Uma lâmina de fundos de investimento, basicamente, é um documento que tem por objetivo resumir as principais características desse tipo de aplicação, tanto no que diz respeito à questão operacional quanto aos indicadores da carteira.

Além disso, nela você encontrará as políticas de investimentos, rentabilidade acumulada, valor mínimo para aplicação, prazo para conclusão de aplicações e resgates, entre outras tantas informações valiosas para o investidor.

Se você pretende investir em fundos de investimento, deve conhecer bem esse conceito. Foi pensando nisso que resolvemos escrever este artigo. Nele, mostraremos tudo o que precisa saber sobre a lâmina de fundos. Acompanhe!

 

Para que serve uma lâmina de fundos?

A informação é algo imprescindível para quem vai investir em qualquer produto, incluindo os fundos de investimento. Assim, é de suma importância que você conheça os direitos e deveres do cotista, as políticas de investimento e outros detalhes importantes sobre o fundo.

A lâmina pode – e deve – ser acessada até mesmo antes de se realizar o investimento no fundo. Além dela, outros documentos devem ser consultados, entre os quais estão: regulamento, formulário de informações complementares, desempenho do fundo e termo de adesão.

A lâmina, por sua vez, deve ser gerada pelo administrador do fundo e disponibilizada para todos os cotistas atuais, bem como para os que se interessam em aplicar no fundo. Nesse sentido, os interessados podem fazer uma consulta prévia e comparar os documentos antes mesmo de fazerem um aporte.

O objetivo principal da lâmina de fundos é fornecer informações precisas para que o investidor possa tomar sua decisão. Ela também evita que a pessoa seja pega de surpresa logo após fazer o aporte, com relação, por exemplo, à exposição ao risco assumida pelo fundo, de acordo com as estratégias aplicadas nele.

Ou seja, se um investidor aplica uma quantia no fundo de investimento, entende-se que ele teve acesso à lâmina de informações e conhece todas as políticas, regras, os direitos e deveres inerentes ao fundo.

 

Como é a sua estrutura de Lâmina de fundos?

A estrutura de uma lâmina de fundos é muito simples. Ela segue um padrão e uma sequência que já são predefinidos e contém informações individuais de cada fundo. Isso significa que você encontrará nela as informações essenciais sobre o fundo de investimento de seu interesse.

Os dados apresentados nas lâminas de fundos são:

  • O público-alvo do fundo;
  • Objetivos do fundo;
  • As eventuais restrições de investimento;
  • Uma descrição resumida das políticas de investimento, tais como limites que o gestor tem para aplicação em ativos no exterior, crédito privado, alavancagem etc.;
  • Valor mínimo de primeiro aporte e demais movimentações;
  • Critérios de resgate;
  • Carência;
  • Taxas;
  • Composição da carteira;
  • Classificação de risco, observando a estratégia adotada;
  • Histórico de rentabilidade;
  • Política de distribuição das cotas do fundo;
  • Formas de atendimento ao cotista.

Além disso, ainda é possível encontrar lâminas de fundos nas plataformas de investimento das corretoras ou de bancos de investimento e até mesmo nos sites das gestoras desses produtos.

Apesar de a lâmina de fundos ser um elemento essencial para o investidor que pretende investir nessa modalidade, existem outros documentos que também são muito importantes de serem conferidos, como o regulamento e o formulário de informações complementares. Em alguns casos, ambos os documentos vêm junto da lâmina de fundos.

 

O que é preciso para ter acesso a uma lâmina de fundos?

O primeiro passo para ter acesso a uma lâmina é consultar o fundo em que você pretende investir. Para garantir que terá acesso à lista completa de fundos disponibilizados em uma corretora ou banco de investimentos, o ideal é optar por realizar a abertura de conta em uma dessas instituições e, assim, navegar pela área logada de sua plataforma de investimento e conferir as lâminas dos respectivos fundos de seu interesse.

 

Como analisar uma lâmina de fundos?

Após conhecer bem a estrutura da lâmina de fundos, é fundamental saber como essa importante ferramenta deve ser examinada. A primeira coisa que você deve saber é que essa leitura não é tão complexa quanto parece.

As pessoas que estão iniciando no universo dos investimentos podem ter certo receio nesse tipo de assunto. Afinal, os termos são um pouco rebuscados e muito específicos do mercado financeiro.

Entretanto, é importante ter em mente que o objetivo da lâmina de fundos é fornecer informações resumidas e simplificadas para o investidor.

Para lhe ajudar ainda mais nesse processo, nós separamos alguns tópicos que você deve avaliar na hora que estiver fazendo a leitura da lâmina do fundo que selecionou. Veja quais são:

  • Qual é o tipo ou perfil de investidor a que o fundo se destina;
  •  Qual a rentabilidade pretendida em relação ao seu benchmark (indicador de referência);
  •  Qual é a estratégia utilizada para alcançar a rentabilidade esperada;
  •  Qual foi a rentabilidade obtida nos últimos 12 meses;
  •  Qual é a liquidez do fundo, ou seja, em quanto tempo, após realizar a solicitação de resgate, poderá sacar o recurso;
  •  Em quais títulos o fundo vai aplicar (renda fixa, ações, multimercados etc.);
  •  O fundo utiliza ou não a alavancagem (o que, em busca de maiores retornos, aumenta a exposição do patrimônio do fundo ao risco de maiores perdas)?

 

Ao fazer toda essa análise, você chegará à conclusão de que um fundo de investimento é ou não indicado para você. Além disso, é importante analisar o seu perfil de investidor antes de fazer a aplicação.

Investir em fundos que tenham o perfil alinhado ao seu como investidor, contribui para que você possa obter boas rentabilidades com sua carteira de investimentos no futuro.

 

O que são fundos de investimento?

Agora que você sabe tudo sobre lâmina de fundos, aprofundaremos um pouco mais no conceito de fundos de investimento. Basicamente, um fundo de investimento é formado por uma comunhão de recursos destinados a aplicações em diversos outros ativos financeiros. Parece um pouco confuso, mas tenha calma, pois explicaremos com mais detalhes.

Na prática, os fundos funcionam como um condomínio, onde os condôminos seriam os cotistas, que têm direitos e deveres iguais. Dessa forma, o patrimônio do fundo é dividido em cotas, que possuem valor igual. Assim, o valor aplicado por cada investidor determinará a quantidade de cotas que irá possuir.

Os fundos são instrumentos de investimentos regulados por órgãos competentes e organizados com o objetivo de facilitarem o acesso de qualquer investidor a diversos produtos, ao investir em um só produto.

Ao investir em fundos de investimento é possível obter dois benefícios muito interessantes: primeiro, experimentar diversas formas de rentabilizar seu capital e, ao mesmo tempo, diversificar as suas aplicações.

Assim, o investidor consegue ter acesso a uma variedade de títulos e ativos que dificilmente conseguiria sozinho. Afinal, o patrimônio dos fundos é composto por milhares ou, até mesmo, milhões de reais.

A regulamentação dos fundos de investimento é feita pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). Por isso, é importante que você tenha atenção a esses registros e escolha apenas fundos de investimento disponibilizados pelos bancos de investimento e corretoras. Assim, você não corre o risco de investir em um ativo que não é legalizado.

Outro detalhe importante sobre o fundo de investimento é que existem taxas nessa modalidade. Afinal, você terá a facilidade de ter um gestor profissional que fará todo o trabalho de análise de mercado e aplicação. Obviamente, esse trabalho tem um custo que é expresso em formato de um determinado percentual de taxa de administração e, por vezes, de performance do fundo.

 

Quais são os tipos de fundo de investimento?

Uma das principais vantagens do fundo de investimento é a sua variedade. Listamos os mais comuns nos tópicos seguintes:

  •  Fundo de investimento imobiliário — essa categoria, diferente das demais, tem suas cotas negociadas em ambiente de Bolsa de Valores. Tem como objetivo investir no mercado de imóveis, seja no investimento em títulos relacionados a esse mercado, como as LCIs, seja na compra de empreendimentos;
  •  Fundo de ações — esse aplica a maior parte do seu capital em ações de empresas negociadas em Bolsa de Valores;
  •  Fundo de renda fixa — nesse caso, são escolhidos títulos de renda fixa como parte principal de investimento do capital do fundo;
  • Fundo multimercados — os fundos de investimento dessa categoria são mais flexíveis que os demais mencionados acima, visto que têm política de investimentos que pode envolver diversos fatores de risco, sem, necessariamente, terem a obrigação de concentrar os investimentos somente em títulos de renda fixa ou ativos de renda variável.
    Esses são apenas alguns exemplos de fundos de investimento que você pode escolher. Com a grande variedade presente nessa modalidade de investimentos, você facilmente encontrará um que se adeque ao seu perfil e, principalmente, aos seus objetivos de curto, médio e longo prazos.

Por fim, é essencial que você sempre avalie com cautela os dados da lâmina de fundos. Ela mostrará os principais detalhes do fundo de investimento, servindo como fonte principal de informações que deverão anteceder sua tomada de decisão.

Se você gostou deste artigo e quer continuar recebendo dicas sobre investimentos, assine a nossa newsletter. Dessa forma, você será informado sempre que publicarmos um novo conteúdo.

Ainda não é Cliente? Abra a sua conta no Modal Banco Digital do Investidor