Investidores aguardam a divulgação do payroll americano de junho para definir a tendência de curto prazo dos mercados de risco. Felizmente isso acontece logo no início da manhã, mas teremos outros indicadores com capacidade de afetarem os mercados, como a produção industrial brasileira em maio e as encomendas à indústria e de bens duráveis, nos EUA.

Ontem, a Bovespa andou na contramão dos mercados da Europa e dos EUA por conta do clima político ruim, ruídos da reforma tributária e fechou com queda de 0,90% e índice em 125.666 pontos, depois de ter chegado a vazar para baixo o patamar de 125.000 pontos. O dólar fechou com alta de 1,45% e cotado a R$ 5,04, e juros também com altas para diferentes prazos. Dow Jones e Nasdaq operaram com valorizações.

Hoje, os mercados da Ásia fecharam a semana com boas quedas, exceto a bolsa de Tóquio com alta de 0,27%. Europa começando o dia e definindo leve alta e mercados americanos ainda com comportamento misto. Aqui, depois de três sessões seguidas de queda há espaço para recuperação, mas vai depender dos indicadores divulgados ao longo do dia.

Ontem, na China, o presidente Xi Jinping fez forte discurso contra a interferência externa no país, nas comemorações do partido comunista. Na zona do euro, a inflação medida pelo PPI de maio cresceu 1,3%, e na comparação anual com expansão de 9,6%. Líderes globais comemoraram o anúncio da OCDE de uma alíquota mínima global de imposto corporativo, envolvendo 130 países e representando cerca de 90% do PIB mundial.

Nos EUA, o escritório orçamentário do Congresso projetou déficit maior que US$ 3 trilhões para o ano de 2021 e o FMI estimou que o FED só elevará juros no final de 2022. No mercado internacional o petróleo WTI, negociado em NY, mostrava queda de 0,21%. Com o barril cotado a US$ 75,07. O euro era transacionado em queda para US$ 1,182 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,443. O ouro e a prata com altas na Comex e commodities agrícolas com viés de alta na Bolsa de Chicago.

No cenário doméstico, o presidente da Câmara, Arthur Lira, diz ser possível aprovar o projeto de lei da reforma tributária antes do recesso do Congresso. Bolsonaro em live de toda quinta-feira disse que a CPI do covid-19 é uma idiotice que será resolvida nas eleições de 202, ironizou o superpedido de impeachment protocolado na Câmara, que Rodrigo Pacheco disse que não deveria ser banalizado. Bolsonaro voltou a falar de voto impresso para as próximas eleições e que se isso não acontecer haverá convulsão.

Paulo Guedes voltou a afirmar que não haverá aumento de carga de impostos, mesmo com todas as críticas recebidas e está disposto ajustar alíquotas, caso a arrecadação aumente por conta disso. Na agenda do dia teremos indicadores de conjuntura que podem mexer com os mercados ao longo do dia, principalmente o payroll que será anunciado às 9:30 horas.

Expectativa de Bovespa podendo reagir, dólar ainda forte e juros também.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais

 

Fonte: https://www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado