Mesmo que um ativo financeiro perca o seu valor depois de um período de crise, ele ainda tem chances de se recuperar, se os fundamentos proporcionarem esse respiro. Dependendo do percentual e constância demonstrada por essa recuperação, o mercado pode estar passando pelo processo que é denominado de Bull Market.

Em diversos momentos da história testemunhamos tais acontecimentos, e o investidor precisa ficar atento a eles para ter boas oportunidades de comprar ações de empresas ou outros títulos a um preço extremamente atrativo.

Neste artigo, discorreremos sobre o que é o Bull Market, o seu funcionamento e como se preparar para ele. Acompanhe!

 

Qual a origem do Bull Market?

Traduzindo para o português, Bull Market significa mercado do touro. Na Bolsa de Valores, esse animal representa a alta nos preços, tendo em vista que o seu método de ataque é de baixo para cima. Por esse motivo, o touro é muito simbólico para os investidores — além do urso, que simboliza o mercado de queda, uma vez que o seu ataque é de cima para baixo.

Nesse sentido, a expressão Bull Market é amplamente utilizada por profissionais do mercado para se referirem a um momento de otimismo, em que há possibilidades de crescimento e ganho em determinados ativos.

Ele ocorre quando os preços, após sofrerem uma queda acentuada, têm a possibilidade de se recuperarem aos patamares anteriores, ao passo que, dependendo do momento em que o mercado estiver, dá a oportunidade de serem adquiridos ativos a um preço atrativo em relação à recuperação que ele poderá vir a ter com o Bull Market.

A grande dificuldade de alguns investidores, especialmente dos iniciantes, é identificar o “time” correto para realizar uma operação de compra, que o leve a obter um retorno atrativo proveniente do momento do mercado destacado neste artigo.

A falta de conhecimento sobre esse e outros momentos comuns no mercado, pode levar a erros difíceis de serem reparados, como por exemplo, quando o investidor, por não identificar o fim do Bull Market adquire ativos em máximas históricas, o que pode dificultar um ganho sobre aquela operação, por falta de margem de crescimento para aquele ativo.

 

Quais são as suas particularidades?

O Bull Market tem como principal característica, apresentar uma forte alta em ativos ou no mercado em geral, de aproximadamente 20% após uma queda acentuada de mesmo percentual. O otimismo do mercado é o principal responsável por esse movimento, entretanto, existem outros fatores que também indicam esse momento do mercado, como:

  •  Aumento na lucratividade de empresas;
  • Quedas nas taxas de juros;
  • Aumento do produto interno bruto (PIB);
  •  Aumento de oportunidades de emprego, entre outros fatores.

Analisando esses fatores é possível concluir se, de fato, os movimentos do mercado como um todo indicam estarmos em uma onda de Bull Market, sendo que, se confirmada, poderá durar alguns meses ou até mesmo anos.

Uma boa forma de entender o funcionamento do Bull Market pode ser extraída da velha lei da oferta e procura.
Quando o mercado está otimista, mais pessoas querem comprar ações e, consequentemente, o preço sobe graças à maior demanda por aquele ativo.

Logo, quem tem a sensibilidade de identificar esses movimentos pode comprar ativos a um preço inferior e lucrar com a sua valorização ou, ainda, aumentar o tamanho da sua posição ao adquirir papéis a um preço inferior às entradas anteriores, reduzindo o seu médio comprado, aumentando as chances de potencializar lucros com a valorização.

 

Como se preparar para o Bull Market?

Para aproveitar todas as vantagens do Bull Market é preciso estar preparado. No Brasil, já testemunhamos alguns movimentos interessantes. Por exemplo, durante 2019 e o início de 2020, o índice mais representativo da Bolsa de Valores brasileira, o Ibovespa, atingia consecutivos recordes, o que, somado ao cenário econômico interno e externo, fortalecia os sentimentos otimistas dos investidores e especialistas.

Assim, pudemos assistir um crescimento elevado nos preços de algumas ações de empresas brasileiras. Por outro lado, quem ficou apenas na euforia e não percebeu o tamanho do movimento de alta, comprando ações em máximas históricas, foi surpreendido com a queda brusca que aconteceu durante o mês de março de 2020.

Outros investidores perceberam a movimentação e esperaram os preços despencarem mais de 20% para, a partir de então, comprarem novamente ações dessas mesmas empresas por um preço extremamente inferior. Então, a pergunta que fica no ar é a seguinte: como aproveitar esses movimentos amplos?

Primeiro, é preciso ter em mente que é fundamental fazer a diversificação de investimentos. Isso possibilita que você tenha recursos disponíveis em títulos de alta liquidez — ou seja, que podem ser transformados em dinheiro rapidamente — para adquirir os ativos que estão com preços inferiores ao valor justo da ação.

Entretanto, o simples fato de enxergar ações mais baratas não significa que está prestes a ocorrer um Bull Market, afinal, como você leu em um tópico anterior, esse critério depende de uma série de fatores. É possível que uma empresa esteja com os seus papéis sendo negociados abaixo do valor de mercado simplesmente pelo fato de a companhia estar passando por momentos de dificuldades.

Sendo assim, é fundamental que, além do dinheiro disponível para investir, você estude incessantemente o mercado financeiro e o cenário econômico atual para tentar identificar o surgimento efetivo de um Bull Market, bem como a duração desse fenômeno.

Voltando ao exemplo da crise de 2020, por exemplo, as ações preferencias da Petrobras (PETR4) chegaram a valer pouco mais de R$ 11, mesmo tendo batido o patamar de R$ 30 poucas semanas antes. Logo, quem tinha recursos suficientes para comprar as ações nesse patamar baixíssimo já pôde realizar o lucro, tendo em vista que o papel superou a marca dos R$ 20 em julho do mesmo ano.

Portanto, a identificação de Bull Market passa por um processo profundo de análise, busca de conhecimento e atenção às notícias que impactam o mercado como um todo, verificando potencialidades de alta e o seu tempo de duração.

Para aproveitar essas oportunidades também é importante contar com um bom banco de investimentos.
Essa instituição fornecerá todo o suporte que você necessita para realizar suas operações com segurança e agilidade, possibilitando que aproveite toda a amplitude de movimentos do mercado. Uma delas é o modalmais que, além de oferecer uma plataforma estável e segura também oferece benefícios como:

  •  Corretagem grátis para minicontratos;
  •  Taxa de custódia gratuita;
  •  Melhores plataformas de negociação do mercado;
  •  Relatórios e análises de mercado – fundamentais para identificação de cada momento do mercado, como o Bull Market;
  •  Cartão de crédito com programa de pontos exclusivo.

Agora que você já sabe o que é o Bull Market, as suas particularidades e características, poderá se preparar para aproveitar essas oportunidades quando elas acontecerem. Afinal, essa preparação será o fator determinante entre o seu sucesso ou fracasso em processos de Bull Market.

O primeiro passo, portanto, é abrir a sua conta no modalmais para contar com todos os benefícios que a plataforma de investimentos mais estável do Brasil pode proporcionar.