Mercado a termo é uma operação de compra e venda de um derivativo, com prazo de vencimento em data futura. Vendedor e comprador, nesse caso, assumem o compromisso de efetuar a transação no vencimento, especificamente.

 

Se uma ação está sendo negociada no mercado à vista a um determinado valor, no mercado a termo o comprador irá pagar o valor atual acrescido de uma taxa de juros.

Ainda que o comprador se arrependa da compra do ativo (ao vê-lo desvalorizar, por exemplo), no prazo final deverá ser efetuado o pagamento do preço acordado. Dessa forma, as duas partes ficam vinculadas entre si até a efetivação do contrato.

 

Leia também: O que são derivativos: entenda com uma explicação mais simples

 

O mercado a termo oferece vantagens ao investidor, especialmente relacionadas à alavancagem e à possibilidade de investir sem desembolsar todo o dinheiro de imediato.

Para saber tudo sobre esse tipo de operação, continue sua leitura. Neste artigo, vamos esclarecer:

 

  • O que é mercado a termo ou operação a termo?
  • Como funciona o mercado a termo?
  • Vantagens de se operar no mercado a termo
  • Diferenças entre mercado futuro e mercado a termo
  • Qual melhor termo a se fazer?
  • Exemplos de negociações de ações no mercado a termo

 

Boa leitura!

O que é mercado a termo ou operação a termo?

Mercado a termo é uma operação de compra e venda de derivativo com vencimento em data futura.

 

Mercado a termo, ou operação a termo, é uma negociação em que duas partes – comprador e vendedor – assume um compromisso a longo prazo.

 

Assim, determina-se que hoje um número X de ações (por exemplo) serão compradas, e que o pagamento se dará em uma data futura. Como o pagamento não será à vista, o vendedor cobrará juros sobre o preço da ação.

A taxa de juros é combinada entre as partes, mas, normalmente, fica próximo à taxa Selic. O prazo também é acordado no contrato, podendo ser de, no mínimo 16 e, no máximo, 999 dias.

A negociação gera, então, uma relação contratual, devendo ser efetuadas as obrigações das partes conforme cláusulas acordadas.

Como funciona o mercado a termo?

Imagine que você decide comprar uma televisão para sua casa. Na loja, o equipamento custa R$ 2.499 à vista ou R$ 2.699 à prazo.

Você decide, então, comprar à prazo, pagando uma entrada de 20% do equipamento e deixando um cheque para quitação em 60 dias.

Ao sair da loja, a televisão já está com você. Independentemente do que acontecer a partir de agora, você firmou o compromisso de pagar o produto em 60 dias. Ou seja: se, depois de um mês, você decidir vender a televisão, você ainda deverá pagar à loja o que faltou do valor.

Se a televisão estraga, idem.

Da mesma forma funciona o mercado a termo. Você negocia derivativos, na bolsa de valores, para compra à prazo: você compra hoje para pagar em data futura, conforme acordado com o vendedor.

Vamos esclarecer, em seguida, algumas peculiaridades desse modelo de operação.

Como funcionam os preços no mercado a termo?

Assim como aconteceu com a televisão, que você pagou um valor maior do que o valor à vista, ou seja, a loja aplicou uma taxa de juros, no mercado a termo os preços também sofrem alteração.

O percentual de juros que será cobrado pela negociação a termo varia, pois é um acordo entre as partes. No entanto, normalmente, fica próxima à taxa Selic, a taxa básica de juros do Brasil.

Dessa forma, se no mercado à vista uma ação está custando R$ 20, no mercado a termo a ação irá custar os R$ 20, além dos juros apurados no período entre a compra e a data de vencimento do contrato.

A negociação no Termo Bovespa

Assim como o mercado à vista ou o mercado futuro, as operações a termo devem ser realizadas através de uma corretora. A B3, antiga Bovespa, apresenta todas as operações a termo disponíveis no pregão.

Para investir no mercado a termo, você precisa ter conta em uma corretora e acesso ao home broker.

Conheça o modalmais e abra sua conta gratuita!

Garantia na operação a termo

No mercado a termo, você compra ações hoje para pagamento em data futura. Mas, se você vendedor, iria querer alguma garantia, certo?

Nessas operações, o comprador deve depositar, no ato da compra, uma margem de garantia, um percentual sobre o valor total. Lembra da entrada do nosso exemplo do televisor? Funciona mais ou menos da mesma forma.

Esse tipo de operação se chama alavancagem: você precisa ter em conta um valor menor do que o valor negociado, como garantia, e pode transacionar mais do que o seu capital.

Não podemos deixar de lembrar que operar com alavancagem, apesar de muito vantajoso é, também, bastante arriscado: você estará assumindo um compromisso de pagamento de um valor superior ao seu capital.

Ou seja: está comprando uma dívida que, em caso de prejuízo com o investimento, deverá ser igualmente quitada.

Por isso, é preciso ter bastante cuidado com este tipo de operação. O mercado de renda variável oferece riscos que não podem ser totalmente previstos.

Conhecer conceitos fundamentais de economia e mercado, além de entender como os eventos nacionais e internacionais influenciam no movimento da bolsa de valores, podem auxiliá-lo a interpretar melhor os indicadores, tomando as melhores decisões.

Vantagens de se operar no mercado a termo

O mercado a termo permite investimentos superiores ao capital disponível, ampliando as possibilidades de rendimento.

 

Agora que você já entendeu o que é mercado a termo, vamos esclarecer as principais vantagens de operar nessa modalidade.

Importante reforçar que o mercado a termo exige algum conhecimento analítico, como a análise técnica, de forma que você possa tomar decisões mais assertivas e reduzir o seu risco.

Permite negociar ativos sem desembolsar dinheiro a curto prazo

O investidor pode comprar derivativos mesmo sem possuir o valor necessário a curto prazo. Dessa forma, pode aproveitar alguma oportunidade que considere imperdível.

Para isso, basta que o investidor dê algo em garantia, seja depositando o valor, seja colocando outros investimentos no negócio. Por exemplo: se você deseja comprar a termo ações da Petrobrás, você pode colocar ações de outra empresa como garantia.

Assim, não precisa nem vender as ações que já possui, nem desembolsar mais dinheiro para comprar novas ações.

Possibilidade de operar alavancado

A alavancagem é uma estratégia que potencializa sua rentabilidade – mas também aumenta, na mesma proporção, os seus riscos.

Alavancar uma operação é transacionar valores muito superiores ao que você dispõe, investindo apenas o valor da margem de garantia.

Investir em renda fixa

O mercado a termo negocia ativos de renda variável, como ações, por exemplo. Mas também é possível operar nessa modalidade visando um rendimento próximo ou igual aos de renda fixa, sem riscos.

Para isso, ao invés de comprar ativos a termo, você deverá vendê-los. O risco é eliminado pois, como vimos, você estará ganhando juros sobre o preço à vista.

Ou seja: independentemente das oscilações de mercado, se você comprar ações e, em seguida, vendê-las a termo, estará rentabilizando o investimento através da taxa de juros aplicada, exatamente como acontece em operações de renda fixa como o Tesouro Direto.

Inclusive a tributação aplicada sobre este tipo de operação segue as regras da renda fixa.

Diferenças entre mercado futuro e mercado a termo

Tanto o mercado futuro quanto o mercado a termo trabalham com vencimento em data futura. A diferença principal entre eles, porém, são os ajustes diários.

No mercado futuro, você negocia um ativo hoje com vencimento futuro. Todos os dias, o valor do ativo é ajustado, conforme as oscilações das expectativas do mercado. Na data de vencimento, você liquidará o contrato de acordo com o preço do dia.

Já no mercado a termo, esses ajustes não acontecem. Você compra hoje um ativo, a um preço prefixado, e, na data do vencimento, pagará o preço acordado, independentemente do valor atualizado.

Outra diferença importante é sobre a liquidação do contrato. No mercado futuro, ela poderá acontecer a qualquer momento, ganhando com as oscilações de mercado, permitindo, inclusive, operações de day trade.

Porém, no mercado a termo, você assume o compromisso até a data de vencimento acordado. Dessa forma, deverá pagar o valor combinado no prazo.

Ainda que venda a ação de forma antecipada, o pagamento acontecerá conforme acordado, na liquidação (nesse caso, no ato da venda), mas sem abatimento de juros.

Assim, ambas as partes assumem suas posições de forma fixa, durante o tempo contratado na negociação a termo.

 

Leia também: Minicontratos: o que são e como começar a operar.

Qual melhor termo a se fazer?

Uma operação a termo pode ser tradicional ou flexível, dependendo dos seus objetivos.

 

O mercado a termo tem esse nome porque, assim como qualquer operação contratual, oferece um detalhamento profundo em todos os termos da negociação, como preço, prazo e outros.

No entanto, existem diferentes tipos de contratos e termos. O mais comum é o termo tradicional, cujo funcionamento já foi descrito anteriormente. Mas existe, também, o termo flexível, com ligeiras diferenças no formato de operação.

Vamos detalhar mais sobre isso a seguir.

Diferenças entre o termo tradicional x termo flexível

A principal diferença entre o termo tradicional e o termo flexível é a possibilidade de troca de objeto.

No termo tradicional, existem três formas de liquidação do contrato:

 

  • Venda do ativo: em caso de antecipação da venda do ativo, o contrato se dará por liquidado. Assim, o comprador deverá pagar o preço acordado, na data em que revender o ativo negociado. Apesar da antecipação, não existe abatimento no juros;
  • Antecipação: você pode, a qualquer momento, antecipar a liquidação do seu contrato, desvinculando-se do vendedor do ativo. Novamente, não há abatimento no juros, devendo ser pago o valor exato do contrato;
  • Decurso de prazo: nesse caso, você liquida o contrato após encerramento do prazo negociado.

 

Já no termo flexível, por permitir a troca do objeto, você pode manter o contrato ativo no caso de vender o ativo, desde que compre outro ativo com o dinheiro dessa operação. Assim, o contrato se mantém igual, mudando apenas o objeto.

Outras diferenças importantes são o prazo e os juros. Como no termo flexível o vendedor não tem previsão de antecipação do recebimento (como pode acontecer no termo tradicional), as negociações costumam ter taxas mais altas, e limite de prazo de 90 dias.

Quando é vantajoso operar no termo tradicional?

Se você não pretende trocar o objeto de contrato, ou seja, o ativo negociado, vale a pena operar no termo tradicional, já que você pagará juros menores.

Também é melhor operar no termo tradicional caso você precise negociar um prazo superior a 90 dias. Como vimos, no termo tradicional você pode ter até 999 dias corridos de prazo, enquanto que, no flexível, o máximo é 90 dias.

Quando é vantajoso operar no termo flexível?

O termo flexível é recomendado para quem deseja alavancar seus ativos, aumentando seu portfólio de investimentos. Isso porque, no termo flexível, você pode ficar trocando de ativo, objeto do contrato, sem que isso liquide o seu contrato.

Pelo mesmo motivo, o termo flexível é recomendado para quem deseja ter liberdade de mudar de estratégia no decorrer do contrato.

Com a oportunidade de ter um contrato a termo mais dinâmico, você pode aproveitar melhor as oscilações de mercado.

Quem ganha mais com o mercado a termo: comprador ou vendedor?

Não existe resposta certa para essa pergunta. A verdade é que depende do objeto do contrato e das oscilações de preço deste ativo.

A lógica é a mesma para qualquer operação da bolsa de valores: dependendo da sua posição, você ganha com a movimentação do preço daquele ativo.

Se você comprar uma ação a termo e ela valorizar, você ganha. Afinal, poderá revendê-la por um preço superior ao comprado. No entanto, se o contrário acontecer, ganha o vendedor, que terá negociado o ativo a um preço maior do que o aplicado no mercado à vista.

 

Conclusão

Mercado a termo é uma operação de risco, adequada para perfis moderados e arrojados.

 

Como você viu, o mercado a termo é um modelo de negociação que gera um contrato entre as partes. Ao comprar ações, por exemplo, a termo, o vendedor se compromete a pagar o valor da ação mais juros, em data futura fixada.

Com isso, você pode investir em derivativos sem precisar desembolsar todo o valor à vista – basta o pagamento de uma margem de garantia.

Importante reforçar que tanto o mercado a termo quanto o mercado futuro são modelos de operação de risco, já que apresentam oscilações de preços.

Resultados passados não garantem resultados futuros: por isso, além de ter um bom conhecimento de mercado, é fundamental que você tenha o perfil de investidor adequado para este tipo de contratação.

Ainda não conhece o seu perfil? Abra uma conta no modalmais (é gratuito!) e preencha o questionário para conhecer o seu!

Continue sua leitura! Confira os artigos que recomendamos para você:

 

 

Obrigado por ter lido até aqui! 🙂