Para investir em renda fixa ou variável não precisa ser um grande entendedor de matemática, entretanto, é preciso saber fazer alguns cálculos com eficiência. Mas, calma, se você não gosta nem um pouco dessa matéria, a Regra dos 72 (ou Regra 72) pode tornar isso muito simples.

Mesmo se você estiver no início da sua jornada como investidor é importante aprender a calcular o seu lucro provável, portanto, é interessante contar com o apoio de algumas estratégias inteligentes para isso.

Continue a leitura e saiba tudo sobre o assunto.

Acompanhe!

 

O que é a Regra 72?

Apesar de no mundo dos investimentos haver muitos conceitos indispensáveis, porém complexos, e que exigem extrema dedicação antes de serem praticados, há outros também bastante eficazes e de fácil compreensão. É o caso da Regra dos 72.

Basicamente, trata-se de um cálculo simples utilizado na matemática financeira, que tem o objetivo de auxiliar na avaliação da incidência de juros compostos sobre uma aplicação.

A finalidade essencial desse método é estimar em quanto tempo o montante aplicado irá duplicar, tendo por base uma determinada taxa de juros ao ano. Ou, o inverso: é possível estimar qual a taxa você precisaria para atingir o dobro de sua carteira, em determinado período de tempo.

É importante ressaltar que essa estimativa traz um resultado em anos, o que você entenderá ao longo desse artigo.

 

Como funciona a Regra 72?

Como você já sabe, a Regra dos 72 é uma metodologia que utiliza um cálculo simples, que te dará uma ideia sobre o tempo que determinado capital investido levará para dobrar. Esse cálculo considera uma taxa de juros anualizada, levando em consideração juros compostos.

É importante que fique claro também, que a Regra dos 72, expõe um resultado que indica o valor nominal desse rendimento. Ou seja, o resultado pode dizer que seu patrimônio calculado sob a regra, dobraria com o passar de determinado período de tempo, porém não leva em consideração o valor real, que indica o efeito da inflação sobre determinado investimento

Além disso, o resultado do cálculo dessa metodologia aplicada sobre determinada taxa, traz resultado mais eficaz, quando tratamos de investimentos prefixados.

Isso porque, se utilizarmos como base uma taxa de juros que pode sofrer alterações periodicamente, como é o caso da taxa básica de juros, a Selic, que pode ou não ser alterada a cada reunião do Copom – que ocorre a cada 45 dias –, e que reflete diretamente em outro indexador comumente utilizado no mercado, o CDI, o resultado obtido hoje, poderia ser completamente diferente após a próxima decisão do Copom.

Então, com essas informações em mente, é possível planejar-se de maneira mais eficaz, para descobrir quanto tempo precisará manter o seu recurso aplicado – ou mesmo a qual taxa de juros, por determinado período – para que o valor duplique.

Muitas pessoas utilizam isso para saber quando conseguirão atingir o seu primeiro milhão ou qualquer outro valor, necessário para a aquisição de algum bem.

Para entender como isso é possível, vamos mostrar abaixo, na prática, como a Regra 72 funciona.

A regra é muito simples, tudo o que você precisa fazer é dividir o número 72 pela taxa de juros, ou seja, a taxa de retorno da aplicação.

 

Tempo (em anos) para o valor aplicado duplicar = 72/taxa de juros da aplicação

 

Assim, o resultado da operação é a quantidade em anos que será necessária para dobrar o montante – contanto que a taxa de juros anual seja prefixada. Logo, é difícil fazer isso com ações ou outros ativos de renda variável.

Para você entender de forma prática, mostraremos um exemplo simples. Mais adiante, aprofundaremos essa metodologia de cálculo. Se você resolver investir R$ 10 mil em um título que tem um rendimento de 4% ao ano, para transformar esse montante em R$ 20 mil – ou seja, dobrar o valor –, seriam necessários 18 anos (72/4 = 18)!

Essa regra também pode ser aplicada em cálculo de dívidas. Por exemplo, se você tiver R$ 30 mil em dívidas com uma taxa de juros de 5% ao ano e não seja feito nenhum tipo de pagamento, após 14,4 anos, a dívida será dobrada (72/5 = 14,4).

Outra forma de utilizar a Regra 72 é ao inverter a conta para descobrir uma taxa de rendimento necessária para chegar até determinado patamar com seu investimento. Por exemplo, vamos imaginar que você tenha R$ 20 mil e queira um investimento capaz de dobrar esse montante em, no máximo, 10 anos.

Assim, pode utilizar a regra da seguinte forma: 72/10, que trará o resultado de 7,2% ao ano. Logo, seguindo esse exemplo, você deve procurar um investimento que ofereça rentabilidade prefixada de 7,2% ao ano, que deverá permanecer aplicado por um período de 10 anos, quando os R$ 20 mil renderão até os R$ 40 mil.

 

Para que serve a Regra 72?

A incidência de juros é algo muito básico e importante para as aplicações. Se até ler este artigo você não se preocupava com esses elementos é importante ter em mente que eles podem afetar em muito os seus resultados. Muitas pessoas têm certa aversão à matemática e acabam deixando de lado a importante tarefa de aprender sobre investimentos.

Isso é algo extremamente equivocado, tendo em vista que, atualmente, não é preciso ser um grande perito nessa disciplina para investir. Existem centenas de ferramentas e plataformas que fazem todo o trabalho pesado para demonstrar ao investidor os números que ele precisa para tomar decisões.

Entretanto, alguns conceitos são cruciais e a Regra 72 é algo bastante simples, o que justifica a sua aplicação, tendo em vista o tamanho da importância que ela possui. Com ela é possível chegar à conclusão sobre um investimento sem muitos cálculos matemáticos, desde que, não existam outras questões a serem consideradas com relação ao mercado ou a fatores de risco.

 

Por que fazer a Regra 72?

Seja você um iniciante ou experiente no mundo dos investimentos, deve saber que para obter os melhores resultados, é indispensável conhecer seus próprios objetivos, sobre os produtos dos quais pretende investir, e claro, conhecer pelo menos o básico da matemática financeira.

Mas como você pôde ver ao longo desse artigo, esse não é um motivo para evitar os investimentos. Pelo contrário: o conhecimento sobre esses e outros assuntos que envolvem o tema, são grandes incentivadores para que você os utilize como principal meio para alcançar seus objetivos.

O mais animador, é saber que você pode contar com métodos práticos e simples de serem aplicados, como a Regra 72. Afinal, com ela, qualquer pessoa será capaz de saber o prazo necessário para que o dinheiro retorne como um rendimento do investimento, mesmo que você não tenha uma calculadora financeira à sua disposição, ou mesmo prática em manuseá-la.

Nesse sentido, não há dúvidas de que você precisa aproveitar essa técnica para auxiliá-lo em seus estudos sobre o mercado financeiro. Esse método, portanto, é um atalho muito interessante, simples e fácil, para que consiga chegar ao resultado que você deseja, podendo servir como embasamento para a sua tomada de decisões.

 

Quais as vantagens de utilizar a regra 72 em seus investimentos?

Sem dúvida, a principal vantagem de se utilizar essa regra, é que ela, de certo modo, dispensa grandes conhecimentos da matemática financeira, já que utiliza apenas elementos de matemática básica.

Outra vantagem é que ela pode auxiliar na tomada de decisões, principalmente ao observarmos aspectos como:

  •  Tempo necessário para determinado valor dobrar;
  •  Taxa de juros necessária para atingir o dobro do valor que pretende aplicar por determinado período;
  • Com isso, ao obter um resultado após o cálculo da Regra 72, é possível saber – antes mesmo de aplicar – se determinado investimento realmente é capaz de atender às suas necessidades e seus objetivos, ou se o ideal é buscar outra opção.

Vale a pena ressaltar que esse método não está restrito aos investimentos, como já mencionamos. Você também pode utilizar a Regra 72 no momento de fazer um financiamento para descobrir em quantos anos a dívida dobraria.

Sendo assim, essa metodologia é uma grandiosa aliada de sua gestão financeira pessoal. É possível melhorar a sua tomada de decisões e entrar em operações de forma mais consciente e saudável.

 

Como utilizar essa técnica?

Como já mencionamos ao longo deste artigo, a aplicação da regra é muito simples e rápida e pode ser utilizada por qualquer pessoa, independentemente do seu conhecimento sobre matemática financeira.

Quem decide investir deve ter como meta multiplicar o seu dinheiro. Nesse sentido, essa é uma maneira eficiente de verificar se determinado tipo de investimento está adequado aos seus objetivos e ao seu perfil de investidor.

Como você já viu, a fórmula é simples:

72/taxa de juros do título = tempo necessário em anos, para que o valor aplicado dobre. Ou seja, você deve dividir o número 72 pela taxa de juros do seu investimento, que é fornecida no momento de contratação, quando se trata de uma aplicação de renda fixa.

É importante ressaltar alguns pontos importantes. Um deles é que, ao falarmos de um investimento atrelado a uma taxa de juros que poderá oscilar, como é o caso dos pós-fixados, o resultado pode tornar-se inválido. Assim, o recomendado é que você utilize a Regra 72 em investimentos prefixados.

Além disso, tenha em mente que ela não considera juros reais, apenas juros nominais, em que a influência da inflação ainda não foi considerada. E por fim, é importante deixar claro que a fórmula proporciona ao investidor conhecer o resultado bruto das suas aplicações após o período de tempo demonstrado no cálculo. Entretanto, alguns títulos podem, por exemplo, sofrer incidência de Imposto de Renda.

Por fim, para melhor fixação da metodologia, preparamos outro exemplo. Nesse caso, veja como você pode ter uma carteira de investimentos para dobrar o seu patrimônio em, aproximadamente, 7 anos. Para tanto, é necessário fazer certos ajustes para repensar suas estratégias de aplicação.

Se você está sem direção e não sabe como começar, é preciso obter algumas informações, especialmente, a rentabilidade mínima necessária para conseguir atingir essa meta. Nesse caso, vamos para a aplicação da Regra 72: de forma simplificada, basta dividir o número 72 da regra por 7, que é o tempo em que você deseja dobrar o seu capital.

O resultado, portanto, é 10,28 – ou seja, você deve montar uma carteira que seja capaz de proporcionar uma rentabilidade de 10,28% ao ano. Apesar de algumas formas de utilização da metodologia só serem possíveis quando consideramos a renda fixa, nesse caso, é possível aplicar essa técnica em qualquer tipo de investimento.

Contudo, o caminho é um pouco mais complexo e envolve certo conhecimento de mercado. Isso porque, nos dias atuais, dificilmente você encontrará um único título que tenha uma rentabilidade fixada em aproximadamente 10,2%. Nesse caso, para alcançar essa taxa anual, é necessário diversificar os seus investimentos, mesclando tanto a rentabilidade quanto os riscos inerentes a um ativo – uma prática considerada muito saudável no mercado financeiro.
Com isso, além da renda fixa, e dependendo, é claro, do seu perfil de investidor, você poderá buscar outras alternativas voltadas à renda variável para complementar a sua rentabilidade.

Como você pôde perceber, a Regra 72 é uma metodologia prática e que pode ser aplicada de forma muito simples, mas que pode lhe proporcionar uma série de benefícios para as suas estratégias de investimento, gerando mais segurança e aumentando suas chances de acerto em suas tomadas de decisão.

Gostou das informações que trouxemos neste artigo? Então, não deixe de conferir esse e outros conteúdos que preparamos para você. E para aproveitar todos benefícios de ser um cliente modalmais, abra a sua conta gratuitamente e comece a aplicar essa metodologia nos diversos produtos que temos à sua disposição!

 

Nova call to action