Long & Short é uma operação casada em que o investidor mantém uma posição comprada e outra vendida, ao mesmo tempo, em ativos diferentes.

Dependendo de como for estruturado, uma operação Long Short pode reduzir o risco sistemático, já que uma posição pode compensar o prejuízo causado por uma queda do outro

Assim, é uma estratégia de mercado neutro utilizada para investidores que buscam lucrar tanto na alta quanto na queda de uma ação.

 

Leia também: O que são Ações e como investir.

 

Para entender melhor como operar Long & Short investindo em pares de ações, continue a leitura. Neste artigo, você vai entender:

 

  • O que é uma operação de Long Short
  • Como funciona o Long Short
  • O que é a estratégia de Long Short?
  • Vantagens da operação de Long & Short
  • Tipos de Long and Short
  • Como lucrar com o Long and Short?
  • Quais são os riscos do Long & Short?
  • Custos e garantias do Long & Short

 

Boa leitura!

 

O que é uma operação de Long Short

Long Short é uma estratégia de negociação casada de ações.

Long Short é uma operação financeira que negocia um par de ações de forma simultânea, assumindo uma posição comprada em um ativo e vendida em outro.

Dessa forma, busca equilibrar o risco, ganhando na alta ou na baixa do ativo (ou ambos).

Por ter o ganho relacionado com a diferença de preços combinada entre os ativos, o Long & Short pode ser considerado uma operação de arbitragem.

 

O que é uma posição comprada

Para entender o conceito de Long & Short, é preciso esclarecer alguns conceitos. A posição comprada é aquela assumida pelo investidor que compra uma ação esperando que ela suba, para, então, vendê-la.

Essa é ponta long, do Long Short.

 

O que é uma posição vendida

A posição vendida é realizada através do aluguel de ações. Nesse caso, você vende a ação que acredita que vá cair, para então comprá-la posteriormente.

Lembre-se que você não tem o ativo – afinal, você está vendendo antes de comprar. Por isso, você deve alugar a ação. Essa é a ponta short, do Long and Short.
 

Como funciona o Long Short

O Long Short pode ser realizado com alavancagem.

 

Em resumo, o Long and Short avalia a correlação entre duas ações e o cenário atual. Por exemplo: se a tendência é uma alta do dólar, você pode avaliar um setor que se beneficie com isso (como exportadoras) e outro que se prejudique (como importadoras).

Assim, a empresa que tende a ter uma boa performance com a alta do dólar será sua ponta long, ou seja, a posição que você entrará comprado.

Já a empresa que tende a cair com a mesma movimentação da moeda será a que você irá alugar as ações, operando vendido.

Quando a performance de uma superar a da outra, você terá lucro. Falaremos de outros exemplos mais para frente.

Um ponto importante do Long Short é que essa estratégia, geralmente, é realizada com financeiro perto de zero. Ou seja, o volume gerado ao vender (Short) uma ação é o saldo que você utilizará para comprar a outra, sem a necessidade do aporte de recursos para tal.

Da mesma forma, a operação pode ser realizada com alavancagem já que a ponta comprada (Long) servirá integralmente, ou dependendo da operação, como parte da margem de garantia necessária para o aluguel da ação na ponta vendida.
 

O que é a estratégia de Long Short?

A estratégia de Long Short nada mais é do que apostar na performance de um par de ações. Ao assumir a posição comprada em um ativo e vendida em outro, o investidor busca lucrar tanto na alta quanto na baixa.

Se as duas ações caírem, por exemplo, ainda assim pode haver um ganho: o importante é que a ponta comprada (long) não decline tanto ao ponto de gerar prejuízo que anule o lucro obtido com a ponta vendida.

É um tipo de arbitragem de ações que busca a neutralidade da operação em relação aos principais índices do mercado.
 

Vantagens da operação de Long & Short

A ponta long garante a ponta short, reduzindo o risco da operação.

 

O tipo de operação Long & Short reduz os riscos tão comuns e assustadores na renda variável. Por si só, já vale a pena. Mas vamos listar algumas outras vantagens que a estratégia oferece ao investidor.

Importante reforçar, apenas, que é uma operação baseada em especulação. Assim, é preciso que o investidor tenha conhecimento de mercado e seja capaz de analisar corretamente as informações.

Caso contrário, poderá interpretar mal um cenário e acabar fazendo uma operação sem sucesso.

Vamos, então, às vantagens:

  • Permite alavancagem. A ponta comprada com o volume financeiro gerado pela ponta vendida, serve como garantia para o aluguel de ações da ponta vendida;
  • O investidor pode ganhar dinheiro tanto em momentos de alta quanto de baixa na bolsa. Tudo depende da estrutura do seu Long and Short;
  • Independe dos índices da Bolsa. Isso porque a lucratividade está ligada às duas ações correlacionadas entre si, independentemente de índices de referência, como Ibovespa;
  • Reduz o risco, já que a ponta comprada pode garantir a ponta vendida (e vice versa).

 

Tipos de Long and Short

Os tipos de Long & Short variam de acordo com a correlação entre os ativos negociados dentro dessa estratégia. Veja:
 
Intrasetorial

Esse tipo de operação compara a correlação de preços entre duas empresas do mesmo setor. Se existir uma distorção muito grande entre eles, sem justificativas, o investidor pode executar um Long & Short, buscando a correção do fator.

Exemplo: Itaú e Bradesco.
 
Ações ON x Ações PN

Nesse caso, os pares de ações se referem à mesma empresa, variando o tipo de ação: ações ordinárias e ações preferenciais.

Por representar o menor risco entre os tipos, é, também, o mais executado na Bolsa de Valores. Por outro lado, é o tipo de Long & Short menos atrativo no quesito rentabilidade.

Exemplo: Petrobras ON e Petrobras PN.
 
Controlada x Controladora

Esse tipo de Long & Short é executado entre empresas do mesmo grupo em que uma é a controladora da grande maioria de ações da outra.

Por conta disso, costumam ter resultados muito similares, sendo uma opção de menos risco, assim como o tipo citado anteriormente.

Exemplo: Banco Itaú e Itaú S/A.
 

Como lucrar com o Long and Short?

O lucro da operação Long and Short depende da variação da performance entre os ativos.

 

Você já entendeu que o Long & Short é uma estratégia interessante para reduzir riscos, uma vez que a negociação casada pode compensar um prejuízo. O objetivo, aqui, é acertar na melhor performance do ativo na ponta comprada (long).

Isso significa que não importa, necessariamente, se as ações negociadas vão cair ou subir.

Vamos ilustrar para a melhor compreensão.

No exemplo anterior que citamos, em que duas empresas seriam impactadas pela alta do dólar, digamos que você tenha tomado a seguinte decisão:

  • Você compra R$ 1 mil em ações da empresa A, que tende a melhorar seu desempenho com a alta do dólar, a R$ 10 cada;
  • Você vende R$ 1 mil em ações da empresa B, que tende a piorar seu desempenho com a alta do dólar, também a R$ 10 cada.

Os valores das ações estão iguais porque, no cenário hipotético atual, ambas têm um equilíbrio na performance. Pois bem, você faz um Long & Short assumindo a posição comprada no ativo A e vendida no ativo B.

Depois de alguns dias, o dólar sobe. Com isso, a ação da empresa A sobe para R$ 10,10, enquanto a ação da empresa B cai para R$ 9. Você, então:

  • Vende as ações da empresa A por R$ 10,50 cada, totalizando um valor de R$ 1.050, lucro de R$ 50,00;
  • Compra as ações da empresa B por R$ 9 cada, totalizando R$ 900, com um lucro de R$ 100,00.

Ao fim da operação Long Short, você teve um lucro de R$ 150!

 

Agora observe: digamos que, no mesmo exemplo, as duas ações tivessem caído. A ação da empresa A cai para R$ 9,90 e a ação B para os mesmos R$ 9. Nesse caso, você:

  • Vende as ações da empresa A por R$ 9,90 cada, totalizando um valor de R$ 990, prejuízo de R$ 10,00;
  • Compra as ações da empresa B por R$ 9 cada, totalizando R$ 900, com um lucro de R$ 100,00.

No fim da operação, você terá um lucro de R$ 90.

Perceba que, no Long and Short, você lucra com o desempenho correlacionado entre as ações, desde que o ativo de sua posição comprada performe melhor que o da posição vendida (o ativo alugado).

Assim, você tem três formas de lucrar com o Long Short:

  1. Ação comprada se valoriza: nesse caso, a ação vendida deve permanecer estável ou se desvalorizar. Ou, caso valorize, o valor deve ser em uma proporção inferior à ação comprada;
  2. Ação vendida se desvaloriza: o princípio aqui é o mesmo. Para lucrar com a ação vendida, ela deve se desvalorizar, enquanto a ação comprada suba ou caia, desde que a diferença de preço entre elas cubra, no mínimo, os custos da operação;
  3. Ação comprada se valoriza e ação vendida se desvaloriza: esse é, sem dúvida, o melhor cenário. Aqui, o investidor ganha tanto na queda quanto na valorização de ambas as ações, ampliando sua margem de lucro.

 
Conheça o modalmais

Ainda não investe? Conheça o modalmais, o banco digital do investidor! Com diversos planos e promoções, você pode escolher o que melhor atende suas necessidades e expectativas.

No modalmais você encontra taxa de corretagem zero, para investimentos em mini contratos e contratos de dólar, e índice e a partir de R$0,99 para ações, opções e ETFs. Além de:

  • Taxa zero para investir no Tesouro Direto;
  • Margem reduzida para day trade em mini índice a partir de R$ 13,00*;
  • Margem reduzida para day trade em mini dólar a partir de R$ 23,00*;
  • Corretagem ZERO para FIIs (Fundos de Investimento Imobiliários);
  • Isenção na taxa de custódia;
  • Plataformas de investimento a partir de ZERO;
  • Apenas 4% a.m. para usar a Conta Margem;
  • Alavancagem de até 50 vezes para operações DayTrade;
  • Isenção de imposto de renda para Pessoa Física em LCI e LCA.

Além de tudo isso, você também conta com assessores de investimento qualificados, que vão lhe ajudar a encontrar a melhor solução para seu objetivo financeiro, respeitando suas necessidades e seu perfil de investidor.

Abra sua conta agora, é gratuito!

 

Quais são os riscos do Long & Short?

Long & Short é uma estratégia baseada na especulação, oferecendo risco.

 

O Long Short é uma operação alavancada que, por si só, já apresenta risco. Além disso, ele é baseado em uma projeção ou expectativa do investidor que pode, inclusive, estar errada.

Qualquer atividade especulativa apresenta a possibilidade de erro. Portanto, apresenta riscos. 

Então, se o investidor faz um Long and Short, e a previsão são se concretiza, o prejuízo pode ser grande, superando, inclusive, a margem de garantia.

É como sair gastando um cartão de crédito sem limites e esquecer que a fatura vai chegar para pagar.

A estratégia Long & Short deve ser adotada por investidores mais experientes e com base em análises que apoiem as decisões tomadas.

Leia também: Guia da Análise Técnica 2020: saiba como operar.
 

Custos e garantias do Long & Short

Para aplicar a estratégia Long& Short na Bolsa de Valores, o investidor deve estar ciente dos custos envolvidos.

Isso porque os valores irão impactar diretamente na rentabilidade, devendo ser analisados previamente para entender o quanto deve ser o resultado da operação para que o retorno obtido supere os custos. São eles:

  • Corretagem, aplicada tanto na compra quanto na venda dos ativos (neste caso, serão as duas negociações casadas);
  • Emolumentos;
  • Aluguel da ação, na ponta vendida;
  • Taxa de Intermediação do Agente de Custódia, sobre o aluguel;

Além disso, você precisa da margem de garantia, já que é uma operação alavancada. No entanto, não pode ser considerada como custo, já que ela é devolvida ao investidor no fim da operação (exceto, claro, em caso de prejuízo).
 

Conclusão

Long Short é uma estratégia que deve ser utilizada por investidores mais experientes.

 

Uma operação Long Short é quando o investidor assume, de forma simultânea, duas posições: na ponta Long, a posição comprada, e na ponta Short, a posição vendida.

A ideia é que os ativos negociados estejam correlacionados, seja por ser de mesmo setor, mesma empresa ou mesmo grupo de empresas. Assim, quando um fator externo tende a alterar a relação entre os preços, o investidor pode lucrar.

Uma operação de Long & Short é alavancada, já que a ponta comprada pode ser utilizada como margem de garantia para a ponta vendida. Além disso, pode ser Cash Neutral, onde o financeiro desembolsado pela venda da ação pode ser utilizado na compra da outra.

Assim, ao encerrar as posições, além das devidas taxas do aluguel da ação na ponta vendida, o investidor somente paga o prejuízo (se for o caso) e recebe somente o lucro (se houver).

Quer entender mais sobre renda variável? Confira os artigos recomendados para você:

 

Obrigado por ler até aqui!

 

 

*Em dias que a variação do futuro de Bovespa ultrapassar 8% e/ou futuro de Dólar ultrapassar 5%, o modalmais poderá alterar o valor da margem reduzida para o valor exigido como margem pela B3. Em caso de garantias insuficientes, sua operação poderá ser encerrada pela área de Risco do modalmais.