O portfólio de contratos futuros da B3 é composto por derivativos de commodities, de moedas, de índices e também de taxas de juros. Dentre esses últimos estão os futuros de Cupom de IPCA.

O Futuro de Cupom de IPCA é um ativo que tem por objetivo proteger o investidor das flutuações que acontecem na taxa de juros real praticada no Brasil.

Neste artigo, mostraremos o conceito do Futuro de Cupom de IPCA, bem como as suas principais características e como negociá-lo nesse mercado. Acompanhe!

 

O que é Futuro de Cupom de  IPCA?

Antes de explicarmos o conceito de Futuro de Cupom de IPCA, é importante desconstruir o termo para facilitar o entendimento. Para tanto, iniciaremos pelo mercado futuro.

Basicamente, é o ambiente onde são negociados contratos futuros, chamados assim por se tratarem de compromissos de compra e venda de determinado ativo em uma data futura, com valor determinado no momento da negociação.

Os contratos futuros são padronizados e são também considerados derivativos, uma vez que seu preço deriva de algum ativo-subjacente que pode ser, como mencionamos no início do artigo, uma moeda, um índice financeiro, uma commodity ou uma taxa de juros.

Eles são amplamente utilizados por investidores que desejam fazer hedge, ou seja, a proteção do seu patrimônio, bem como por especuladores, que buscam obter lucro com a diferença de preços entre a compra e a venda dos contratos.

Com isso em mente, podemos passar para o conceito do termo objeto deste artigo. Os contratos futuros de Cupom de IPCA são instrumentos de proteção contra possíveis flutuações da taxa de juros real praticadas no Brasil.

Já a taxa de juros real, pode ser definida como a taxa básica de juros (Selic) de um período descontada a inflação mensurada nesse mesmo período. Em um investimento, por exemplo, a taxa real se refere àquilo que você ganha menos a depreciação do poder de compra causada pela inflação.

O termo “cupom de IPCA” refere-se à taxa de juros real que é obtida pela diferença existente entre a taxa média ponderada dos depósitos entre os bancos e as instituições financeiras que ocorreram em um dia, ou seja, o DI e a inflação demonstrada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Esse último indexador é apurado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Comparando esse contrato a um título sem pagamento de cupom de juros, como o Tesouro IPCA sem juros semestrais (antigo NTN-B principal), o Futuro de Cupom de IPCA mostra-se como um instrumento de proteção similar.

Isso se deve ao fato de ele replicar o valor presente de determinando montante, descontado por uma taxa de juros real. Isso significa que o contrato é negociado em uma taxa de juro real “limpa”, pois desconsidera a inflação acumulada desde a última divulgação até o dia da negociação.

Para que o cálculo da taxa real seja realizado, será considerada a variação da inflação até o vencimento do contrato, que é baseada no valor do índice IPCA pro rata do dia de negociação. Esse mesmo valor é utilizado para o ajuste diário de posição.

 

Quais são as vantagens do Futuro de Cupom IPCA?

Agora que você entendeu o que é o contrato futuro de Cupom de IPCA, mostraremos as principais vantagens que ele pode proporcionar. Acompanhe!

 

Proteção ou hedge da carteira

Uma das primeiras vantagens do Futuro de Cupom de IPCA é o fato de que ele pode ser utilizado como instrumento de proteção de carteira ou, como também chamamos, hedge. Em geral, os contratos futuros são excelentes alternativas de proteção contra oscilações nos preços de seus ativos-subjacentes.

Isso ocorre pelo fato de os contratos futuros, como este que estamos estudando, negociados no dia, garantirem um determinado preço em uma data futura para o ativo-subjacente do contrato. Um exemplo clássico diz respeito a quem, por exemplo, realiza um hedge cambial negociando contratos futuros de moedas estrangeiras, como o dólar.

Assim, o investidor que faz esse tipo de operação está mais preocupado em evitar perdas do que, efetivamente, obter retornos. Isso não significa que ele não deseje rentabilidade. Especialmente nesse tipo de operação, o objetivo é proteger o seu capital quanto a eventuais flutuações negativas nos preços.

A dúvida que fica no ar é sobre como isso ocorre. Dando sequência ao exemplo citado ainda neste tópico, imagine que uma empresa tenha dívidas em dólar. Logo, ela sempre estará exposta ao risco cambial, que pode comprometer a empresa financeiramente, caso ocorram fortes e inesperadas oscilações na taxa de câmbio do dólar em relação ao real.

Se em determinado momento a cotação da moeda americana sobe, as dívidas da empresa ficarão mais caras, necessitando aplicar mais moeda nacional para quitar seus débitos.

Uma forma eficiente que essa instituição tem de diminuir esse eventual prejuízo é negociando, por meio do mercado futuro, contratos futuros de dólar. Assim, mesmo que a cotação suba, a empresa terá fixado a taxa de câmbio que servirá como base para o pagamento de suas dívidas por meio de suas negociações com dólar, realizadas no mercado futuro.

No caso de um investidor que realiza operações com Futuros de Cupom de IPCA, o objetivo principal é proteger o seu capital e sua carteira de investimentos referenciada no IPCA, frente a possíveis oscilações na taxa de juros real, que é impactada por uma junção de dois fatores: decisões do COPOM sobre a taxa Selic e as projeções da inflação para o período a ser considerado sobre tais operações.

 

Transformação de Ativos/Passivos

Outro benefício interessante dessa modalidade de investimentos é a possibilidade de transformação de ativos ou passivos que têm como referência a inflação prefixada em pós-fixada, ou o contrário.

Além disso, também é possível sintetizar posições vendidas em uma taxa de juros real, sem que o investidor tenha que ser detentor de títulos do Tesouro IPCA em sua carteira de investimentos.

 

Alavancagem com eficiência de capital (margem de garantia) 

Além de a B3 atuar como contraparte central garantidora (CCP) – o que garante que as operações sejam honradas com segurança e transparência – para a grande maioria das operações que são realizadas em seus mercados, incluindo as com contratos futuros, para que o risco de não pagamento por uma das contrapartes da negociação de derivativos com liquidação futura seja reduzido, aplica-se o mecanismo de margem de garantia.

Assim, pode-se dizer que há eficiência de capital quando os contratos futuros são comparados a derivativos de balcão que não possuem contraparte central.

 

Quais são as principais características desse ativo?

Agora que você já entendeu o que é o Futuro de Cupom de IPCA e as suas principais vantagens, mostraremos as suas principais características técnicas. Inicialmente, temos o código de negociação que o identifica, sendo o desse contrato a sigla DAP.

Além dessa, há também outras características que precisam ser detalhadas, como:

Objeto de negociação:  o objeto de negociação desse contrato é a taxa de juro real obtida a partir do cálculo da diferença entre a acumulação da taxa DI no período compreendido entre a data de operação, inclusive, e a data de vencimento, exclusive, e a variação do IPCA apurada entre a data da operação e a data de vencimento do contrato, sendo essa última data, na apuração do IPCA, incluída.

 

Quanto vale cada contrato?

A cotação do ativo ocorre com uma taxa de juros exponencial, que é expressa ao ano, considerando sempre 252 dias úteis, com duas casas decimais .

A variação mínima de apregoação é de 0,01%, e o tamanho de cada contrato é de 100 mil x R$ 0,00025 x IPCA ou o preço unitário multiplicado pelo valor em reais de cada ponto – sendo que o valor por ponto equivale a R$ 0,00025 – multiplicado pelo valor do IPCA pro rata temporis.

 

Lote Padrão
O lote padrão é a quantidade múltipla negociável de determinado contrato. Em alguns casos, como no do contrato futuro de S&P 500 (ISP), essa quantidade é de um contrato por lote. No caso do contrato Futuro de Cupom de IPCA, o lote padrão é de cinco contratos ou seus múltiplos: dez, 15, 20 e assim por diante.

 

Como funciona o vencimento desse contrato?

Como mencionado, há um código utilizado para identificar o contrato em suas negociações, que é o DAP. No entanto, além dele, há outros elementos que também o compõem e não só o identificam, como também indicam quando ocorre o vencimento de cada série.

Comum no mercado futuro, cada contrato negociado possui uma data de vencimento. No caso do contrato Futuro de Cupom de IPCA, o vencimento ocorre todos os meses, sempre no 15º dia útil ou no dia útil seguinte.

Assim, é adicionado à sigla de negociação uma letra correspondente ao mês de vencimento. Veja como funciona a tabela.

  •  Janeiro: F;
  •  Fevereiro: G;
  •  Março: H;
  •  Abril: J;
  •  Maio: K;
  •  Junho: M;
  •  Julho: N;
  •  Agosto: Q;
  •  Setembro: U;
  •  Outubro: V;
  •  Novembro: X;
  •  Dezembro: Z.

Para concluir a formação do código, é necessário adicionar o ano de vencimento daquela série de negociação. Sendo assim, o Futuro de Cupom IPCA com vencimento em julho de 2020 tem o código DAPN20, enquanto o contrato de vencimento em agosto do mesmo ano tem o código DAPQ20, e assim por diante.

Vale a pena ressaltar que, no mercado futuro, o contrato que está sendo negociado, não necessariamente será o do mês corrente, podendo ser um contrato com vencimento em meses seguintes.

 

Como operar o Futuro de Cupom de IPCA?

Agora passaremos para a etapa prática do processo, ou seja, como operar esse ativo na Bolsa de Valores. Vale a pena ressaltar que a etapa operacional de compra e venda, é muito simples. Para tanto, mostraremos alguns passos dos quais você precisa seguir antes de negociar esse contrato.

O mais importante, portanto, é a fase de preparação e estudos, que precede a ação efetiva de entrada nesse tipo de operação. E é exatamente sobre ela que discorreremos a seguir. Continue lendo!

 

Analise o seu perfil de investidor

O primeiro passo é identificar o seu perfil de investidor. Todo o mercado futuro faz parte da grandiosa gama de ativos de renda variável. Logo, conhecer bem esse mercado, o que o influencia, bem como o próprio ativo, é indispensável.

No entanto, o perfil de investidor indicará, principalmente, o quão tolerante ao risco você é e, dessa forma, se operações no mercado de renda variável são adequadas a você.

 

Escolha uma corretora ou um banco de investimentos

O próximo passo é selecionar uma corretora ou um banco de investimentos que, além de possibilitar o acesso à negociação desses ativos, também ofereça uma boa e robusta plataforma de negociações. Ela deve ter toda a segurança e solidez necessárias para que você possa analisar o mercado e executar suas ordens.

É importante que você opte por um banco digital de investimentos moderno, onde você possa contar não só com as vantagens de um banco, como por exemplo, de ter o saldo em conta corrente protegido pelo FGC, mas também, que ofereça benefícios para o investidor, como corretagem zero para contratos e minicontratos de Dólar e Índice.

Por fim, podemos concluir que o Futuro de Cupom de IPCA é uma modalidade de investimentos que pode proporcionar inúmeras vantagens ao investidor, podendo ser, inclusive, um instrumento de proteção e diversificação de carteira.

Se você gostou dessas informações e quer começar a operar com esse ativo, abra a sua conta no modalmais e veja como podemos ajudar você nessa jornada.

Nova call to action