Blog do modalmais

Variação do dólar: por que o dólar sobe e desce?




Você já deve ter ouvido falar em algum momento sobre as altas e baixas do dólar e, com certeza, já deve ter se perguntado o que, de fato, essa variação da moeda americana influencia na sua vida. Afinal, os jornais falam tanto disso, por que será que é tão importante?

Antes de tudo entenda que o dólar influencia tanto em compras no exterior, como também nas compras de supermercado, além da política de investimentos. É um pouco complexo, mas você entenderá rapidinho a partir deste artigo. Continue lendo para conhecer o que é a variação do dólar, por que ela ocorre, quais os efeitos do aumento ou redução da moeda americana e como isso impacta no dia a dia do consumidor. Acompanhe.

 

O que é a variação do dólar?

A oscilação do dólar é algo constante e natural do mercado financeiro, basta algo se mover de um lado do mundo que essa moeda é facilmente movida para baixo ou para cima, depende das movimentações realizadas ao redor no mercado. Política, mudanças na cadeia de produção internacional, demanda por moeda estrangeira, crises internas, entre outros fatores são os principais meios que causam essa inconstância.

Primeiro de tudo vamos especificar de qual dólar estamos falando, que é o dólar americano, moeda predominante nos Estados Unidos (EUA) que, por consequência, é a maior economia mundial.

Por conta disso, essa moeda é responsável pelas transações internacionais, ou seja, todos os países convertem suas moedas em dólar na hora de comprar e vender mercadorias fora do país ou investir no mercado financeiro. Agora que você entendeu um pouco sobre a importância do dólar, vamos falar sobre o sobe e desce da moeda.

 

Por que o dólar varia?

Vivemos em uma economia globalizada, em que há troca entre países o tempo todo e isso faz com que haja flutuações da moeda que afetam em sua valorização. Por isso, a explicação mais simples para essa oscilação da moeda é justamente a oferta e demanda do mercado. Quanto mais escasso, maior o valor e quanto mais disponível, menor a quantia que deve ser desprendida para obter esse ativo.

Alguns fatores podem levantar ou diminuir a moeda, conheça alguns agora.

 

TURISMO INTERNACIONAL
Quando há muitos turistas brasileiros viajando para fora do país, há uma maior demanda por dólares a ser gastos, logo isso aumenta a procura pela moeda, fazendo com que ela aumente de valor. O inverso acontece quando a população reduz as viagens para o exterior, interferindo diretamente na procura por dólar, fazendo com que ele caia.

 

TAXA DE JUROS
Se os juros americanos sobem, o primeiro passo dos investidores é levar seu dinheiro para fora do país de origem, já que os rendimentos lá ficam mais altos, fazendo com que haja valorização da moeda.

Entretanto, se os juros diminuem nos Estados Unidos, o investidor brasileiro tende a deixar seu capital no país, já que os rendimentos lá não compensam a retirada de dinheiro.

 

CRISES INTERNAS E MUDANÇAS
Um país em crise faz com que os investidores fujam para outros mercados, diminuindo o interesse pela moeda local e alavancando o dólar americano. No Brasil, recentemente ocorreram alguns fardos políticos que interferiram diretamente na alta da moeda americana, já que os investidores entendem que, diante de uma política falha e de crises constantes, não é seguro aplicar seu capital no mercado brasileiro.

Outra mudança importante a ser lembrada é a pandemia da COVID-19 que desencadeou uma crise mundial, responsável pela queda da moeda de países emergentes como o Brasil e aumento do dólar americano.

 

RESERVAS CAMBIAIS
Há uma movimentação importante no mercado que funciona como um porquinho cheio de moedas guardadas para utilizar na hora certa. Assim se comportam as reservas cambiais, que nada mais é do que a detenção de dólar pelo governo.

O Banco Central do Brasil, responsável pelas operações de câmbio, compra e vende dólar para controlar o aumento brusco da moeda estrangeira. Logo, quanto maior a reserva internacional do país, maior é a autonomia sobre o mercado e a chance de interferir na estabilidade da moeda.

Além desses fatores, há outros objetos de valorização ou desvalorização da moeda norte-americana relacionados ao comportamento social e as relações de compra e venda de mercadoria.

 

GASTOS NO EXTERIOR
Aquela comprinha que você faz em sites internacionais ou a viagem inesquecível a Disney parecem inofensivas quando acontecem de forma esporádica e isolada. Entretanto, quando boa parte da população do país tende a ir pela mesma rota acabam demandando mais dólar e isso faz com que a moeda suba.

Quando gastamos mais em outros países, seja de forma online ou presencial, fazemos o mesmo movimento de grandes empresas que investem seu dinheiro lá fora, ou seja, jogamos uma grande quantidade de dinheiro para fora do país e desvalorizamos o mercado interno e a moeda local.

 

MUDANÇAS NA BALANÇA COMERCIAL
As relações de compra e venda são um fator determinante para a flutuação da moeda no mercado financeiro, visto que quando o Brasil importa mais mercadorias do exterior, a moeda americana valoriza-se frente ao mercado, enquanto que se o país aumentar suas exportações, facilmente o dólar terá uma significativa baixa, pois o real tende a se valorizar.

 

Quais os efeitos do aumento do dólar?

Depois de toda essa explicação ficou fácil entender como o dólar interfere no seu dia a dia, certo? Acompanhe alguns tópicos específicos que são expressamente movidos pela alta de preços da moeda americana.

 

INVESTIMENTOS
Quando a moeda estrangeira está alta os investidores levam seu capital para fora com a intenção de render ainda mais o dinheiro fora do país, enquanto os investimentos dentro do país são menos compensatórios por ter um baixo retorno.

Um exemplo são os rendimentos de renda fixa que, devido a taxa de juros baixa, não estão atrativos, logo, ao investir em dólar o investidor diversifica sua carteira e alavanca seu capital.

 

COMÉRCIO
Se o dólar está alto quer dizer que ao importar produtos de fora o investidor tem que pagar mais caro nas mercadorias que deseja e isso faz com que o preço final para o consumidor brasileiro seja maior do que quando a moeda americana está menor frente ao real.

Sendo assim, as compras do mercado tendem a ser mais expressivas na hora de passar o cartão, visto que os produtos importados sofrem alta de preços, bem como aqueles que precisam de matéria-prima ou tecnologia importada.

 

Quais os efeitos da queda do dólar?

Mas e se o dólar estiver baixo, quais os impactos para a sua vida?

 

INVESTIMENTOS
Nos investimentos acontecerá o caminho inverso ao da alta do dólar, ou seja, os investidores não arriscarão retirar capital do país de origem por não ter valorização da moeda estrangeira.

Logo, a partir do momento em que se torna rentável investir dentro do próprio país, ocorre o crescimento interno, fazendo com que haja mais produção, empregos, aumento da circulação da moeda e valorização da mesma, por exemplo.

 

COMÉRCIO
O setor comercial é um dos mais beneficiados, já que a partir do momento em que a moeda estrangeira está em baixa é possível importar produtos e matéria-prima a um custo baixo. Isso faz com que o repasse para o consumidor final tenha um preço mais acessível, diminuindo a quantia desprendida na hora da compra de alimentos e, principalmente de eletrônicos, visto que o Brasil não possui fabricação desses bens.

 

Como a variação do dólar afeta o dia a dia do consumidor?

Querendo ou não a alta do dólar influencia diretamente no bolso dos brasileiros, mesmo que a maioria não entenda sobre como isso ocorre na prática. A verdade é que, mesmo que seja por conta de vários fatores alheios à responsabilidade de cada cidadão, a informação é de suma importância para a preparação financeira do dia a dia e também para os investimentos almejados dentro e fora do país.

Outro ponto importante é que esse tipo de compreensão faz com que os cidadãos busquem identificar os principais erros dentro da política econômica do país, estabelecendo pontos de discussão de melhoria junto ao governo.

Isso faz com que não só a sociedade cresça com conhecimentos específicos sobre valorização da moeda interna, mas que a vida de milhões de pessoas seja interferida de forma positiva, seja na hora da compra de um celular ou de investimentos complexos na bolsa de valores.

Hoje você aprendeu um pouco mais sobre os motivos que levam o dólar a ter variações, destacando os fatores que elevam o valor da moeda americana, tais como política, crises econômicas, balança comercial, entre outros fatores.

A partir disso ficou fácil entender que tudo gira em torno da oscilação de oferta e demanda, ou seja, quanto mais o brasileiro busca pelo dólar mais caro ele fica, bem como o inverso acontece quando a moeda não é valorizada por nossos nativos. Também foi possível entender como isso afeta nosso cotidiano, impactando desde o carrinho do supermercado até os investimentos na economia interna e externa.

 

 

Se você gostou deste artigo e quer continuar recebendo dicas sobre investimentos, assine a nossa newsletter. Dessa forma, você será informado sempre que publicarmos um novo conteúdo.

 

Ainda não é Cliente? Abra a sua conta no Modal Banco Digital do Investidor

close

Seja notificado quando sair novos conteúdos.