A Bolsa de Valores é um ambiente de negociação de ativos de renda variável que permite a aplicação de centenas de técnicas diferentes. Uma delas é denominada de operar vendido.

Muitas pessoas conhecem o conceito, mas não entendem, na prática, como ele funciona. Foi pensando nisso que nós resolvemos escrever um breve artigo, mas completo, sobre esse assunto.

Aqui, apresentamos a definição de operar vendido, as formas de fazer isso e como essa pode ser uma excelente forma de atuar no mercado. Acompanhe!

 

O que é operar vendido?

Operar vendido é uma técnica que consiste na venda de um ativo em um determinado nível de preço, recomprando-o mais barato com o objetivo de obter rentabilidade com a diferença de preços do ativo, entre essas operações.

O investidor que opera vendido acredita na queda do preço ativo ao longo de um ou mais dias. Funciona, basicamente, da seguinte forma: imagine que você acredita que o preço de determinado ativo sofrerá uma queda após atingir uma resistência, ou seja, nível de preço que não consegue superar.

Nesse caso, você entra vendido na operação, e o mercado, de fato, desvaloriza a um ponto em que é possível comprar o ativo mais barato e ganhar nessa oscilação.

O maior exemplo de uma operação vendida foi ilustrada no filme “A Grande Aposta”, em que um grupo de investidores “apostou” na queda do mercado imobiliário americano, que precedeu um dos maiores colapsos mundiais da história: a chamada crise do subprime de 2008.

 

Como obter rentabilidade em uma operação como vendido?

Agora que você entendeu o que é operar vendido, mostraremos como isso pode funcionar na prática. O primeiro passo é identificar possíveis movimentos que indiquem que determinado ativo – ou o mercado como um todo – entre em tendência de queda.

Durante o pregão da Bolsa de Valores, os preços se movimentam de forma variada, subindo e descendo de acordo com as compras e vendas realizadas pelos milhares de investidores que estão atuando. Ao identificar que o preço de um ativo pode cair, você pode enviar uma ordem de venda de sua plataforma de negociações ou de seu Home Broker. Vamos ilustrar essa situação com alguns exemplos.

Imaginemos que, no mercado de Dólar futuro (DOL), você identifica uma possibilidade de desvalorização da moeda, que no momento está sendo cotada a 5.230 pontos. Assim, faz a venda de um lote de 5 contratos futuros desse ativo, mesmo sem tê-los em sua carteira. À medida que os minutos passam, você percebe que sua análise estava correta, pois o ativo passou a ser cotado a 5.210 pontos.

Isso significa que o preço caiu nada mais que 20 pontos. O próximo passo, portanto, é comprar a mesma quantidade de contratos nessa faixa de preços. E essa diferença é a sua rentabilidade da operação. No caso da operação desse exemplo, o lucro teria sido de R$ 5 mil bruto.

O exemplo anterior, mencionava uma operação vendida de contratos futuros. Nesse caso, por mais que você decidisse manter-se na posição por mais dias, seria necessário apenas depositar a margem de garantia solicitada pela B3 – da qual você pode utilizar suas ações, títulos públicos inteiros ou saldo financeiro em dinheiro.

No entanto, no mercado de ações, operar vendido tem algumas particularidades. Caso você queira vender uma ação sem tê-la em sua carteira – ou seja, vender a descoberto – e pretenda recomprar essa mesma ação no mesmo dia, realizando assim um day trade, poderá fazê-lo, sendo necessário apenas habilitar algum tipo de serviço que dê essa permissão, como o Venda a Descoberto, um serviço gratuito do modalmais.

No entanto, caso você queira manter-se na posição vendida por mais dias, mesmo que seja somente até o dia seguinte, será necessário tomar essas mesmas ações emprestadas por meio de um procedimento chamado de Aluguel de Ações.

Com isso em mente, é possível perceber que não há limite para obter rentabilidade na Bolsa de Valores. Significa que você pode ter sucesso em suas operações até mesmo em momentos de extremo caos no mercado.

Um exemplo real dessa estratégia pôde ser testemunhado por milhares de investidores que aproveitaram o derretimento do Ibovespa e das ações de dezenas de empresas durante o período de estouro da pandemia de coronavírus no Brasil.

 

Quais são os riscos envolvidos nessa operação?

Apesar de ser uma grande oportunidade de rentabilizar o seu capital, mesmo em momentos em que o mercado apresenta tendência de queda, é necessário entender que operar vendido também tem seus riscos.

Afinal, estamos tratando de renda variável e, mesmo com muito estudo e análise, é impossível saber, de fato, o que vai acontecer.

Portanto, o principal risco que pode existir nesse cenário é o preço não cair – como você imaginou que aconteceria – ou pior: vir a subir.

É por isso que é de suma importância que você respeite o seu plano de investimentos e o quanto destinou para arriscar nessa operação. Caso você atinja o seu limite de perda diário, aguarde oportunidades de operar vendido em outro dia.

Uma dica importante é definir uma ordem de compra em um preço acima da sua entrada, garantindo que o seu risco seja controlado. Essa estratégia é o que chamamos de Stop Loss.

Não se apegue a uma operação tentando recuperar algum valor perdido. Essa prática pode fazer com que você se deixe levar pelas emoções e se exponha a ainda mais prejuízos. Além de que, como mencionamos, você deve seguir à risca o seu plano diário de negociações e respeitar seus limites, tanto caso ocorra um prejuízo, como em caso de operações lucrativas.

Por isso, é tão importante que você se arme com muito conhecimento e sempre conte com a orientação de profissionais especializados no mercado financeiro antes de ingressar em uma operação.

Seguindo essas dicas, certamente você terá mais chances de obter bons resultados ao operar vendido na Bolsa de Valores. Portanto, o ideal é que você não pare por aqui e continue estudando sobre esse assunto antes de realizar suas operações.

O primeiro passo é abrir a sua conta no modalmais e aproveitar todos os benefícios da nossa plataforma de investimentos e dos profissionais que orientam nossos investidores.

Nova call to action