Os Futuros de S&P 500 são contratos de negociação do indicador que recebe esse mesmo nome. É um ativo derivativo, ou seja, atrelado a outro que determina seu preço e sua volatilidade ao longo dos pregões.

O S&P é um índice norte-americano muito expressivo para todo o mercado financeiro, por ser referenciado em ações de empresas com forte representatividade no cenário econômico global, o que se torna um excelente atrativo para o investidor brasileiro que pretende se expor à variação desse índice internacional.

Quer saber mais sobre o funcionamento desse ativo, as vantagens que ele pode proporcionar e como investir nele? Então, acompanhe-nos nesta leitura!

 

O que é o contrato futuro de S&P 500?

Antes de falarmos sobre o futuro de S&P 500, é importante falarmos sobre o seu ativo subjacente, o índice S&P 500.

O nome desse índice é a abreviação do termo em inglês Standard & Poor’s 500 Index. Basicamente, é um indicador financeiro – como o Ibovespa – que é composto pelo valor de ações das maiores empresas americanas. Ele inclui 500 delas — daí a referência ao numeral — e reflete cerca de 80% da cobertura de capitalização do mercado acionário da NYSE, a Bolsa de Valores de Nova York.

Ele foi criado em março de 1957, e a sua metodologia de constituição e ponderação coloca-o em um patamar de diferenciação em relação a outros índices americanos, como o Dow Jones ou o NASDAQ.

Muitos investidores consideram esse índice como sendo a melhor representação do mercado de ações dos Estados Unidos. Essa fama não é nem um pouco injusta, tendo em vista que ele reúne grandes nomes de diversos segmentos, entre eles:

  • Microsoft;
  • Amazon;
  • Apple;
  • Facebook;
  • Visa;
  • Walmart;
  • Mastercard;
  • Disney, entre outra

 

O contrato futuro de S&P 500, no entanto, é um produto fruto da parceria entre a B3 e o CME Group. Esse contrato tem o mesmo tamanho e meses de vencimento do contrato futuro de E-mini S&P 500, que é negociado no CME Group. Essa é uma forma que o investidor tem de negociar no mercado financeiro brasileiro, por meio da B3, um ativo que deriva de um índice com grande representatividade no mercado financeiro mundial.

Um aspecto que merece destaque, quando se trata do índice S&P 500, é que a carteira teórica que o compõe tem uma diversidade maior de ações, se compararmos com o Ibovespa, por exemplo. Assim, quando apenas uma empresa sofre uma grande queda, o indicador não acompanha esse resultado ruim tão de perto, o que reflete diretamente na cotação do contrato futuro derivado desse índice.

 

Como funcionam os futuros de S&P 500?

O contrato futuro de S&P 500 é negociado no mercado futuro, sendo, portanto, um ativo que permite ao investidor que seja negociado no dia, a expectativa dos preço no futuro da carteira de ações representadas por seu índice, o S&P 500. Nesse sentido, o que é negociado são as altas e baixas de preços do ativo.

Outra característica dos contratos negociados no mercado futuro, é que cada série de negociação tem um prazo de vencimento. Dessa forma, o vencimento dos contratos futuros de S&P 500 ocorre na terceira sexta-feira de 4 meses do ano: março, junho, setembro e dezembro.

Esse também é o último dia de negociação da série de vencimento. Se na data de vencimento não houver negociação na Bolsa de referência do índice, o vencimento ocorrerá na sessão de negociação seguinte estabelecida pela CME Group.

Por isso, é importante que você se atente aos feriados ou qualquer outro dia que não haja pregão, no Brasil ou nos EUA:

Na Bolsa de Valores brasileira: se na sexta-feira dia do vencimento do contrato não houver pregão, o último dia de negociação será a quinta-feira que anteceder essa data. O preço de liquidação do contrato será o valor do Índice S&P 500 fornecido pelo CME Group.

Na Bolsa de Valores dos EUA: se na sexta-feira dia do vencimento do contrato não houver pregão, o último dia de negociação será o próximo dia útil no mercado americano, ou seja, no dia em que houver negociação regular na Bolsa de Valores dos EUA.

Assim, cada mês de vencimento tem em seu código de negociação as seguintes siglas:

  •  H, referente a março;
  • M: junho;
  • U: setembro;
  • Z: dezembro.

Como mencionado, o contrato futuro de S&P 500 possui um código de negociação que o identifica. Mas, além da letra de vencimento, há também outros elementos que compõem a sua identificação.

Por exemplo, as negociações feitas nesse contrato futuro, de vencimento em dezembro de 2020 devem utilizar o código ISPZ20: sendo ISP o código de negociação do contrato futuro de S&P 500, Z a letra referente ao vencimento em dezembro, e 20 o ano de vencimento da série.

 

Quais são as características desse ativo?

Agora que você já sabe o conceito e o funcionamento dos contratos futuros S&P 500, discorreremos sobre as suas principais características técnicas.

OBJETO DE NEGOCIAÇÃO
O objeto de negociação desse contrato já foi mencionado ao longo do texto, onde destacamos a importância dele como indicador geral da saúde econômica norte-americana, o que, por sua vez, impacta toda a economia global. Nos referimos, portanto, ao índice financeiro S&P 500 calculado pela Standard & Poor’s, que realiza um comitê para selecionar as 500 empresas que irão compor sua cesta teórica de ações.

TAMANHO DO CONTRATO E VARIAÇÃO MÍNIMA DE APREGOAÇÃO
O tamanho do contrato é definido pelo valor do contrato futuro de S&P 500 multiplicado pelo valor do ponto, onde cada um equivale a US$ 50. Ou seja, o tamanho do contrato é a cotação multiplicada pelo valor do ponto.

Já a variação mínima de apregoação (tick size) do contrato futuro de S&P 500 é de 0,25 ponto de índice.

LIQUIDAÇÃO DO CONTRATO
A liquidação do futuro de S&P 500 é exclusivamente financeira. Explicando de forma mais simples, quer dizer que não há entrega física de nenhum tipo de moeda ou crédito de algum outro ativo em carteira, nem mesmo no vencimento. Assim, ao operar com esse contrato, você estará negociando no dia, as expectativas futuras de alta ou baixa na cotação desse índice.

As posições negociadas no day trade, ou seja, abertas e encerradas no mesmo dia, sofrem apenas o ajuste day trade, e não sofrem ajuste diário de posição (preço de ajuste), como o que ocorre com posições normais, ou seja, de operações abertas e não encerradas no mesmo dia.

Como o valor por ponto, e logo a negociação, é baseado em dólar americano, o cálculo deve ser convertido em reais, já que o ajuste creditado ou debitado em sua conta, ocorre em nossa moeda. Para tanto, será utilizada uma taxa de referência do câmbio que é divulgada pela B3, sempre às 16h, em dias úteis.

Para fixar esse conceito, vamos utilizar um exemplo. Imagine que você faça uma negociação e ganhe 0,5 ponto. Ou seja, um lucro de US$ 25. Porém, para que haja o crédito (ou mesmo se ocorresse o contrário, um débito), a conversão consideraria a taxa cambial de referência divulgada no dia, que, nesse exemplo, poderia ser de 5,35 BRL/US$. Portanto, o resultado a ser creditado em sua conta seria de R$ 133,75.

HORÁRIOS DE NEGOCIAÇÃO
Apesar de o futuro de S&P 500 ser um ativo que se assemelha ao contrato futuro americano E-mini S&P 500 negociado no CME Group, o horário de negociação dele segue o mesmo do futuro de Ibovespa. Assim, em dias normais, a abertura ocorre às 9h e o encerramento às 17h55.

LOTE PADRÃO
O lote padrão é a quantidade múltipla negociável de determinado contrato. Em alguns casos, essa quantidade é de cinco contratos por lote, ou seus múltiplos: dez, 15, 20 e assim por diante. No caso do contrato futuro de S&P 500, você pode negociar a partir de um único contrato.

 

Quais são as vantagens desse ativo?

Também vale a pena destacar as principais vantagens que esse ativo pode proporcionar ao investidor. Para tanto, discorreremos detalhadamente sobre as principais nos próximos tópicos.

ALAVANCAGEM DE RENTABILIDADE
Por fim, temos a alavancagem nas operações. Isso significa que você não precisa ter em sua conta todo o dinheiro para movimentar o ativo, mas, sim, uma margem de garantia e ainda assim, tem a possibilidade de alavancar seus ganhos.

Essa é uma característica da maioria dos contratos negociados no mercado futuro. Assim, para negociar o futuro de S&P 500, você utiliza um valor inferior ao tamanho dele, o que possibilita que se negocie um grande volume financeiro, sem a necessidade de possui-lo em conta.

Assim, é possível rentabilizar de forma significativa em cima de uma parcela reduzida do seu capital. Por isso que para negociar esse contrato é necessário depositar na instituição por meio da qual você opera, um valor que servirá como margem de garantia da operação.

Esse valor é calculado pela B3, com base na volatilidade do ativo no mercado e costuma ser de aproximadamente 12% o valor total do contrato negociado, lembrando que o tamanho do contrato futuro de S&P 500 é de US$ 50 vezes a cotação em pontos no momento, levando em consideração a taxa de referência do câmbio que é divulgada pela B3.

Como margem de garantia você pode utilizar saldo em conta corrente, títulos inteiros do Tesouro Direto, ou até mesmo ações.

EXPOSIÇÃO NO MERCADO INTERNACIONAL
Merece destaque o fato de que o indicador, no qual se baseia o contrato futuro de S&P, é composto por ações de empresas estrangeiras de grande evidência no cenário internacional.

Além disso, o fato de o investidor se expor ao mercado internacional em si, já é uma grande vantagem. Afinal, além de aproveitar as oscilações de um mercado que movimenta papéis de empresas com grande notoriedade mundial, como mencionamos, você ainda reduziria, principalmente, riscos que envolvem o cenário econômico interno, dos quais ativos emitidos aqui estão expostos.

Esse risco envolve, por exemplo, a redução do consumo geral, uma crise política, a queda no PIB, uma recessão, entre outros fatores. Então, se uma crise atinge a economia, significa que todas as empresas, independentemente do setor, serão afetadas. Logo, todos os tipos de investimentos locais também serão impactados.

Assim, em uma crise do tipo, pouco ajudaria a diversificação somente dentro de um país, apesar de ainda assim, esta ser muito importante. Porém, ao diversificar sua carteira, investindo em um produto que é influenciado pela economia de outro país, o risco sobre seu patrimônio é automaticamente reduzido.

AJUSTE FINANCEIRO EM REAIS
Apesar de ser um ativo originário do mercado americano, a B3 executa o ajuste em reais na sua conta na corretora ou no banco de investimentos. Isso é feito avaliando as variações cambiais do dia em que a transação foi executada.

 

Como investir em futuros de S&P?

Investir em futuros de S&P 500 é muito simples. Primeiro, você deve abrir a sua conta em uma corretora ou um banco digital de investimentos. No modalmais, por exemplo, isso pode ser feito gratuitamente e em um único dia.

O segundo passo é, após disponibilizar os recursos necessários para essa operação, solicitar que sejam alocadas as garantias sobre a quantidade de contratos que você deseja posicionar-se, inserir o código do ativo de acordo com o vencimento no Home Broker ou em outra plataforma de negociações e, então, realizar as operações. Essa é apenas a fase operacional do processo e, como você pôde perceber, é muito simples de ser executada.

Todavia, muito antes disso, é necessário avaliar alguns outros fatores para aumentar as suas chances de ter sucesso nesse mercado. Inicialmente, avalie se o seu perfil de investidor está adequado a esse tipo de investimento.

O mercado futuro, como um todo, pode ter certo nível de risco que não é facilmente aceitável por pessoas que têm um perfil mais conservador e, até mesmo, moderado. Então, caso o seu perfil se encaixe em um desses dois, vale a pena optar por títulos de renda fixa ou alguns fundos de investimento com perfil de risco equivalente.

Outro ponto que merece destaque são os seus objetivos financeiros. Eles precisam estar devidamente alinhados ao seu perfil de investidor.

Por fim, não há como imaginar ingressar em operações com contratos futuros de S&P 500 sem um bom conhecimento do seu funcionamento, bem como dos fatores que movimentam os preços das ações que o compõem.

Ingressar nesse mercado sem analisar o seu perfil, seus objetivos e com pouco ou nenhum conhecimento, se torna um risco desnecessário, que só aumenta os riscos envolvidos naturalmente na operação. Por outro lado, se você seguir todos esses passos, aprender como manter o controle emocional durante suas operações e mergulhar nos estudos sobre esse assunto, certamente será surpreendido com o potencial de rentabilidade que esse mercado possui.

Como você viu aqui, os futuros S&P 500 são ativos extremamente interessantes e que podem proporcionar inúmeras vantagens, entre elas uma boa rentabilidade, sendo, principalmente, uma forma de diversificar seus investimentos.

Lembre-se de que é muito importante contar com o apoio de um bom banco de investimentos, que ofereça uma plataforma estável e robusta. Portanto, abra a sua conta no modalmais e veja como podemos ajudar com esse tipo de investimento e muitos outros que temos à sua disposição.

 

Nova call to action