O câmbio consiste na operação de troca entre duas moedas de países diferentes, como, por exemplo, reais por dólares.

A definição da equivalência de valores entre moedas pode ser realizada através de um mercado específico ou pelo Banco Central. A partir disso, surge a taxa de câmbio.

Provavelmente, você já deve ter ouvido que o câmbio se valorizou ou desvalorizou. Na verdade, foi a taxa de câmbio que oscilou.

Em 2019, o dólar fechou com alta de 3,50%. Até 14 de fevereiro de 2020, ele já acumula 6,22% em ganhos.

O investimento na moeda norte-americana pode ser realizada através de ativos, como fundos cambiais e operações no mercado futuro.

Comprar e vender moedas costuma ser um processo burocrático, e só deve ser realizado em casos específicos, como viagens ao exterior, importações e exportações.

 

Antes de começar a investir, é fundamental conhecer sobre o câmbio e o seu funcionamento. Afinal, cada momento do mercado sugere uma estratégia diferente.

 

Diante disso, preparamos este guia completo para você investir nesse mercado com rentabilidade e segurança. Hoje falaremos sobre:

 

  • O que é câmbio?
  • Como funciona o mercado de câmbio?
  • Como são definidas as taxas de câmbio?
  • O que são fundos cambiais?
  • Como comprar moedas estrangeiras?
  • Investimentos relacionados ao câmbio
  • O mercado de câmbio nas operações de hedge
  • Como investir no mercado de câmbio

 

Boa leitura!

O que é câmbio?

Câmbio é um segmento do Sistema Monetário Nacional. Ele consiste em operações regulamentadas de compra ou venda de diferentes moedas.

Como funciona o mercado de câmbio?

Um brasileiro pode negociar moedas com um japonês

 

As operações de câmbio são realizadas no mercado de balcão, ou seja, diretamente entre os compradores e vendedores.

Perceba que não há um mercado organizado e centralizado, como a Bolsa de valores para as ações.

Porém, as negociações só podem ocorrer através de agentes autorizados pelo Banco Central (Bacen), como bancos, agências de turismos, corretoras de valores e distribuidoras.

O Bacen atua como fiscalizador e regulador desse mercado. Ele também pode aplicar multas, suspensões e sanções em instituições que desrespeitam as regras.

Então, antes de operar com moedas, vale verificar se o agente está autorizado através deste link. Do contrário, você estará sujeito à fraudes.

Lembre-se de que, até alguns anos atrás, as agências de turismo podiam negociar câmbio.

Porém, elas são proibidas dessa prática – a menos que tenham convênios com instituições autorizadas pelo Bacen.

As operações permitidas aos agentes autorizados no mercado de câmbio são:

 

  • Compra de moedas;
  • Venda de moedas;
  • Recebimento em moeda estrangeira;
  • Pagamento em moeda estrangeira;
  • Transferências para o exterior;
  • Investimentos em outros países.

 

Lembre-se que qualquer pessoa, física ou jurídica, pode negociar no mercado de câmbio brasileiro através dos agentes autorizados sem restrição de quantias.

As exigências básicas são documentos de identificação e respaldo documental que informa a finalidade da operação.

 

Como são definidas as taxas de câmbio?

A atuação do Bacen é conhecida como flutuação suja

 

A taxa de câmbio corresponde a quanto uma moeda vale em relação à outra, como, por exemplo, US$ 1 equivale a cerca de R$ 4,10.

Ela pode ser definida de duas formas: câmbio fixo ou flutuante. No primeiro caso, o Banco Central determina essa equivalência.

No câmbio flutuante, a taxa de câmbio depende da lei da Oferta e Demanda, que, por sua vez, vem das negociações do mercado de câmbio.

Assim, quando há maior procura do que oferta de determinada moeda estrangeira, o seu preço sobe. Então, a moeda nacional fica desvalorizada.

Já diante da grande oferta e poucos compradores de moeda estrangeira, a tendência é que a moeda nacional se fortaleça frente à estrangeira.

Até 1999, o Brasil utilizava a taxa de câmbio fixa. Nessa época, US$ 1 equivalia a R$ 1.

Depois disso, o país adotou o modelo flutuante sujo (o modelo flutuante sujo é caracterizado por intervenções do Bacen quando há distorções fora do comum pelo Bacen, que é um dos participantes do mercado, através das reservas cambiais). Ele pode ser acompanhado através do dólar Ptax.

Ele varia diariamente diante das expectativas do mercado em relação aos cenários interno e externo.

Basicamente, a atuação consiste na compra ou venda de contratos de swap de dólar. Desde 2016, o número de intervenções têm caído substancialmente.

Portanto, a taxa de câmbio atual reflete, em grande parte, as expectativas dos investidores, o que é positivo para o mercado.

O que são fundos cambiais?

Eles são cestas de produtos relacionados ao mercado de câmbio

 

De acordo com a Anbima, esses ativos devem investir, no mínimo, 80% do patrimônio em ativos ligados à moeda estrangeira.

Os fundos cambiais mais comuns são os relacionados ao dólar.

Como funcionam os fundos cambiais?

O seu funcionamento é semelhante a um condomínio. Assim, o patrimônio é dividido igualmente em cotas.

Portanto, ao investir em um fundo cambial, você adquire pequenas partes do todo.

Os custos e lucros também são divididos entre as cotas. Desta forma, não há distinção entre grandes e pequenos investidores.

Além disso, os fundos cambiais possuem gestão especializada, que é responsável por fazer alocações e acompanhar diariamente o desempenho.

Os lucros desse ativo vêm da estratégia adotada. Então, se há resultado positivo, as cotas do fundo cambial tendem a aumentar e vice-versa.

Como comprar moedas estrangeiras

O segredo do sucesso é pesquisar em diversos estabelecimentos

 

Se você vai viajar para o exterior ou enviar dinheiro para fora do país, será necessário comprar moedas estrangeiras.

Essa operação pode ser realizada em instituições credenciadas pelo Bacen, como mostrado neste artigo.

Geralmente, o câmbio voltado ao turismo tem preço maior porque há mais custos envolvidos, como logística, seguro e spread.

Para conseguir comprar moeda estrangeira com preços atrativos, o ideal é optar por agências de câmbio.

Assim, você pode negociar taxas mais atrativas do que as praticadas pelos bancos. Sem contar que não há o custo de transação bancária.

Por outro lado, as casas de câmbio costumam realizar operações simples, como compra, venda e pagamentos em moedas estrangeiras.

Enquanto que, por sua vez, os bancos podem oferecer um mix de produtos diversificado, como, por exemplo, financiamento de exportações e importações.

Portanto, comprar moedas estrangeiras nessas instituições tende a ser mais vantajoso para empresas ou operações de maior volume.

Investimentos relacionados ao câmbio

Os fundos cambiais e os mini contratos são acessíveis a todos os investidores

 

Ter parte do patrimônio exposto ao câmbio pode ser uma boa alternativa. Afinal, o Brasil é uma verdadeira montanha russa.

O real costuma se desvalorizar rapidamente em relação às moedas fortes, como dólar e euro.

Neste cenário, é possível montar estratégias para se beneficiar através de especulação e principalmente, para proteger o seu capital.

Antes de começar, você precisa saber como funciona cada um dos investimentos relacionados ao câmbio e qual o mais adequado aos seus objetivos.

Fundos cambiais

A maioria desses ativos são voltados a operações de hedge ou para manter o seu poder de compra em moeda estrangeira.

Os fundos cambiais de hedge buscam proteger o capital de oscilações na taxa de câmbio. Geralmente, eles são boas alternativas quando há expectativa de desvalorização do real.

A gestão especializada também pode ser um atrativo para você investir. Isso porque operar no mercado de câmbio exige conhecimento e experiência.

Portanto, se você é iniciante, ou não tem tempo para acompanhar as negociações, é recomendável começar por fundos cambiais.

Mini contratos de dólar

Eles negociam o direito de comprar ou vender dólar em uma data futura. No mini contrato (WDO), os contratos são padronizados, isso significa que seguem um padrão quanto ao vencimento, tamanho do contrato e pontuação.

Considere que você possui um WDO em março de 2020, e a cotação do dólar no momento é de R$4,50.

Os contratos em BM&F sofrem ajustes diários, isso quer dizer, que diariamente seu contrato será ajustado ao preço de ajuste do pregão, e também, diariamente você terá o lucro/ prejuízo dessa operação.

Ao vender o contrato, você espera que o dólar se desvalorize, ou seja, que o real ganhe força frente à moeda estrangeira.

A liquidação dos contratos de WDO são financeiras, ou seja, no vencimento você não terá que entregar a moeda em física, e sim, apenas o resultado financeiro da operação.

Caso não queira manter a posição até o vencimento, é possível vender o seu WDO a qualquer momento no mercado. Cada ponto de variação equivale a R$10.

Além disso, o lote mínimo corresponde a US$ 10 mil. Uma das vantagens de investir em mini contrato de dólar é que você não precisa ter esse valor para começar.

Isso porque, é possível operar alavancado através da margem de garantia oferecida por outros ativos da sua carteira, como Tesouro Direto, CDB e ações.

Além do que, caso queira realizar essas operações apenas no daytrade, ou seja, operações que são abertas e encerradas no mesmo dia, pode contar com o benefício da margem reduzida do modalmais.

Então, você pode investir em mini contrato de dólar mesmo com pouco dinheiro.

Operações Forex

Forex é a sigla para Foreign Exchange Market. Trata-se de um mercado eletrônico descentralizado.

Nele, ocorre a compra e venda de diversas moedas durante 24 horas por dia.

A maioria das operações de câmbio em Forex são especulativas. Nos últimos anos, o volume de negociações aumentou em cerca de 40%.

Em 2019, o montante total negociado chegou a US$ 6,6 trilhões, o maior desde 2013.

As corretoras dos EUA e Reino Unido podem oferecer Forex. No Brasil, esse tipo de operação é proibida.

O mercado de câmbio nas operações de hedge

Essa operação tende a ser uma boa alternativa com os recordes na cotação da moeda

 

O dólar é conhecido como uma moeda forte e presente no mundo todo. Por isso, ele pode ser utilizado para hedge (proteção).

Provavelmente, você já deve ter ouvido falar que em cenários de cautela, o mercado tende a comprar a moeda norte-americana.

As estratégias de proteção costumam ser boas alternativas tanto para empresas ligadas ao comércio exterior, quanto para o pequeno investidor.

O objetivo das operações de hedge é diminuir as perdas financeiras diante das variações na taxa de câmbio.

Geralmente, quando o dólar sobe, os ativos em real caem. Então, investir na moeda norte-americana pode equilibrar a sua carteira.

Um exemplo disso foi a subida de 10% na taxa de câmbio contra 0,95% da Bolsa de Valores em novembro de 2019.

Muitas empresas exportadoras utilizam o hedge para ter maior previsibilidade, seja em recebimentos, seja nos pagamentos em moedas estrangeiras.

A estratégia de proteção com câmbio pode ser feita a partir de derivativos, como contratos futuros, fundo cambiais e mercado a termo.

Como investir no mercado de câmbio

No modalmais, você investe, gerencia e cuida do seu dinheiro em um só lugar.

 

Investir em câmbio pode ser o que faltava para a sua carteira decolar. Tenha em mente que não podemos prever o futuro.

Por mais que as expectativas estejam favoráveis no cenário interno, todo investidor deve estar preparado.

Então, o primeiro passo é abrir a sua conta no modalmais. O cadastro é simples e 100% gratuito.

Depois, basta transferir o dinheiro a ser investido para a sua conta na corretora através de TED de mesma titularidade.

Na sua plataforma de investimentos, você encontra diversos ativos relacionados ao câmbio, como mini contratos de dólar e fundos cambiais para montar agora a sua estratégia.

Lembre-se que o aporte mínimo para o WDO custa a partir de R$ 13 no daytrade e há fundos com cotas em torno de R$ 500.

Conclusão

Abra a sua conta e comece a diversificar agora mesmo!

 

O câmbio é um dos pilares da economia brasileira. Isso porque as cotações de moedas fortes, como o dólar, influenciam em nossas empresas e ativos.

Portanto, ter parte do patrimônio atrelado à taxa de câmbio pode ser uma boa alternativa, seja para hedge ou, até mesmo, para diversificar.

Continue a ler sobre investimentos com estes outros artigos do nosso blog:

 

 

Os sinais de desaceleração global, coronavírus e eleições norte-americanas têm causado fuga dos investidores para uma moeda sólida, como o dólar.

Em janeiro de 2020, a moeda subiu 6,81% contra -1,63% da Bolsa de Valores.

As projeções do Banco Central, mostradas no Boletim Focus do dia 14 de fevereiro de 2020, são de que o dólar permanecerá em torno de R$ 4,10 até 2023.

Portanto, este tende a ser o momento ideal para montar a sua estratégia em câmbio, principalmente através de mini contratos e fundos cambiais.

Com estes ativos, é possível fazer o seu dinheiro render com a alta ou queda do dólar.

Para começar, você só precisa abrir a sua conta no modalmais agora mesmo. Aqui, você investe em câmbio com os melhores ativos e com as menores taxas do mercado.

 

Obrigado por ler até aqui!