O futuro de boi gordo é um ativo financeiro negociado por meio da Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&FBovespa) da B3, e é utilizado como um meio de gestão de risco sobre as oscilações de preços dessa commodity, que é uma das principais do Brasil – país considerado um dos maiores exportadores de carne bovina do mundo.

Muitas pessoas, entretanto, não sabem como esse mercado funciona. Algumas não conseguem entender como adquirir um contrato de negociação de um animal de corte. Afinal, seria necessário receber o animal em sua casa? Se não, qual é a finalidade de sua negociação?

Neste artigo, mostraremos tudo isso com mais detalhes, além de apresentar a forma de investir nesse ativo.

Acompanhe!

 

O que é um contrato futuro boi gordo?

Explicando de forma bem resumida os contratos futuros de boi gordo, basicamente, são acordos de compra e venda de arrobas desse animal, em uma data futura, por um preço preestabelecido no momento da negociação.

Quem negocia esse ativo, no geral, tem o intuito de evitar as oscilações dos preços, determinando-o no momento da negociação, por meio do mercado futuro. É importante que fique claro que, o comprador não precisa adquirir os animais, assim como vendedor não precisar entregar.

O que é negociado são os preços da arroba de uma data futura. Os contratos de boi futuro vencem em todos os meses do ano e são muito alavancados. Discorreremos mais sobre esse assunto em outro tópico deste artigo. Continue lendo!

 

Como funciona o futuro de boi gordo?

A base de raciocínio que envolve a negociação dos contratos futuros de boi gordo é a definição do preço da arroba líquida do animal em data futura. O contrato faz referência à carcaça do animal bovino macho, castrado e bem-acabado (carcaça convexa), criado em pasto ou em confinamento, com 16 arrobas líquidas – ou mais – de carcaça e no máximo 42 meses de idade.

Cada contrato equivale à negociação de 330 arrobas líquidas – sendo que cada arroba líquida equivale a 15 quilos – oriundas do animal que tem essas características. Ou seja, cada contrato negocia o equivalente a 4.950 quilos desse ativo-objeto.

E, aproveitando para esclarecer uma das primeiras dúvidas levantadas no início desse artigo, a liquidação desse contrato é exclusivamente financeira. Logo, como você já sabe, não existe a entrega física da mercadoria, tampouco a necessidade de transportar, distribuir ou entregar o ativo-objeto – o boi – negociado como ativo financeiro por meio do mercado futuro.

Os preços do futuro de boi gordo variam de acordo com as oscilações do mercado físico e também de acordo com a proximidade do vencimento do contrato, que ocorre mensalmente. O principal índice de referência do preço disponível por arroba dessa commodity, é o indicador agropecuário Boi Gordo Esalq BM&FBovespa.

 

Quais são as suas vantagens?

Entendido o conceito e o funcionamento desse mercado, mostraremos, agora, as principais vantagens que ele pode proporcionar. Acompanhe!

 

Tende a seguir longas tendências

Uma das vantagens desse mercado é o fato de ele ter o costume de seguir longas tendências. Isso significa que a sua volatilidade costuma ser pequena, e, quando os preços começam a cair ou subir, esse movimento tende a perdurar por diversos pregões.

Contudo, vale a pena ressaltar que isso não garante que o mercado seguirá uma linha direcional por muito tempo. O fato de a volatilidade ser menor que outros ativos não significa que não haverá correções ao longo do tempo.

Além disso, apesar de costumar oscilar de forma descorrelacionada ao mercado financeiro, como todo ativo do mercado de renda variável, o contrato futuro de boi gordo pode sofrer oscilações causadas por fatores inerentes à economia como um todo e, principalmente, frente a problemas do próprio segmento, como pragas ou doenças que atinjam o gado.

 

Tem mais alavancagem

O mercado de futuro boi gordo é considerado o que mais proporciona alavancagem para o investidor. Isso significa que é possível movimentar grandes volumes financeiros sem ter todo o financeiro depositado em conta.

Para negociar esse contrato é necessário depositar na instituição por meio da qual você opera, um valor que servirá como margem de garantia da operação, requisitada pela B3. Esse valor costuma ser de aproximadamente 8% o valor total do contrato negociado, e você pode utilizar saldo em conta corrente, títulos inteiros do Tesouro Direto, ou até mesmo ações como garantia.

 

Respeita pontos gráficos

Como esse mercado possui tendências muito claras, é comum que ele respeite pontos gráficos de preços praticados em pregões anteriores. Isso significa que conceitos como suportes (regiões em que o preço não consegue cair) e resistência (níveis de preços que não são superados) são muito bem delimitados.

Além disso, essa característica também facilita muito a utilização de alguns indicadores da análise gráfica.

 

Oferece proteção para o investidor

Como objetivo principal das negociações, os contratos futuros de Boi Gordo servem como objeto de hedge, ou seja, proteção contra as oscilações indesejadas nos preços da commodity numa data futura.

Em geral, esses contratos são negociados por produtores e pessoas jurídicas ligadas ao setor agropecuário, porém, devido à sua alta alavancagem, baixa volatilidade e volume de negociações, esse contrato também é utilizado por aqueles que buscam uma maior diversificação de carteira, e principalmente, por especuladores do mercado que buscam obter retornos a partir da diferença entre os preços da arroba.

 

Características técnicas

Antes de demonstrar como negociar contratos futuros de boi gordo, é necessário entender suas especificações e características técnicas. Continue lendo!

 

Objeto de negociação

O objeto de negociação, como você já sabe, é o boi gordo macho, nas especificações que mencionamos anteriormente.

 

Código do ativo e meses de vencimento

O código do ativo futuro de boi gordo na Bolsa de Valores é o BGI, mas existem outros elementos que compõem a sua identificação.

Logo depois dessa sigla, é necessário inserir a letra que representa o mês de vencimento do contrato a ser negociado. O BGI tem vencimento todos os meses, sempre na última sessão de negociação do mês. Assim, cada mês de vencimento tem as respectivas siglas:

  •  Janeiro: F;
  •  Fevereiro: G;
  •  Março: H;
  •  Abril: J;
  •  Maio: K;
  •  Junho: M;
  •  Julho: N;
  •  Agosto: Q;
  •  Setembro: U;
  •  Outubro: V;
  •  Novembro: X;
  •  Dezembro: Z.

Além disso, também é necessário inserir o ano em que a negociação está ocorrendo. Por exemplo, o contrato futuro de boi gordo com vencimento em setembro de 2020 deverá ser negociado com o código BGIU20.

 

Variação mínima de apregoação

O tamanho do contrato é de 330 arrobas líquidas. No entanto, apesar de a cotação dá-se em reais por arroba líquida e o valor por cada ponto ser de R$ 330, a variação mínima de apregoação (tick size) do contrato é de R$ 0,05.

 

Lote padrão

O lote padrão é a quantidade múltipla negociável de determinado contrato. Em alguns casos, como no dólar futuro, essa quantidade é de cinco contratos por lote, ou seus múltiplos: dez, 15, 20 e assim por diante. No caso do futuro de boi gordo, é possível negociar a partir de um único contrato.

 

Custos e taxas

Operar contratos futuros de boi gordo, assim como qualquer outro do mercado futuro, requer o pagamento de algumas taxas. A primeira delas é a de corretagem, cujo valor depende muito da corretora ou do banco de investimentos com que você mantém relacionamento.

Além disso, também são cobradas as taxas operacionais da B3, como as taxas de registro e de emolumentos.

 

Imposto de renda (IR) sobre operações

Sobre o lucro líquido, ou seja, após auferidos os custos de corretagem e taxas operacionais da B3, há a incidência de imposto de renda com alíquota de 20% para operações day trade. No caso de operações normais, a alíquota é de 15%.

Nesse último caso, o imposto de renda é apurado sobre o resultado positivo da soma dos ajustes diários a partir do primeiro dia útil após a abertura do contrato, até o encerramento da posição ou cessão da operação. Logo, a apuração do imposto não é realizada mensalmente, e sim ao longo da vigência do contrato.

Como no caso de qualquer operação no mercado futuro, o recolhimento do imposto é de responsabilidade do investidor e deve ser realizado até o último dia útil do mês seguinte às operações.

 

Como investir em futuro de boi gordo?

Agora que você entendeu todas as especificações técnicas sobre o futuro de boi gordo, explicaremos como investir nesse mercado. Inicialmente, é importante ter em mente que a parte operacional desse processo é muito simples.

Afinal, basta entrar em contato com seu banco de investimentos, solicitar que sejam alocadas as garantias necessárias sobre a quantidade de contratos que você deseja posicionar-se, inserir o código do ativo em sua plataforma de negociações ou no Home Broker e, então, enviar sua ordem.

Portanto, se o seu banco de investimentos proporcionar uma boa estrutura para suas operações, essa tarefa será muito simples de ser executada.

O que precisa ser mais bem detalhado é justamente a etapa que vem antes de tomar a decisão de compra e venda, ou seja, o estudo e a análise de mercado. Você precisa, inicialmente, entender o seu perfil de investidor para verificar se ele está adequado com esse tipo de operação.

O próximo passo é analisar os seus objetivos financeiros de curto, médio e longo prazo. Toda decisão de investimentos deve ser pautada nesses dois elementos. Feita essa primeira análise, você deve estudar sobre o mercado futuro de boi gordo e avaliar boas oportunidades de entradas em operações que podem ser rentáveis.

Por fim, para ter sucesso nesse mercado, é fundamental contar com um banco digital de investimentos que ofereça, além de uma plataforma de investimentos completa e estável, todas as ferramentas que giram em torno de educação financeira, plataformas de negociação e acesso a profissionais especializados no mercado financeiro.

Para obter essas e outras vantagens, abra a sua conta no modalmais e veja como podemos ajudar você nessa jornada no universo dos investimentos.

Nova call to action