Essa é uma técnica bastante diferenciada e que não utiliza um gráfico para embasar as decisões do investidor, apesar de algumas pessoas optarem por unir as duas análises para dar ainda mais precisão às entradas nas operações.

Neste artigo, mostraremos tudo o que você precisa saber sobre o tape reading. Acompanhe esta leitura e descubra essa técnica utilizada pelos grandes investidores do mercado financeiro.

 

O que é o tape reading?

Para entender o que é o tape reading, é necessário voltar no tempo, à época em que existia o pregão viva voz. Os operadores analisavam as ordens apregoadas pelos outros que estavam no ambiente e ficavam sabendo das operações dos principais players do mercado, no ativo em que estavam inseridos.

O pregão viva voz acabou, definitivamente, em 2009. A partir de então, a gritaria da Bolsa foi substituída pelo silêncio das plataformas operacionais. Entretanto, esses profissionais que atuavam no caos da Bolsa de Valores encontraram uma forma de continuar analisando essas ordens apregoadas ou agredidas no mercado, e deu-se início à famosa técnica que foi chamada de tape reading.

O termo em inglês significa “leitura de fita”, mas basicamente, refere-se à leitura de fluxo. Nessa técnica, os operadores analisam os principais movimentos dos players por meio de uma série de ferramentas disponíveis nas plataformas operacionais e embasam suas decisões nessas grandes movimentações.

Esse tipo de leitura de mercado é limitado em alguns países. Em mercados como o dos Estados Unidos, por exemplo, onde os investidores operam com a chamada ‘tela cega’ (em que não é possível saber a origem, ou seja, por qual corretora a ordem foi enviada), algumas ferramentas ficam inviabilizadas, tornando o uso do tape reading mais limitado.

Como ele funciona o tape reading?

Agora, mostraremos como o tape reading funciona. Para utilizar a técnica, você precisará analisar algumas ferramentas em conjunto dentro de sua plataforma. O ideal é montar uma tela operacional com todas essas janelas. Explicaremos, detalhadamente, sobre as principais. Continue lendo!

Book de ofertas

O book de ofertas é um local que demonstra as intenções de compra dos investidores. Ele é composto de dois lados: o esquerdo para as compras e o direito para as ofertas de venda. Além disso, nele também deve conter a quantidade comprada ou vendida, bem como a faixa de preços.

Com essa ferramenta, é possível enxergar grandes movimentos de investidores que pretendem posicionar-se no mercado. Sobre esse ponto, é importante ter em mente que lotes muito pequenos, especialmente em alguns ativos como o dólar futuro, podem ser oriundos de movimentos de robôs de algumas instituições. Logo, não podem ser levados muito em consideração na hora da análise. O book de ofertas não compreende as ordens de “agressão”, que discorreremos melhor no próximo tópico.

 

Times and trades

O times and trades, termo em inglês que significa tempos e negócios, é uma ferramenta que demonstra as agressões de mercado, ou seja, quando um player envia uma ordem de compra ou venda no preço em que o ativo está sendo negociado, ou seja, a mercado.

Quando um investidor “agride” o mercado, significa que ele não apregoou a sua ordem e sim fez a sua operação no preço atual. Logo, dependendo do tamanho do seu lote, ele pode entrar na operação em faixas de preços diferentes.

Por exemplo, suponhamos que o player envie uma ordem de compra de 10.000 ações, a mercado, e o ativo esteja sendo cotado a R$15.Porém, nessa faixa de preço, só existem 7.000 ações sendo ofertadas. Isso significa que essas 7000 serão executadas a R$15 e as ações restantes serão executadas nas faixas de preços seguintes que estiverem sendo ofertadas.

 

Volume at price

O volume at price, ou volume por preço, como o próprio nome sugere, é uma ferramenta que demonstra a quantidade do ativo que foi negociado em determinado volume de preços. É utilizado pelos operadores de fluxo para determinar suportes ou resistências do mercado.

O que salta aos olhos do investidor na hora de analisar o volume at price são as barras. Elas são divididas em duas cores: uma para determinar a compra e outra, a venda. Além disso, também existe o preço que está sendo negociado e as quantidades em cada nível.

Com essa ferramenta, é possível verificar critérios de entrada muito importantes, tais como a absorção, ou seja, quando existem muitas ordens de compra, e outros operadores absorvem todos os lotes ao venderem quantidades expressivas que impeçam, naquele momento, que o mercado vá para outro patamar de preço. Essa é apenas uma das muitas técnicas que existem no tape reading e que são extremamente eficientes.

O volume at price pode ser apresentado em diversos tempos, dependendo da análise e dos objetivos do operador durante o pregão. Outras ferramentas também possibilitam esse tipo de configuração temporal. Veja!

 

Super DOM

O super DOM pode ser definido como a ferramenta em que são apregoadas ou executadas as suas ordens. DOM é a sigla utilizada para designar o termo depth of market ou, traduzindo para o português, profundidade de mercado.

É composto por colunas de compra e venda que, em cada faixa de preço, contêm a quantidade de ordens que está apregoada no book de ofertas, que já discorreremos em outro tópico deste artigo. Nessa ferramenta, é possível apregoar as suas ordens, bem como agredir o mercado, apertando apenas um botão.

Ranking dos players

O ranking dos players, ou ranking das corretoras, não é uma plataforma específica. Para conseguir esse demonstrativo, é necessário abrir uma janela de times and trades e filtrar para demonstrar apenas as corretoras ou instituições do mercado.

Com essa ferramenta, é possível verificar quais são aqueles players que estão bem ou mal posicionados. Aliando essa análise às outras ferramentas, é possível realizar operações contra ou a favor de determinadas instituições, aproveitando a sua força em levar o mercado para cima ou para baixo ou, ainda, deixar ela mal posicionada em conjunto com outros grandes players.

 

Quais são as vantagens e desvantagens?

A leitura de fluxo tem muitas vantagens, entretanto também existem alguns pontos que não são tão positivos e podem ser classificados como desvantagens. Neste tópico, mostraremos os dois lados da moeda. Confira!

 

Vantagens

Uma das principais vantagens do tape reading é a possibilidade de acompanhar os movimentos dos principais players do mercado financeiro. Assim, é possível repetir um grande movimento impulsionado por uma grande instituição que opera volumes altíssimos de ativos.

Isso significa que você pode avaliar os movimentos de mercado em tempo real, antecipando movimentos antes que eles aconteçam, otimizando a tomada de decisões. Por falar nisso, decidir sobre uma entrada no mercado com base nesse tipo de técnica é consideravelmente mais eficiente.

Com essa técnica, também é possível encontrar “stops” mais curtos que em outras técnicas. O stop, basicamente, é a ordem de saída de uma operação, que pode ser lucrativa — quando é posicionada em um preço melhor que o de entrada — ou gerar prejuízo, quando você toma uma decisão, e o preço vai contra a sua análise. O objetivo principal do stop é proteger o investidor, limitando possíveis perdas ou definir possíveis ganhos.  

Logo, as taxas de acerto dessas operações tendem a ser maiores, entretanto isso não significa que ela é melhor ou pior que outras, tampouco livre de erros que possam fazer o investidor perder dinheiro. Trataremos um pouco mais sobre isso em outro tópico deste artigo.

 

Desvantagens

Apesar de proporcionar vantagens consideráveis, o tape reading também tem algumas desvantagens. A primeira delas é o tempo de tela. Iniciar nesse tipo de análise depende de horas e mais horas de estudos para entender o que todas aquelas janelas indicam.

Ter um computador potente e uma boa internet é fundamental para operar no mercado financeiro, todavia, na leitura de fluxo, isso é ainda mais importante. A plataforma operacional exigirá muito da sua máquina, afinal, é preciso ter várias janelas abertas para poder fazer as análises de forma eficiente.

Outra desvantagem é que você precisará de uma plataforma operacional que ofereça todas essas informações. A maioria das pessoas que investe na Bolsa de Valores consegue fazer isso pelo home broker fornecido pela corretora. Entretanto, se você quiser fazer operações específicas que dependem de análises mais apuradas — como day trade —, precisará investir nessas ferramentas.

Por fim, também existe o risco de, algum dia, a B3 adotar a política da tela cega, ou seja, não será mais possível ver as movimentações dos players no mercado. Mas isso é apenas uma especulação e, até o momento, não se tem nada de concreto afirmando que, algum dia, a análise de fluxo não será mais permitida na Bolsa de Valores e que os investidores deverão analisar apenas os gráficos dos ativos.

Quais são as principais plataformas operacionais?

Atualmente existem diversas plataformas operacionais, contudo nem todas são capazes de fornecer as ferramentas que o investidor precisará para ter ainda mais chances de acerto em suas operações. Sendo assim, é preciso saber escolher a plataforma correta.

Essa ferramenta é fornecida pela corretora, e podem existir preços e condições diferentes de uma para a outra. As principais são o ProfitChart, existente nas versões RT e Pro, da Nelogica. Também podemos destacar a plataforma Tryd Pro, que também oferece todo o suporte necessário para que o investidor possa analisar o mercado.

Independentemente da plataforma escolhida, você precisa ter em mente que é necessário estudar bastante sobre o mercado e suas principais nuances antes de fazer qualquer tipo de operação. Apesar de o tape reading ter taxas de acerto maiores, ele não é uma ciência exata que garantirá lucro em todas as operações.

Análise técnica ou tape reading: qual utilizar?

Uma dúvida muito comum entre os investidores é sobre as diferenças entre a análise técnica, que utiliza gráficos para fazer a leitura de mercado, e o tape reading, que estamos estudando neste artigo.

Inclusive, existe certa disputa entre os investidores que utilizam ambas as técnicas, porém não há como definir se uma é melhor ou pior que a outra. Existem pessoas que se adaptam melhor ao gráfico, enquanto, por outro lado, há os que enxergam no fluxo uma forma mais segura de operar. Para saber qual é a melhor para você utilizar, mostraremos mais detalhes sobre a análise técnica.

Análise técnica e seus fundamentos

A análise técnica é uma metodologia de análise de mercado que utiliza gráficos, geralmente formados por candles. Apesar de também receber o nome de análise gráfica, esse elemento não é o único a ser analisado.

 

Leia também: Guia da analise técnica 2020: aprenda como utilizar

 

Também é possível utilizar centenas de indicadores para potencializar a análise de uma entrada. Sendo assim, essa técnica de leitura de mercado também exige muito tempo de estudo para conseguir identificar as melhores oportunidades de entrada.

Muitos operadores também utilizam as figuras gráficas para tomar decisões. Cada movimento gera candles positivos e negativos que, em conjunto, podem criar alguns “desenhos” que passam algum tipo de mensagem para o operador.

Na prática, a diferença desse tipo de análise para o tape reading está no fato de a segunda técnica, visar antecipar movimentos, enquanto a análise gráfica se embasa mais em eventos passados.

Outra diferença entre as duas técnicas, é que a análise gráfica tende a ser mais simples de se aprender e existem mais conteúdos sobre o assunto, bem como salas operacionais que utilizam os gráficos para orientar investidores iniciantes.

Com base nisso, você já tem informações precisas sobre cada uma das análises. Logo, cabe somente a você escolher aquela que melhor se adapta ao seu perfil e com a qual mais se identifica para operar no mercado.

 

Conclusão

Por fim, podemos concluir com este artigo que o tape reading pode ser muito interessante para que você possa operar no mercado financeiro, porém é necessário estudar bastante e conhecer todas as ferramentas para analisar o mercado, além da própria plataforma operacional.

Portanto, para você começar, abra a sua conta no modalmais agora mesmo e conheça as plataformas que oferecemos. Com a Tryd Pro, por exemplo, você pode começar a operar com alta performance e sem pagar por ela no plano grátis!

 

Leia também:

Candlestick: o que todo trader precisa conhecer

Buy and hold: o que é, vantagens e por que usar

Stop Loss: pare de perder dinheiro em suas operações!

Day Trade: O Guia Para Iniciantes