Seja você iniciante no universo dos investimentos ou experiente, com certeza já pôde notar que não faltam opções para ajudar você a rentabilizar capital.

No entanto, algumas dessas opções, podem parecer pouco acessíveis para grande parte dos investidores, especialmente os que estão iniciando suas operações. E, um dos motivos para isso, é, por exemplo, a margem de garantia exigida sobre alguns tipos de operações e ativos.

É o que acontece com a negociação de contratos futuros – ativos de renda variável, negociados no mercado futuro da Bolsa de Valores. Com o aumento da popularidade desses contratos, no intuito de possibilitar a mais pessoas, o acesso a esse mercado tão promissor, foram criados os minicontratos, como é o caso do mini dólar e do mini índice.

Continue a leitura e saiba mais!

 

O que são Contratos Futuros?

Os contratos futuros (também conhecidos como Contratos Cheios) representam acordos de compra e venda de derivativos de commodities, índices, taxas de juros e moedas, para uma data futura. Quem opera contratos futuros, está negociando hoje o preço de determinado ativo, para vencimento em uma data futura – ou seja, negocia-se as expectativas sobre o preço do ativo no futuro.

Outra característica importante dos contratos futuros é o fato de que sofrem ajustes diários em seus preços. Então, o investidor que se mantem posicionado em determinado contrato, de um dia para o outro, ou mesmo por vários dias, receberá – ou pagará – em sua conta corrente na instituição, a diferença relativa ao preço de ajuste de cada dia.

Os contratos futuros são considerados derivativos, ou seja, ativos que derivam de outros ativos. Os derivativos são instrumentos financeiros utilizados para operações de hedge (proteção), arbitragem e especulações.

É importante destacar também, que contratos futuros são padronizados, ou seja, seguem um padrão quanto ao valor, vencimento, tamanho e especificações técnicas de cada ativo (o que é muito importante, especialmente para os contratos agrícolas).

 

O que são minicontratos?

Dentre as vantagens de se operar no mercado futuro, há o fato que você não precisa desembolsar recursos para negociar os contratos. No entanto, é necessário ter depositado na instituição intermediadora da operação, uma margem de garantia, que, dependendo do contrato, pode ser bastante elevada.

Isso poderia ser um obstáculo para o pequeno investidor. Por isso, em 2001, a então a BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros) – posterior BM&FBovespa e atual B3 –, passou a negociar os minicontratos.

Esses ativos exercem a mesma função de um contrato padrão: representam acordos de compra e venda de derivativos de commodities, índices, taxas de juros e moedas, para uma data futura, mas devido ao seu tamanho reduzido – correspondente a 20% do contrato cheio –, sua exposição e alavancagem se tornam menores, o que permite que a margem de garantia seja inferior à margem do seu contrato cheio correspondente.

 

Qual a diferença entre Contrato Cheio e Minicontrato?

A principal diferença entre o contrato futuro e minicontrato é o tamanho de cada um deles.

Acompanhe o exemplo a seguir:

 

Contrato Futuro de Índice Bovespa (IND): 

  • Tamanho do contrato: Contrato Futuro de Ibovespa multiplicado pelo valor em reais de cada ponto, sendo cada ponto equivalente a R$1;
  • Cotação: Pontos do Índice Bovespa;
  • Lote padrão: 5 contratos.

 

Mini Índice Futuro (WIN)

  • Tamanho do Contrato: 1/5 (20%) do Contrato Cheio, levando cada ponto a ser o equivalente a R$ 0,20;
  • Cotação: Pontos do Índice Bovespa;
  • Lote padrão: 1 minicontrato

 

Vantagens de operar com minicontratos

Os minicontratos possuem uma série de vantagens, entre elas estão:

  • Alta liquidez: Os minicontratos são ativos de alta liquidez, então o investidor consegue entrar e sair das operações facilmente, tendo um risco bem reduzido de não ter contraparte interessada quando desejar movimentar o ativo.
  • Alavancagem: A B3, exige do investidor uma margem para negociar os contratos e minicontratos, sendo assim, não é necessário ter em conta todo o capital referente ao volume do contrato. Para o Day Trade oferecemos a margem reduzida para minicontratos de Dólar (WDO) e Índice (WIN), possibilitando assim que o investidor consiga alavancar mais o seu capital.
  • Diversificação: Dentre as vantagens destacadas está a possibilidade de diversificação, visto que há diversos instrumentos financeiros nessa categoria de ativos. Para se ter uma ideia, atualmente, a B3 possibilita a negociação de minicontratos de índice Bovespa, S&P 500, dólar, euro e soja.
  • Baixo custo operacional: Hoje, no modalmais, você consegue investir em contratos cheio e minicontratos com corretagem ZERO! Além disso, taxas sobre minicontratos, como emolumentos, costumam ser inferiores às tarifas sobre contratos cheios.

 

Códigos dos Minicontratos

Assim como acontece com os contratos futuros, os minicontratos também possuem data de vencimento, e para cada vencimento existe uma letra de referência que compõe o seu código de negociação.

Assim, o código é composto pela sigla que representa o contrato (por exemplo, BGI, no caso de contrato futuro de Boi Gordo e WDO, no caso de minicontrato de dólar), logo depois, pela letra que representa o mês de vencimento e, em seguida, o ano de vencimento.

Abaixo, acompanhe a tabela (que utiliza como exemplo os contratos futuros e minicontratos que são mais comumente negociados: de Dólar e Índice) que apresenta letras que indicam, respectivamente, os meses de vencimento desses ativos:

Mês de vencimentoIND/WINDOL/WDO
JaneiroF
FevereiroGG
MarçoH
AbrilJJ
MaioK
JunhoMM
JulhoN
AgostoQQ
SetembroU
OutubroVV
NovembroX
DezembroZZ

 

Dando continuidade aos exemplos da tabela, acompanhe como ficariam os códigos de negociação, por exemplo, com vencimento em agosto de 2021.

Mini índice: WINQ21
Mini dólar: WDOQ21
Dólar cheio: DOLQ21
Índice cheio: INDQ21

Apesar de terem sido utilizados como exemplos, a tabela mostra os meses reais de vencimento dos contratos futuros e minicontratos de dólar e índice. Dessa forma, vale ressaltar que:

  • DOL e WDO: vencem mensalmente (todo 1º dia útil do mês);
  • IND e WIN: vencem em meses pares, sempre na quarta mais próxima do dia 15 do mês de vencimento.

Margem de garantia para negociação dos minicontratos

A margem de garantia não representa um custo ou um aporte investido, mas, sim, um valor que serve como garantia de que, caso você tenha um resultado negativo com a operação, possa cobrir esse valor com a garantia depositada. Caso obtenha resultado positivo com a operação, a margem é “desbloqueada”, ou seja, devolvida para livre movimentação.

Portanto, para operar com contratos futuros é necessário ter em conta o valor da margem, e não o valor financeiro do contrato. Ou seja, por essa margem ser menor que o valor do contrato, é possível, com esses instrumentos, alavancar o seu capital.

A margem de garantia é definida pela B3 e disponibilizada diariamente aos participantes do mercado. Porém, no day trade (operações de compra e venda no mesmo dia), as instituições financeiras, como corretoras e bancos de investimento, podem oferecer uma margem reduzida, já que a chamada de margem oficial da B3 ocorre apenas na liquidação das operações, ou seja, em 1 dia útil.

Hoje, o modalmais tem a menor margem reduzida do mercado! Para o Day Trade, essa margem poderá ser em financeiro, ou então em CDBs Modal pós-fixados. Já para realizar posição nesses contratos, é necessário ter o valor total exigido pela B3, e são aceitos como garantia, ações com deságio, tesouro direto (títulos inteiros) e saldo financeiro.

 

Quais as características técnicas e quanto custa operar minicontratos?

Confira, a seguir, as características técnicas dos principais minicontratos, e os custos para negociá-los pelo modalmais.

 

Características do minicontrato de índice Ibovespa

Tamanho do contrato: R$ 0,20 por ponto de índice
Cotação: definida pelos pontos do índice
Vencimento: meses pares
Variação mínima de apregoação: cinco pontos de índice (cotação varia de cinco em cinco pontos)

Observando a cotação: no contrato futuro de Índice, cada ponto equivale a R$ 1, já no mini índice, por equivaler a 20% do contrato cheio, o valor do ponto é de R$ 0,20.

Vamos supor que você compre dois contratos de WIN em 110.100 pontos e venda em 110.500, o resultado bruto de sua operação será de R$ 160. Observe o cálculo a seguir:

(110.500 – 110.100) x 0,20 x 2 = R$ 160

 

Características do minicontrato de Dólar

Tamanho do contrato: US$ 10 mil
Cotação: reais por US$ 1 mil
Vencimento: todos os meses
Variação mínima de apregoação: R$ 0,50 por US$ 1 mil (cotação varia de meio em meio ponto)

O mini Dólar corresponde a 20% do contrato de Dólar futuro, ou seja, ele representa a compra ou venda de US$ 10 mil. No contrato cheio, o tamanho do contrato equivale a US$ 50 mil.

É importante destacar que as cotações dos contratos variam diariamente, no entanto, as características técnicas abordadas acima, permanecem as mesmas. No WDO, cada ponto equivale a R$ 10, enquanto que, no contrato cheio, equivale a R$ 50.

 

Custos por contrato negociado

Para operar contratos e minicontratos você terá que se atentar aos seguintes custos:

 

Corretagem para Minicontratos

A corretagem é o valor cobrado pela instituição financeira que funciona como intermediadora de suas ordens enviadas para a Bolsa. Ela é cobrada de acordo com a quantidade de contratos negociados, independentemente da quantidade de ordens executadas.

Dessa forma, supondo que a corretora ou banco de investimentos, ofereça um valor de corretagem de R$ 0,25 por cada minicontrato negociado, e em um pregão você tenha operado um total de 20 minicontratos, entre compras e vendas, ao final do dia, você terá o custo total, em corretagem, de R$ 5.

O modalmais marcou a história do mercado de minicontratos no Brasil, ao se tornar, em setembro de 2018, a primeira corretora a disponibilizar corretagem ZERO para minicontratos.

 

Taxas B3 para Minicontratos

A B3 cobra duas taxas sobre operações day trade que envolvem contratos e minicontratos futuros, sendo emolumentos e taxa de registro. Para cada contrato negociado, há a incidência dessas taxas, ou seja, são consideradas tanto as operações de abertura, quanto as de encerramento da posição.

Os valores são divulgados e sempre atualizados no site da B3, sendo diferentes de acordo com o ativo negociado. Essas taxas são calculadas automaticamente pela Bolsa, e você conseguirá acompanhar cada custo referente às suas operações, utilizando sua nota de corretagem.

 

Imposto de renda para Minicontratos

O imposto de renda incide sobre os lucros das suas operações. A alíquota é diferente para operações Day trade ou Swing trade.

No Day Trade, ou seja, para operações que foram abertas e encerradas no mesmo pregão, é cobrado 20% sobre o lucro, sendo que 1% já é retido na fonte. Então, o investidor tem a obrigação de gerar a DARF e pagar os 19% restantes até o último dia do mês subsequente ao período de apuração.

Já para operações Swing Trade, ou seja, que foram abertas, porém, não foram encerradas no mesmo pregão, a alíquota é de 15%, sendo que 0,005% sobre a soma algébrica dos ajustes diários (apenas quando positivo), apurado quando encerrar a operação (antecipadamente, ou apenas no vencimento), já fica retido na fonte.

 

Como operar minicontratos

Confira o passo a passo para operar com minicontratos:

Passo 1: Escolher uma instituição que irá intermediar suas operações. Para isso, você pode abrir a sua conta no modalmais.

Passo 2: Com o cadastro realizado e a conta ativa, faça o login.

Passo 3: Realize uma transferência para a sua conta no modalmais.

Passo 4: Escolha a plataforma de negociações que você utilizará para operar os minicontratos.

Passo 5: Libere as margens para operar: basta acessar a aba de ‘Limites BMF’ no site ou aplicativo e selecionar a quantidade de contratos que pretende negociar ou se posicionar. Vale lembrar que o valor da aba “Limites BM&F” corresponde somente à margem de garantia, conhecida como margem reduzida, de operações day trade.

Passo 6: Tudo pronto para começar a operar com os minicontratos direto na plataforma escolhida.

 

Como escolher uma plataforma para negociar minicontratos?

Antes de começar a operar com minicontratos, é importante escolher uma plataforma que atenda aos seus objetivos e necessidades.

Você pode fazer isso observando características, como:

  • Funcionalidades da plataforma
  • Velocidade de envio de ordens
  • Estabilidade entre a corretora e a plataforma
  • Custo da plataforma

Pensando nas características acima, você pode optar entre as seguintes plataformas:

 

Quais os riscos de operar minicontratos?

Por se tratarem de instrumentos de renda variável, é normal que negociar no mercado de contratos futuros envolva riscos. Os principais são:

 

  • Volatilidade

Os preços dos ativos de renda variável são bem voláteis e podem variar de forma brusca e rápida. O motivo é que este mercado é muito sensível às expectativas, notícias de cunho político, econômico, além de eventos e acontecimentos a nível global, dentre outros.

 

  • Financeiro

Os contratos futuros têm preços reajustados diariamente, com base nas movimentações ocorridas no dia de negociação anterior. Caso, em dado momento, os ajustes diários sejam muito bruscos e você esteja posicionado, as margens depositadas como garantias, também podem ser alteradas pela Bolsa sem prévio aviso.

 

  • Sistemas

Para operar no mercado de Bolsa, deve-se levar em conta fatores físicos, em especial os riscos atrelados a sistemas de informação. Por mais que as plataformas de negociação estejam cada vez mais seguras e avançadas tecnologicamente, todas ficam sujeitas às oscilações de rede (internet), energia, etc.

 

RLP (Retail Liquidity Provider)

O Retail Liquidity Provider, o RLP, é um serviço oferecido pela B3, sendo que, nesse modelo de negociação, o intermediador – seja banco ou corretora – pode atuar como contraparte no processo de compra e venda de ativos.

A negociação continua acontecendo na B3, mas com o intermediador atuando ativamente, o investidor consegue melhores preços e maior liquidez em seus ativos.

No modalmais, ativando o RLP e operando por qualquer uma das plataformas de negociação, a corretagem para negociar minicontratos de dólar (WDO) e índice (WIN) tem custo zero.

Para entender tudo sobre RLP, como funciona e quais as vantagens oferecidas por ele, acesse: O que é RLP? Saiba como funciona o Retail Liquidity Provider

Os minicontratos são ativos de alta liquidez, então é possível entrar e sair das operações facilmente, tendo um risco bem reduzido de não ter contraparte interessada quando desejar movimentar o ativo.

A B3, exige do investidor uma margem para negociar os contratos e minicontratos, sendo assim, não é necessário ter em conta todo o capital referente ao volume do contrato.

Para o Day Trade com minicontratos de dólar e de índice, essa margem é ainda menor, sendo conhecida como margem reduzida, possibilitando assim que o investidor alavanque ainda mais o seu capital.

Além disso, os minicontratos representam mais opções para que o investidor possa diversificar sua carteira: com eles você poderá negociar um ativo atrelado à variação da moeda norte americana, por exemplo.

Agora que você já sabe tudo que precisa sobre os minicontratos, não pode perder outros assuntos e novidades: basta assinar nossa newsletter gratuita.