ser utilizados para entender o momento correto de sair de uma operação. No mercado acionário, você deve ter atenção ao momento de entrada e ao de saída.

Por exemplo, imagine que você percebe que uma empresa que consta em sua carteira de investimentos está com o preço de suas ações muito elevado. Contudo, o indicador de valor de mercado mostra que existe uma incompatibilidade. Ou seja, as cotações estão muito acima do preço da própria companhia.

Nesse caso, pode ser o momento ideal para fazer a venda das ações e evitar uma queda brusca no preço. Assim, você retira o seu lucro e pode utilizar todo esse capital para comprar mais papéis de outras empresas com múltiplos e indicadores favoráveis.

É importante ter em mente que a análise desses elementos deve ser contínua. Não adianta comprar um ativo e, simplesmente, esquecer-se dele logo em seguida. É fundamental acompanhar a evolução de cada empresa que você tenha em sua carteira de investimentos.

Qual é a importância de utilizá-las?

Além de demonstrar o momento correto de entrar e sair de uma operação, os múltiplos e indicadores são importantes para prevenir erros no mercado financeiro. Nos últimos anos, um número exorbitante de pessoas ingressou na Bolsa de Valores.

Tudo começou em 2018 e 2019, quando a B3 bateu seus próprios recordes de CPFs cadastrados. Em 2020, ocorreu um crescimento de mais de 90%. Algo realmente surpreendente. E o erro que muitas dessas pessoas cometem é comprar uma ação observando apenas a credibilidade e a fama de uma marca.

Esse é o caminho mais curto para aumentar brutalmente o risco de uma operação. Sendo assim, a análise de múltiplos e indicadores serve para resguardar o seu capital.

Eles proporcionam uma visão mais clara dos potenciais de lucratividade de uma empresa versus os eventuais riscos existentes na operação. Ao utilizá-los no seu dia a dia, você protege o seu capital e identifica mais oportunidades para diversificar suas aplicações.

Quais são os cuidados a serem adotados na utilização de múltiplos e indicadores?

Quando você começar a avaliar esses múltiplos e indicadores, é importante dar atenção a alguns pontos.

Primeiro, tenha cuidado para não enxergar uma oportunidade onde não existe. Esse é um erro que muitas pessoas cometem e acabam tendo problemas no futuro. Além disso, é importante não ficar mudando de estratégia o tempo inteiro, analisando alguns indicadores.

Muitas pessoas começam a avaliar resultados de outras empresas. Assim, fazem cálculos e começam a perceber que uma companhia passa a ser mais interessante que outras.

Esse não é o problema, no entanto, você deve identificar se essa estratégia não está atrapalhando a evolução de sua carteira, de acordo com suas metas, objetivos e perfil de investidor.

Mudar de estratégia com frequência pode interferir negativamente em sua rentabilidade. Sempre tenha em mente que o sucesso no mercado financeiro depende de planejamento bem-estruturado, análise de risco e outros elementos de estudos, como os múltiplos e indicadores.

Se uma entrada foi feita analisando esses critérios, é importante aguardar a respeitar o tempo que o mercado tem para responder. As suas saídas de operações devem ser baseadas nos mesmos elementos.

Por fim, podemos concluir que múltiplos e indicadores são elementos essenciais na análise de ações. Com eles, você não precisará mais “contar com a sorte” para ter sucesso em seus investimentos.

Gostou deste artigo? Então, assine nossa newsletter gratuita e não perca mais nenhuma novidade.