Se você está começando a investir, com certeza, tem pesquisado bastante sobre opções de ativos para diversificar carteira e aumentar as oportunidades de rentabilidade. O Contrato Cheio – ou Futuro – de S&P 500 é um ativo da categoria de investimentos de renda variável bastante popular e que vale a pena você conhecer.

Esse contrato é semelhante ao Contrato Futuro E-mini S&P 500, devido à sua natureza, tamanho e meses de vencimento, podendo se tornar uma alternativa de investimento interessante para traders que têm perfil de investidor arrojado.

Neste artigo, você vai conhecer a história desse ativo e aprender a investir nele. Se quiser conhecer mais uma opção de investimento que ajudará você a ver o seu patrimônio crescer, continue a leitura deste post!

 

Afinal, o que é o Contrato Cheio de S&P 500?

O Contrato Cheio S&P 500 é uma modalidade de investimento denominada de contrato futuro, dessa forma, esse contrato negocia no dia, as expectativas do preço futuro das ações que compõem seu índice de referência, o S&P 500. Esse índice é calculado e divulgado pela Standard and Poor’s e é composto por um grupo de 500 ações das empresas com maior capitalização no mercado americano.

Essas ações, por sua vez, são consideradas blue chips. Assim, os resultados de desempenho apresentados por elas fortalecem a sua credibilidade, tornando-as extremamente atrativas para os traders.

Hoje, o Índice S&P 500 é um dos índices de maior destaque no cenário de investimentos mundial. O motivo dessa popularidade é o histórico e a composição de sua carteira teórica.

Como todos os contratos cheios, essa categoria permite que o investidor negocie as expectativas futuras sobre determinado ativo ou mais de um. No caso dos contratos cheios de S&P 500, o investidor pode negociar, no mercado de renda variável brasileiro, as expectativas sobre os preços futuros das ações de grandes companhias do mercado americano.

 

Origem do Índice S&P 500

A origem desse índice se dá na década de 1920. Inicialmente, ele contemplava uma carteira com apenas 90 empresas listadas. Em 1957, esse número foi expandido e alcançou o limite de 500 ações de companhias de grande capitalização, negociadas tanto na NYSE quanto na NASDAQ.

Desde então, esse é o índice de maior expressividade do mercado americano. Dada sua importância, o ativo que reflete a expectativa futura sobre o índice, o contrato futuro E-mini S&P 500, foi criado em 1997.

Para permitir que o investidor no Brasil também pudesse negociar a expectativa dos preços das ações que compõem o índice S&P 500, a então BM&FBovespa lançou em 2012, em parceria com a CME Group, o Contrato Cheio de S&P 500.

O fato de o Índice S&P 500 contemplar as ações dos principais negócios norte-americanos, de diversos segmentos, faz com que ele atue como um termômetro econômico do mercado de ações dos Estados Unidos. Somando todas as ações desse índice, o resultado corresponde a 80% do que é negociado na Bolsa de ações de Nova York (NYSE).

 

Exemplos de ações blue chips

Sabemos que você quer ser um investidor de sucesso e deve ter se interessado por ações blue chips. São classificadas como blue chips, ações de empresas que, em geral, têm forte geração de caixa, distribuem dividendos com frequência e possuem, entre outras coisas, alto valor de mercado.

Além disso, vale lembrar que, por serem bastante conhecidas, costumam ter alto volume de negociações, o que significa que são ações de alta liquidez.

Lembre-se de que esse conceito tem a ver com a facilidade com que um ativo tem de ser convertido em dinheiro livre para movimentação. Logo, quanto mais forte é a relação de demanda versus oferta, maior é o grau de liquidez de um ativo.

As empresas com ações blue chips têm outras particularidades, tais como:

  • crescimento constante;
  • governança corporativa de referência;
  • relação de transparência e confiança com acionistas.

Com certeza, você se lembrou de alguma empresa com essas qualidades. Nos Estados Unidos, negócios como Walmart, Coca-Cola, PepsiCo e Johnson & Johnson integram o grupo do S&P 500.

No Brasil, também temos exemplos de organizações que são caracterizadas como blue chips. As ações de Petrobras, Embraer e Vale são os ativos mais conhecidos dentro dessa categoria.

Além de comporem o índice de maior destaque do mercado acionário brasileiro – o Ibovespa – e poderem ser negociadas indiretamente por meio do contrato cheio de Índice (IND), elas podem ser negociadas da mesma forma, por meio de fundos de ações e ETFs (Exchange-Traded Fund, ou Fundo de Índice).

 

Como funciona o Contrato Cheio de S&P 500?

O Contrato Cheio de S&P 500 possui algumas características importantes e que você deve conhecer, tais como:

  • O tamanho é definido pelo valor do contrato cheio de S&P 500 multiplicado pelo valor do ponto, onde cada um equivale a US$ 50. Ou seja, o tamanho do contrato é a cotação multiplicada pelo valor do ponto;
  • Variação mínima de apregoação. Já a variação mínima de apregoação (tick size) do contrato cheio de S&P 500 é de 0,25 ponto de índice;
  • Ambiente e código de negociação. A negociação acontece no ambiente de BM&F da B3, ou seja, no mercado de futuros. O código de negociação é ISP;
  • Vencimento do contrato. Cada série do contrato é identificada por uma letra do mês de seu vencimento. A periodicidade de vencimento desses contratos acontece na terceira sexta-feira do mês vigente, coincidindo com o vencimento no CME Group e ocorrendo somente nos meses de março, junho, setembro e dezembro.

Quando acontece do seu dia de vencimento cair em uma data em que não ocorrerá uma sessão de negociação na Bolsa de referência do contrato, o vencimento acontece no próximo dia útil (salvo se a CME Group definir outra data).

É preciso ficar atento, pois, se a data de vencimento coincidir com algum feriado no Brasil, em que a nossa Bolsa não funciona, o mesmo será programado para o próximo dia útil em que a B3 estará aberta.

 

Ajuste diário

Para finalizar, é importante que você tenha em mente que, todos os dias, é realizado o ajuste das posições em aberto, sejam elas compradas ou vendidas. Assim, são creditados e debitados – de acordo com o preço de ajuste e com o lado em que estiver posicionado (como comprador ou como vendedor) – os valores em sua conta corrente na corretora ou ao banco de investimentos.

Portanto, se você está considerando operar com Contratos Cheios de S&P 500, saiba que as posições abertas em cada sessão de negociação estão sujeitas ao ajuste diário, considerando a base Preço de Ajuste (PA) do dia vigente. O PA tem as suas diretrizes estabelecidas pela B3, e a sua movimentação financeira acontece no dia subsequente.

O ajuste diário é calculado de acordo com dois cenários: nas operações realizadas no dia e nas posições em aberto com base no dia anterior.

 

Condições de liquidação no dia de vencimento

No início deste tópico, você viu que a liquidação desse ativo acontece no dia útil subsequente à negociação de compra e venda. Com as posições que são liquidadas no vencimento acontece o mesmo, sendo essa liquidação sempre financeira.

O valor de liquidação será definido de acordo com a cotação do Índice S&P 500 Futuro de liquidação, conforme fornecido pelo CME Group e de acordo também com a quantidade de contratos, com base em um cálculo que acompanha as seguintes variáveis:

  • VL = valor de liquidação de cada contrato, em reais;
  • P = Índice S&P500 de liquidação, considerando a data de liquidação prevista do contrato;
  • M = valor em dólar americano do ponto de índice, estabelecido pela B3;
  • TxC = taxa de câmbio de reais por dólar americano, para liquidação em um dia, apurada e divulgada pela B3.

Dito isso, o valor de liquidação de cada contrato utiliza a fórmula:

  • VL = (P x M) x TxC

Condições especiais

Dentre as condições consideradas especiais, destaca-se que, se, por qualquer motivo, o CME Group atrasar ou não divulgar o valor do Índice S&P 500 Futuro de liquidação correspondente à data de vencimento do contrato, a B3 poderá, a seu critério:

  • Prorrogar a liquidação do contrato até que o CME Group o divulgue oficialmente;
  • Encerrar as posições em aberto utilizando o último preço de ajuste fornecido pelo CME Group;
  • Ou utilizar como valor de liquidação, um valor arbitrado pela própria B3, caso nossa Bolsa julgue ser não representativo o último valor de ajuste.

Ou seja, a B3 tem autonomia para adotar ações que julgar serem apropriadas.

Em relação aos feriados e aos dias em que não houver pregão na Bolsa brasileira, já existem diretrizes formalizadas. Portanto, acontecendo tais situações:

  • Na quinta-feira antecedente ao dia do vencimento do contrato, o último dia de negociação será a sexta-feira do vencimento;
  • Na sexta-feira, dia do vencimento do contrato, o último dia de negociação será a quinta-feira que anteceder, tendo como preço de liquidação, o valor do Índice S&P 500 fornecido pelo CME Group.

Já para feriados ou dias em que não houver pregão nos EUA na sexta-feira de vencimento do contrato, o último dia de negociação será o próximo dia útil no mercado americano, com negociação regular na Bolsa.

 

Compreendendo o que é CME Group

Neste tópico, citamos o CME Group. Essa sigla corresponde ao termo Chicago Mercantile Exchange, ou, simplesmente, Bolsa de Chicago. Essa foi a primeira Bolsa de futuros criada no mundo inteiro, atuando já há mais de 170 anos. Hoje, a CME Group conta com outras três Bolsas:

  • New York Mercantile Exchange (NYMEX);
  • Chicago Board of Trade (CBOT);
  • Commodities Exchange (COMEX).

Há pouco tempo, o CME Group e a B3 anunciaram uma parceria visando o desenvolvimento de um novo ativo de contrato futuro com uma commoditie de soja.

Quais são as vantagens do Contrato Cheio de S&P 500?

Ao longo deste artigo, dentre as características mencionados, você já deve ter reconhecido alguns benefícios de investir no Contrato Cheio de S&P 500. No entanto, listamos, a seguir, algumas outras vantagens dessa modalidade de investimento de renda variável. Confira!

 

Hedge

O hedge é um instrumento financeiro de proteção que visa reduzir o risco de movimentos adversos nos preços de ativos nos quais você esteja posicionado.

Com os Contratos Cheios de S&P 500, você pode proteger-se contra possíveis oscilações nos preços do seu portfólio de ações estrangeiras negociadas no mercado local.

 

Diversificação e Alavancagem

Além de possibilitar que você opere com alavancagem, por se tratar de um contrato futuro, o Contrato Cheio de S&P 500 pode ser utilizado como uma forma de diversificação de portfólio, visto que, com ele, você opera com exposição a diversos ativos estrangeiros que compõem o índice S&P500. O melhor de tudo é que você faz isso sem ter a necessidade de arcar com os custos de aquisição de diversos ativos individualmente.

Além disso, apesar de integrar o grupo de investimentos de renda variável, a credibilidade dos ativos blue chips é a responsável por fazer essa modalidade de Contrato Futuro ser uma opção inteligente, principalmente para investidores com perfil arrojado.

No entanto, isso não significa que você pode negligenciar a sua carteira. Busque sempre se informar nos principais meios de comunicação e nos nossos canais digitais.

 

Oportunidade para novas estratégias

Devido ao fato de a sua liquidação ser feita diariamente, o Contrato Cheio de S&P 500 é uma oportunidade para que você comece a colocar em ação novas estratégias de investimentos.

Se você tem interesse em fazer com que o mercado de capitais seja a sua profissão, se tornando, por exemplo, um day trader, esse ativo pode ser uma opção para seus negócios.

 

Como investir em Contrato Cheio de S&P 500?

Agora que você sabe o que é o Contrato Cheio de S&P 500 e suas principais vantagens, é hora de diversificar a sua carteira de investimentos.

Para investir, basta que tenha uma conta digital no banco feito especialmente para investidores como você: o modalmais. Direto do seu smartphone, você tem acesso ao nosso aplicativo e pode operar utilizando o home broker ou se preferir, pode ainda utilizar outras plataformas de negociação profissionais.

Para iniciar suas negociações, transfira recursos para a sua conta modalmais, em seguida, em contato com nossos especialistas, solicitando que o valor que será utilizado como margem de garantia para a operação, seja alocado. Por fim, é só enviar a ordem e acompanhar sua posição.

Gostou deste artigo? Então compartilhe-o em suas redes sociais. E para não perder nenhum de nossos conteúdos e novidades, assine nossa newsletter gratuita hoje mesmo.